Pular para o conteúdo principal

6 Animais Fofos Que Podem te Matar

Navegando pelos artigos cômico-científicos-mas-confiáveis do Craked.com, topei com esse que me fez dar altas risadas; e achei que valia a pena dividir com vocês!

Afinal, aquele bichinho maaais cuti-cuti que dá vontade de apertar *__* pode não achar o mesmo de você :)

(tô enfrentando uns problemas com configuração, não estranhem coisas tortas por aí - não é um quadro de Salvador Dalí :B)



1. Hipopótamo (Hippopotamus amphibius)

Não tem como não achar isso fofinho. Essa cabeçona, essas orelhinhas e esse jeitinho gordinho tão fofo. Olha aquela bunda ali, até me lembra a Akira.

Como diz no artigo original, a Disney nos fez achar que hipopótamos são bichinhos fofos, achando que eles podem dançar e que você pode abraçá-los...

Só que hipopótamos matam pessoas.

Esses seres singelos chegam a duas toneladas e seus dentes têm o tamanho de pinos de boliche. Os hipopótamos são os animais que mais atacam e matam na África (sim, mais que leões e mais que crocodilos).


2. Ornitorrinco (Ornithorhynchus anatinus)

Essa coisa é fofa de tão estranha que é. Um bicho peludo com rabo de castor, bico de pato, que bota ovos e é mamífero!


E, além disso, ornitorrincos também são venenosos.


Eles possuem um par de esporões nas patas traseiras, que servem pra defesa e também como arma em duelos. Esse veneno é tão forte que é suficiente para mandar um humano pra ala de emergência e provoca dores agudas nos músculos por meses.







3. Dingo (Canis lupus dingo)

O dingo é um tipo de cão-do-mato, uma espécie de lobo. É fofo (até o nome dele é fofo!), é cuti-cuti, tem essa carinha de bonzinho e dá vontade de levar pra casa e ficar apertando o dia inteiro. Mas isso é altamente não recomendado, porque...

... o dingo é um animal selvagem e extremamente imprevisível.

Dingos não são animais domésticos e não gostam de carinho, não gostam de correr atrás de nada que não esteja vivo e de preferência sangrando, e não vou falar nada sobre dar colo a um deles. Dingos não são poodles!

Procurem por "dingo" no Google e vocês vão achar algumas notícias sobre ataques em massa de dingos na Austrália. Eles roubam bebês, isso mesmo que você vai ler.









4. Chimpanzé (Pan troglodytes)

Ok, eu nunca fui muito fã de macacos de nenhum tipo, especialmente de chimpanzés G.G
Mas admitamos que esse filhote aqui é mesmo uma gracinha, não?

Os chimpanzés são os macacos mais inteligentes, e também apresentam 99% de características genéticas humanas - nosso parente mais próximo. Agem como humanos, sorriem como humanos e fazem quase tudo que a gente pode fazer.

Inclusive nos deixar bem claro quando acham que estamos invadindo seu território... Nem que pra isso tenham que nos machucar fatalmente.

Quando atacam humanos, chimpanzés abraçam, prendem os dedos nos cabelos e batem a cabeça da pessoa no que quer que haja pela frente. Se ele começar a gritar, sinal que a coisa pode piorar: ele está chamando os amigos. Eles também não se importam em morder a mão que alimenta e, como os dingos, chimpanzés também sequestram bebês humanos... Preciso dizer pra quê?





5. Cisnes (Anatidae cygnus, várias espécies)

"Ah, Manu, como assim, cisnes também?"
É, eu também não sabia dessa.
Como poderíamos imaginar que um bicho tão gracioso, tão elegante, tão fofo quando junta com outro e seus pescoços formam um coração own, tão lindo... pudesse ser uma ave tão agressiva!

Na verdade, não são raros os casos de cisnes perseguindo pessoas nos parques e não desistem até que consigam alcançar e arrancar alguma coisa delas... Isso inclui seus dedos.




 6. Golfinho (Tursiops truncatus)

Não faz sentido, não é mesmo? Golfinhos podem ser adestrados. Golfinhos salvam vidas. Golfinhos praticamente conversam com a gente! Como assim, golfinhos podem me matar?

As razões são ainda mais bizarras: se lembram daquilo que aprendemos um dia, que os golfinhos são os únicos animais, além do homem, que se relacionam sexualmente por prazer? Pois é. Que eles às vezes matam suas companheiras e ficam brincando com seus cadáveres, a gente até entende. Mas foram relatados casos no mundo todo onde golfinhos atacam humanos machos, como forma de disputa pela fêmea! Um dos casos foi inclusive aqui no Brasil (mas dizem que o golfinho só matou o cara porque o esperto -dizem que bêbado- tentou enfiar um pedaço de pau no orifício por onde o golfinho respira, aquele em cima da cabeça). De qualquer forma, não nade com sua namorada gostosona onde tem golfinhos. Só pra avisar.


.

Como adicional, gostaria de acrescentar "gatos" à lista. Quem já teve, sabe. Sem mais.

.

A matéria original, em inglês, você encontra aqui. Se você entende, vai dar umas boas risadas.

.

Atenção: Eu não possuo direito autoral sobre nenhuma das imagens aqui postadas; retirei todas do Google Images e nem todas possuíam créditos. Se você é dono de alguma delas, me avise eu as retirarei.

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…