28/06/2009

Uma análise sobre a morte - ou não.

Boa segunda, pessoas estranhas! o/

Ontem, lendo o post interessante que o Lu fez, me senti inspirada pra falar de algo que se tornou banalizado - a Morte. "Credo, Manu, pra que falar disso?". Vou dizer por quê.

Estamos cercados de Morte, todos sabemos. Pessoas morrem todos os dias. Animais morrem todos os dias. Plantas morrem todos os dias. Nossos bichinhos de estimação, nossos parentes, nossos ídolos, nossas plantinhas do jardim. Essa semana o mundo só fala da morte de Michael Jackson... Quantas outras pessoas morreram naquele dia, doentes, em guerras, assassinadas? O cachorrinho de alguém morreu ontem... Quantas focas estão sendo mortas à pauladas na Noruega por causa do novo esporte que é moda agora por lá? A violeta da vovó secou e morreu... Quantas árvores estão sendo arrancadas, cortadas e queimadas todos os dias, pra nos dar coisas que duram determinado tempo, e depois nem foram repostas para nos dar o que poderiam nos dar pra sempre?

Como veem, tem muito mais morte nos cercando do que imaginamos. E com o homem já nasce o medo natural dela. Acredito que o homem tenha medo da morte porque é o desconhecido, e o desconhecido assusta. Por isso pessoas procuram religião ou algo em que acreditar - não é para educar e direcionar a alma a algo bom, não é pra aprender a ser bom e muito menos pra ser bom com os outros. É única e simplesmente por medo do que vem depois. Céu, inferno? E se acharem que fui mau e eu for pro inferno sofrer pela eternidade?

Não vou me aprofundar muito nisso, pois cada um tem suas próprias opiniões e crenças; e o post também ficaria mais longo do que eu queria, afinal pretendo abordar um outro aspecto da morte.

Quando eu disse que a Morte é banalizada, me refiro à cultura que temos - filmes, brincadeirinhas que fazemos uns com os outros e, especificamente agora, na música. Todos nós aqui conhecemos pelo menos meia dúzia de músicas cujo tema principal é a Morte. Eu tenho o que posso chamar de "algum considerável repertório" de músicas na cabeça, que eu goste ou não, que se tratam disso, independente de que gênero for. Lógico que o gótico e o emo são os mais frequentes mas, se pararmos pra pensar, o tema é geral na música. Afinal, quem nunca ouviu uma música dizendo "se você não voltar, eu morro"? "O que vai ser de mim quando você morrer?", "O que vai ser de você quando eu morrer?", "Eu me odeio e quero morrer" (Nirvana oe), "Eu te odeio e quero que você morra"... Banalizado. Aí alguém morre e o mundo fica chocado, oh.

Alguns tentam ser mais profundos e analisar aspectos pós-vida. Mas, de todas as músicas que conheço e que consigo me lembrar agora, existe uma que fala exatamente sobre o que eu penso a respeito. Chama-se "Would You Be Impressed?", da banda Streetlight Manifesto. O Streetlight Manifesto se tornou uma de minhas bandas favoritas não apenas pela musicalidade, mas principalmente pelas letras reflexivas sem ser hipócritas. Gostaria que vocês lessem aqui a tradução:

Vocês ficariam preocupados se eu os dissesse que estamos morrendo?
E toda a cura que eles nos deram era uma mentira?
Oh, eles estão falando sério quando dizem que estamos mortos e condenados
E que cada sintoma nos leva para mais perto da tumba
E quem é que vai levar o crédito pela nossa rápida queda iminente?,
Porque a culpa não é minha.

Vocês ficariam impressionados se eu dissesse que os mortos vão nos ajudar a contar
Cada momento que desperdiçamos nosso tempo?
Todo o tempo que gastamos vacinando essa doença
Eu fico pasmo quando penso em todas as maneiras como tentamos esconder nossas doenças
Nós bebemos, comemos e tudo fica bem
Porque a culpa não é minha.

Agora vocês estão preocupados porque finalmente perceberam
Que tudo o que vocês tinham está descendo pelo ralo
Oh, vocês estão mesmo falando sério quando imploram, rezam e suplicam?
Os seus "medêissomedêissomedêissomedêisso, e tudo o que precisamos"
E o que, por favor me diga, vocês irão choramingar quando chamarem o seu número?
Vocês dirão "A culpa não é minha".

Vão! Agora! Os outros estarão esperando por vocês
E cada um entre vocês vai ter a sua vez
Como mariposas que voam para a chama, sempre termina assim
Vocês gritam: "Não eu! Leve qualquer outro!
Porque a culpa não é minha!"

Tive um sonho, noite passada, onde todos estavam tentando
Subconscientemente eu sabia que era uma mentira
E quando eu acordei eu sabia que era hora de rezar
Pra dar satisfações antes do fim, antes do dia do meu julgamento
Eu olhei em volta, fiquei sozinho, sabia o que deveria dizer
Eu disse "É tudo culpa minha".

Livre para interpretações, como a música deve ser. Na minha opinião, só sabemos rezar pra pedir e, quando a coisa complica, estamos sempre "tirando o nosso da reta". E, mesmo que alguns possam interpretar a música pra um lado religioso (o que eu sei que não é o caso, comparando a outras da mesma banda), também acho que devemos ter no que acreditar. Não digo seguir uma religião, mas ter no que acreditar nos dá oportunidade para repensar nossos próprios atos, para depois podermos morrer com a consciência tranquila.

Aqui segue a música e a letra original logo abaixo, caso queiram ouvir e acompanhar. Já aviso pra que não se assustem se parecer "festivo" demais para o tema - mas isso faz parte do estilo :)



.

Would you be upset if I told you we were dying?
And every cure they gave us was a lie?
Oh! They mean it when they say we're dead and doomed
And every single symptom brings us closer to the tomb
And who will take the credit for our swift impending fall?,
Because it's not my fault.

Would you be impressed if I said that the dead would help us counting
Every single moment that we waste our time?
All the time we're spending vaccinating this disease
I just get dizzy when I think of all the ways we try to hide our maladies
We wine, we dine, and everything is fine
Because it's not my fault.

Now you're upset because you finally got the notion
That everything you had is spinning down the drain
Oh! Do you mean it when you beg and pray and plead?
Your "Giveittomegiveittomegiveittomegiveittome, all those things we need"
And what, pray tell, will you whimper when your number will be called?
You'll say "It's not my fault".

Go! Now! The others they'll await you
And every single one among the lot of you will have your turn
Ai Ai Ai, Oh Oh Oh
Like moths that fly into the flame, it always ends up so
You scream: "Not me! Take anybody else!
Because it's not my fault!"

I had a dream last night where everyone was trying
Subconsciously I knew it was a lie
And when I woke I knew it was time to pray
To make amends before the end, before my judgement day
I looked around, I stood alone, I knew what I had to say
I said "It's all my fault".


.

E é isso. Mals pelo post enorme, mas espero que alguém tenha tido paciência pra ler e, se quiserem dizer algo a respeito, com certeza lerei :)