10/07/2009

Eco (eco, eco, eco...)

Antes de falarmos do eco,

We like pizza, but she doesn't eat the crust
I love her and she loves everyone


(Nós gostamos de pizza, mas ela não come a borda
Eu a amo e ela ama todo mundo)


É que hoje é Dia da Pizza e Scott's a Dork me veio na cabeça HAUH
Enfim.

.

Um tempo atrás contei aqui a história da Pandora, a Primeira Grande Gansa. Sou apaixonada pela Mitologia Grega porque ela explica tudo, mais do que Freud e mais do que a Física (y). Hoje vou contar como surgiu o eco e porque ele se chama Eco :B

Eco era uma ninfa campestre, favorita da deusa Diana (da caça) e até a acompanhava em suas caçadas. Mas Eco tinha um probleminha: ela falava demais. E, pior do que isso, em qualquer discussão queria ter sempre a última palavra.

Um belo dia, a deusa Juno (a toda-poderosa, vingatiiiva que só ela, gzuis) saiu procurando pelo seu marido, Júpiter o Primeiro Grande Pulador de Cerca, pois estava desconfiada de que ele estava se divertindo com as ninfas (seráá, Juno?). Eco, então, começou a distrair Juno com sua conversa para que desse tempo das outras ninfas fugirem (acreditem, Juno fazia coisas terríveis com as pobres ninfas). Sóó que a Juno percebeu o truque, e lá vai ela se vingar da inconveniente Eco:
"Só conservarás o uso dessa língua com que me iludiste para uma coisa de que gostas tanto: responder. Continuarás a dizer a última palavra, mas não poderás falar em primeiro lugar"

Mas então acontece o horror, oh!, o horror. Eco vê Narciso e se apaixona por ele. Começou a segui-lo e queria falar com ele, mas não podia começar uma conversa por causa da praga da Juno. Então ficou esperando até que ele falasse com ela, e continuou a segui-lo.


Um dia, ele se separou dos seus companheiros de caçada e gritou: "Há alguém aqui?", e Eco respondeu "Aqui!". Narciso continuava gritando e Eco continuava a repetir suas últimas palavras, até que ele a viu e recuou, dizendo que jamais se uniria a alguém como ela, e fugiu. Eco ficou muito envergonhada e foi se esconder nos bosques, em cavernas e entre os rochedos das montanhas. Com o tempo, definhou e morreu, e tudo o que sobrou dela foi sua voz, que ainda pode ser ouvida nestes lugares quando alguém fala com ela.



Narciso é velho conhecido da Mitologia, todos sabemos que a história dele não foi muito feliz depois desse episódio. Por ter desprezado inúmeras ninfas depois de Eco, uma delas implorou à deusa da vingança para que ele conhecesse a sensação de amar e não ser correspondido. Daí aconteceu o famoso episódio de quando ele viu seu próprio reflexo na água e achou ser um belo espírito aquático, pelo qual se apaixonou. Como o ser amado era seu próprio reflexo, não podia falar com ele ou sequer tocá-lo, de forma que Narciso passou o resto da vida debruçado à margem do lago, até o dia em que morreu.

.

(Um dia ainda conto a história de Faetonte, o Primeiro Grande Adolescente Mimado :D)
Ah sim, inventei um apelido pra cada um deles HAUH.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:
BULFINCH, Thomas. "O Livro de Ouro da Mitologia: histórias de deuses e heróis". 27 ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2002.

4 comentários:

  1. Tbm adoro mitologia!

    Apelidos legais! huauh

    O filme é tudo de bom mesmo!

    Bjo

    ResponderExcluir
  2. A única Juno q eu me lembro é a do filme... e a cidade do Alasca o.O
    Mas hein... to precisando de espaço pra colocar meus livros, tem espaço ai? =P
    Leia a Divina Comédia sim, é bem bacana, mas leia Purgatório tbm. É uma ficção baseada na DC escrita por um brasileiro. Hilariante! Li em 24 horas

    ;***

    ResponderExcluir
  3. Vc nem gosta de mitologia... vc é poser!

    Eco se acha d+ e ainda usava silicone.

    fikdika!

    E vc com seus apelidos é o pior! kkkkkkkkkkkkkkkkk

    ;**
    (LL)

    ResponderExcluir
  4. Se eu pudesse, comeria só a borda.
    Eu não li o post todo, afinal, você me contou a história :D

    ResponderExcluir

Bom senso, respeito e educação são esperados e sempre bem-vindos nos comentários. Obrigada pela visita!