26/02/2009

Minha Trilha Sonora

Volta e meia tô brincando disso. É dada uma lista de itens/fases da vida, como se fosse um filme; você abre o player de sua preferência e começa a tocar todas as suas músicas de forma aleatória. Cada música corresponde a uma fase da vida, e não vale pular!

Geralmente o iTunes me dá medo... Ele sabe "escolher" as músicas certas, na maioria das vezes O_o
Junto às respostas vou colocar os links para ouvir/conhecer as músicas (se eu achar todas, algumas são difíceis!) e o que eu achei da "escolha".

Vamos lá!

(essa não foi a melhor das listas, mas de certa forma deu certo também)

1- Créditos de Abertura:
Because - The Beatles

"Because the world is round, it turns me on...". Viagem, mas ainda assim uma viagem maravilhosa *.*

2- Ao acordar:
Abigail - Arkells

Nem me fale. Essa música tem sido meu mais recente pesadelo. Pesadelo porque é a desconhecida das desconhecidas mais desconhecidas que eu já achei, creio eu. Tô há dias tentando pegar a letra dessa música (porque não tem na internet) de ouvido e até agora não consegui pegá-la inteira. E, claro, acordei com ela na cabeça hoje. Quando eu falo que o iTunes me dá medo...

3- Primeiro dia de aula:
Everything is Cool - Reel Big Fish

Perfeita pra ocasião. No primeiro dia, tudo é sempre legal. Depois...

4- Infância:
Mucky Fingers - Oasis

"I know you think you deserve an explanation on the meanings of life...". É, e toda criança não merece? (Ainda que eu ache melhor poupá-las disso por enquanto)

5- Faculdade:
Nothin' - Reel Big Fish
(os vídeos que eu achei estão com uma qualidade péssima...)

"Everytime I try so hard I get nothing! nothing!...". Animador, mas verdade.

6- Formatura:
Bring It On Down - Oasis

Não que tenha muito a ver, mas ao pensar na frase "You're the uninvited guest who stays till the end", é impossível não pensar em penetras o.o'

7- Ao se apaixonar:
Down in Flames - Reel Big Fish
(sem vídeo pra essa também... esses fãs de RBF pulam demais u.u)

Mais pelo nome do que pela letra... UI!

8- Fim de namoro:
And All Things Will End - Avenged Sevenfold

Como tudo nessa vida. Muito bem mandado, iTunes!

9- Reatando namoro:
Where Have You Been? - Reel Big Fish

Outra coincidência perfeita. Apesar de que fica bem claro nessa canção que reatar é a última opção :P

10- Casamento:
Nobody Told Me - John Lennon

É, se tivesse dito provavelmente você não teria se casado. :)

11- Nascimento do filho:
Fuckin' in the Bushes - Oasis

Desculpa, eu tive que rir dessa, AHAHUHUAAUHAUHA!!

12- Vida:
Hooray For Me... - Bad Religion

"I'm not respectable and never sensible, I've been incredible so damned irascible, and I like the things I do, so hooray for me... and fuck you!". Perfeita.

13- Depressão:
Stay Positive - The Hold Steady

Com certeza uma das melhores músicas pra esses momentos!

14- Cena de morte:
Drowning - Stereophonics

Ahn... medo dessa possibilidade. Confesso que o iTunes me assustou, agora.

16- Música do Funeral:
Here, There and Everywhere - The Beatles

Agora sim, fiquem com medo. Talvez eu não vá de verdade (6)

17- Créditos Finais:
Naïve - The Kooks

Agradeço por ter escolhido uma de minhas favoritas *.*

.

Daqui a uns meses farei de novo... como sempre. Nunca me canso disso.

A faculdade, sob um ponto de vista realista

Email interessante que eu recebi de uma ex-colega de faculdade. Entre parênteses são comentário pessoais :)

O que você deve saber antes de entrar pra faculdade:

1. Não importa o quão tarde é a sua primeira aula, você vai dormir durante ela;
(verdade)

2. Você vai mudar completamente e nem vai notar;
(verdade²)

3. Você pode amar várias pessoas de maneiras diferentes;
(e odiá-las também)

4. Alunos de faculdade também jogam aviões de papel durante as aulas;
(antes fosse só isso as demonstrações de infantilidade!)

5. Se você assistir às aulas calçado, todo mundo vai perguntar por que você foi tão chique para a faculdade;
(haha verdade!)

6. Cada relógio no prédio mostra um horário diferente;
(AHUHUAUAH EU RI! Incrivelmente verdade!)

7. Se você era inteligente no colegial... azar o seu!
(se é...)

8. Não importa tudo o que você prometeu quando passou no vestibular, você vai às festas da faculdade, mesmo que sejam na noite anterior à prova final;
(não que se aplicasse a mim, mas que é verdade, é)

9. Você pode saber toda a matéria e ir mal na prova;
10. Você pode saber nada da matéria e tirar dez na prova;
(ô!!)

11. A sua casa é um ótimo lugar para se visitar;

12. A maior parte da educação é adquirida fora das aulas;
(assovia e disfarça)

13. Se você nunca bebeu, vai beber;
14. Se você nunca fumou, vai fumar;
15. Se você nunca transou, vai transar;
16. Se você não fizer nada disto durante a faculdade, não fará nunca mais na vida, a não ser que você faça uma nova faculdade;
(-oiq)

17. Você vai se tornar uma daquelas pessoas que seus pais falaram para você não se meter com elas;
(mentira!)

18. Psicologia é, na verdade, biologia;
19. Biologia é, na verdade química. (nada mais verdadeiro do que essa afirmação!)
20. Química é, na verdade física;
21. Física é na verdade matemática;
22. Ou seja, que mesmo depois de estudar anos, você não vai saber nada;
(INCRÍVEL COMO É VERDADE! HAHA)

23. Que sentir depressão, solidão e tristeza, não são frescuras de quem não tem o que fazer;
(viram só? u.u)

24. Que você sempre vai prometer que no próximo bimestre você vai estudar mais, festar menos, mas que na sempre acontecerá o contrário;
(nem um nem outro, no caso :P)

25. As únicas coisas que compensam na faculdade são os amigos que você fará lá;
(quando você dá sorte de fazer amigos lá!!)

26. Não verá a hora de terminar a faculdade;
(lógico)

27. E quando terminar, perceberá que foi a melhor época de toda a sua vida.
(e o pior de tudo é que isso também é verdade...)

23/02/2009

Scott Klopfenstein

"If I had a dollar bill for every time I've been wrong
I'd be a self-made millionaire and you'd still be gone..."

Quando ouvi Drunk Again pela primeira vez (uma das únicas músicas do Reel Big Fish cantadas só pelo Scott), achei que fosse um cover. Sabe como é, o RBF adora um cover, e essa música, como é obvio, não tem absolutamente nada a ver com o material da banda.

Só que não é um cover. É uma música do próprio Scott. "WTF?", pensei eu. Música linda.

Scott tem uma coisa de jazz nele; apesar de toda a empolgação óbvia com o ska, quando o vemos tocando com o Reel Big Fish, a gente sente aquela paixão secreta nele. Bem, não tão secreta, porque há uns anos atrás ele teve uma banda meio jazz (há!) meio piano-bar, chamada The Littlest Man Band (que aparentemente não funciona mais desde 2005). Ainda em outra ocasião, durante a execução de Where Have You Been?, no álbum ao vivo do Reel Big Fish, quando o trompetista Johnny Christmas começa a solar algo improvisado em seu trompete, um Scott empolgadíssimo grita mais ou menos assim ao microfone: "What a beautiful thing, this is jazz!! Close your eyes and feel the magic!!" (e, após alguns minutos de jazz improvisado, um Scott contrariado grita novamente: "I SAW YOUR EYES OPEN!!" - haha. Queria achar o vídeo no YouTube, mas nem achei ._.).

É, não é uma paixão secreta.

Hoje ouvi duas músicas de uma carreira solo recém-começada e, PQP, que música linda é essa Welcome to New York. o_O [ouvir aqui]


Scotty no RBF. "Por que ele tem dois microfones, Manu?" "Porque um é pros vocais e o outro é pro trompete", eu respondo. "Que trompete, se ele tá segurando uma guitarra?", você tenta ser esperto. E eu digo: "É porque ele toca trompete e guitarra e teclado também... além de cantar :)"


Agora vou só torcer pra que essa Síndrome louca que ele tem (Síndrome de Guillain-Barré) não o mate antes que ele lance um CD solo. Sério :(

19/02/2009

A difícil vida de uma lampreia...


Triste vida a da lampreia.
No começo, elas não se parecem nada com uma lampreia. E são tão diferentes que por muitos anos esses filhotes nem eram considerados da mesma espécie! Ficam na água doce, paradas, esperando comida, filtrando pra dentro da boca tudo o que passa pela frente... E assim ficam por sete anos.
Até que seu desenvolvimento chega ao fim e ela enfim se torna uma lampreia adulta. Uma lampreia que finalmente se parece com uma lampreia! Aí ela é livre pra nadar por aí. E se sente tão bem com toda essa liberdade, que vai embora pro mar. Mas, vendo que a "vida na cidade" não é assim tão fácil, muito sabiamente ela torna-se parasita; e então, por toda a sua curta vida adulta (que não dura mais de dois anos), ela fica grudada ao couro de peixes maiores, se alimentando.

Lampreias são interessantes, sabem, elas são longas (chegam até a um metro de comprimento) e têm uma boca circular cheia de estruturas espinhosas (promovendo aquele sorriso simpático da foto acima). Esses espinhos servem para que ela possa se fixar ao corpo de outros peixes e assim "raspá-los" para se alimentar. Elas ainda têm glândulas que secretam uma substância anticoagulante, que impede que a ferida do hospedeiro se feche antes que ela termine de se alimentar.

Até aí tudo bem, vida boa essa... Grudada nos outros e comendo à vontade! :)
Mas não é sempre assim.

Esse tipo de lampreia precisa se reproduzir em águas doces - "de volta à minha terra"!
Enquanto elas estão na parte boa da vida, chega um dia em que elas sentem uma queda brusca de temperatura - isso indica que chegou a hora de deixar de ociosidade e ir trabalhar.
Primeiro, a grande viagem ao rio, que dura dias, sem qualquer alimentação - porque ela sabe que não há tempo.
Chegando lá, encontra um companheiro e com ele começa a construir um ninho bem grande de pedras - para que caibam seguramente todas as centenas de milhares de ovos que ela vai depositar lá. Uma vez pronto, a fêmea então deposita seus ovos e, à medida em que vai fazendo isso, o macho os vai fertilizando. E, quando isso acaba, ambos morrem.

E é assim o triste fim da lampreia. Vocês não esperavam que, depois de todo esse trabalho e esforço, elas continuassem vivas e serelepes de volta ao mar, esperavam?

Os ovos estão seguros. Eles são pegajosos, então a correnteza não os leva embora. Depois de duas semanas, as larvas nascem. Aquelas larvas, que não se parecem nada com os pais. E ficam lá no rio, começando de novo o ciclo.

Mas tem outro tipo de lampreia, sabem. Uma que nunca sai da água doce. Acho que ela vê as colegas se ferrarem por quererem sair de casa e pensam: "Bom, melhor ficar por aqui mesmo". Só que elas não sobrevivem por muito tempo, porque não têm alimentação adequada e também não podem se reproduzir...

Pode parecer um post sem sentido, mas ao estudar as lampreias é impossível não pensar na própria vida. Ficamos onde pertencemos, no conforto do lar, onde tudo é conhecido e familiar, mas correndo o risco de não conseguirmos sobreviver à isso, ou arriscamos uma nova vida, enfrentamos o desconhecido, realizamos o que nos cabe e então encaramos o fim inevitável?

Se as lampreias tivessem ouvidos e um cérebro para que pudessem ouvir e refletir sobre uma música, ela provavelmente seria:

♪ Should I stay or should I go now?
If I go there will be trouble
And if I stay it will be double... ♪


Tô pensando nisso.

Como se não bastasse tanta desgraça na vida da coitada, agora nem acento no nome ela não tem mais. Horrível escrever "lampreia" sem acento :(

03/02/2009

Enquanto isso...

... os sonhos bizarros continuam.

O de hoje, porém, não significa morte :D
Mas é um sonho perturbador, do mesmo jeito.

(Antes de continuar, uma pequena nota mental: será que é influência do que eu ando lendo antes de dormir? O_o)

Bom, no episódio de hoje, eu não era eu. Eu era alguém chamada Lucile, ou quase isso, sei lá. Ah, e todos conversavam em inglês, nesse sonho. :P
Enfim, eu era essa Lucile e vivia numa casa estranha, num lugar estranho, (que nem parecia o Brasil - vide diálogos em inglês :P) com uma família estranha, que eu tinha certeza de que não era minha família. Mesmo assim, vivia lá e não podia sair de lá. Não lembro de muitos detalhes dessa parte do sonho, só que eu sabia que tinha que dar um jeito de sair dessa casa de qualquer jeito. Até a hora que, por bobeira de alguém, aproveitei e escapei. Corri o maldito do sonho inteiro, até acordei cansada.

Uma vez fora da casa, e correndo, me lembrei que já tinha sonhado com isso antes, e duas vezes! O lado de fora era uma escuridão, e tudo parecia morto lá fora. Corria em linha reta, desviando de eventuais barracas que apareciam pelo caminho... Pelo que eu percebia, estava atravessando o Estado (não apenas a cidade; eu fiquei DIAS correndo), em linha reta, e esse caminho parecia uma maldita feira aberta quilométrica. E tudo no caminho me era familiar, porque já havia passado por ali em sonhos anteriores - o mesmo sonho. Cheguei a uma espécie de praça (tudo isso sempre à noite), com vários animais selvagens, e me lembrei que da primeira vez que havia sonhado aquilo, uma puma tinha me apanhado (logicamente o sonho acabava bem ali :P), mas da segunda vez tinha conseguido escapar, então fiz o mesmo caminho que fiz da segunda vez.

Passando dessa "fase", cheguei a um tipo de pousada fuleira, e tive que passar por dentro dela. Lá dentro estava um casal que, pelo que eu sabia, eram meus tios (daquela família estranha). Ainda correndo, passei por eles, mas meu "tio" me impediu e disse (isso tudo em inglês, HUAHU): "Não adianta correr", e eu pensava: "Ah é, na segunda vez o sonho acabou aqui mesmo", e ele completou: "Porque não existe Lucile nenhuma". Well, what the hell? Continuei correndo, e a partir daí já me era tudo estranho, porque até então eu nunca tinha passado da "fase da pensão fuleira"... O caminho em linha reta acabava ali, e então a única opção que eu tinha era virar à esquerda. Já tava cansada de correr (depois de dias sem parar, e ainda era noite), então fui cautelosamente andando até os fundos de uma casa que parecia estar vazia. Dei uma espiada pela janela e vi um quarto de bebê. Fiquei ali esperando acontecer alguma coisa, qualquer coisa, mas não acontecia nada. Nada se movia, nada aparecia, nenhum barulho, nada. Aí desisti de esperar e acordei : ) HAHAHA

Bizarrice sem fim. Fala sério.

01/02/2009

Cansei!

Fala sério esses sonhos bizarros.

Preciso contar o de hoje, também:

Bom, sabe-se lá em que lugar era, mas estava eu e uma velhinha simpática entrando em uma casa abandonada, resumindo (teve coisas antes, mas sinceramente não lembro). Uma vez lá dentro, sentimos que havia alguma coisa estranha, que dava medo mesmo, e saímos. Assim que saímos e olhamos pra trás, uma sombra começou a nos perseguir. Era uma sombra disforme, mas era bem grande e saía de dentro da casa. Começamos a nadar mais rápido, pra evitar que ela nos alcançasse, mas lá vinha ela atrás de nós. Foi aí que chegamos à esquina e eu disse à velhinha que era melhor que nos separássemos. Aí que eu me senti lixo, porque eu tive a impressão de que já tinha passado por aquilo (talvez eu até já tenha sonhado com isso antes), e sabia que a sombra com certeza ia atrás da velha. Ela continuou reto e eu virei a esquina. Não deu outra, a tal da sombra foi atrás dela. E aí eu não vi o que aconteceu, porque fiquei corajosamente escondida atrás de um poste xD HAHA. Enfim, a sombra a engoliu, não vi mais a velha. E então a sombra começou a voltar pra casa, mas antes ela parou em frente a onde eu estava, tipo que me "encarou" (?) e foi embora. E então, corri pra minha casa e me lembro que a primeira coisa que eu fiz foi ligar o computador e apagar dele tudo o que eu tinha relacionado ao Small Faces!!! @___@

Agora me pergunto se isso foi algum tipo de aviso do além vindo diretamente de Steve Marriott O_o HAHAHA gzuis. Fui procurar naquele livro de interpretações de sonhos (ou "prenúncio do apocalipse") e, oh!, isso também significa "morte de amigo" ¬¬

Nem sei mais o que pensar. Medo até de dormir!

G.G