Pular para o conteúdo principal

Enquanto isso...

... os sonhos bizarros continuam.

O de hoje, porém, não significa morte :D
Mas é um sonho perturbador, do mesmo jeito.

(Antes de continuar, uma pequena nota mental: será que é influência do que eu ando lendo antes de dormir? O_o)

Bom, no episódio de hoje, eu não era eu. Eu era alguém chamada Lucile, ou quase isso, sei lá. Ah, e todos conversavam em inglês, nesse sonho. :P
Enfim, eu era essa Lucile e vivia numa casa estranha, num lugar estranho, (que nem parecia o Brasil - vide diálogos em inglês :P) com uma família estranha, que eu tinha certeza de que não era minha família. Mesmo assim, vivia lá e não podia sair de lá. Não lembro de muitos detalhes dessa parte do sonho, só que eu sabia que tinha que dar um jeito de sair dessa casa de qualquer jeito. Até a hora que, por bobeira de alguém, aproveitei e escapei. Corri o maldito do sonho inteiro, até acordei cansada.

Uma vez fora da casa, e correndo, me lembrei que já tinha sonhado com isso antes, e duas vezes! O lado de fora era uma escuridão, e tudo parecia morto lá fora. Corria em linha reta, desviando de eventuais barracas que apareciam pelo caminho... Pelo que eu percebia, estava atravessando o Estado (não apenas a cidade; eu fiquei DIAS correndo), em linha reta, e esse caminho parecia uma maldita feira aberta quilométrica. E tudo no caminho me era familiar, porque já havia passado por ali em sonhos anteriores - o mesmo sonho. Cheguei a uma espécie de praça (tudo isso sempre à noite), com vários animais selvagens, e me lembrei que da primeira vez que havia sonhado aquilo, uma puma tinha me apanhado (logicamente o sonho acabava bem ali :P), mas da segunda vez tinha conseguido escapar, então fiz o mesmo caminho que fiz da segunda vez.

Passando dessa "fase", cheguei a um tipo de pousada fuleira, e tive que passar por dentro dela. Lá dentro estava um casal que, pelo que eu sabia, eram meus tios (daquela família estranha). Ainda correndo, passei por eles, mas meu "tio" me impediu e disse (isso tudo em inglês, HUAHU): "Não adianta correr", e eu pensava: "Ah é, na segunda vez o sonho acabou aqui mesmo", e ele completou: "Porque não existe Lucile nenhuma". Well, what the hell? Continuei correndo, e a partir daí já me era tudo estranho, porque até então eu nunca tinha passado da "fase da pensão fuleira"... O caminho em linha reta acabava ali, e então a única opção que eu tinha era virar à esquerda. Já tava cansada de correr (depois de dias sem parar, e ainda era noite), então fui cautelosamente andando até os fundos de uma casa que parecia estar vazia. Dei uma espiada pela janela e vi um quarto de bebê. Fiquei ali esperando acontecer alguma coisa, qualquer coisa, mas não acontecia nada. Nada se movia, nada aparecia, nenhum barulho, nada. Aí desisti de esperar e acordei : ) HAHAHA

Bizarrice sem fim. Fala sério.

Postagens mais visitadas deste blog

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Conhece o teste de personalidade Myers-Briggs?

O MBTI (Myers-Briggs Type Indicator) é um teste psicométrico altamente difundido pelo mundo, embora não seja completamente validado pela psicologia.
Baseadas nas teorias tipológicas propostas originalmente por Carl Jung, Katherine Briggs e sua filha Isabel Myers desenvolveram este indicador na época da Segunda Guerra com a intenção de que, com tal teste, as mulheres descobrissem que trabalhos poderiam desempenhar com mais eficiência e conforto de acordo com os aspectos das suas personalidades. 
O teste considera 16 tipos de personalidades, representados por siglas que são combinações de quatro dicotomias. São elas:


EXTROVERSÃO x INTROVERSÃO SENSORIAL x INTUIÇÃO RAZÃO (Thinking) x SENTIMENTO (Feeling) JULGAMENTO x PERCEPÇÃO

Os 16 tipos são, portanto (clique para ampliar):



Ao realizar o teste, que consiste de várias perguntas a respeito de suas preferências pessoais, o indivíduo é apresentado a um relatório com a sigla das quatro dicotomias que representam seu tipo de personalidade. Um tes…