Pular para o conteúdo principal

George Harrison

Talvez o único guitarrista-solo da história do rock que não agia como tal. O pioneiro em incorporar elementos orientais à música ocidental, devido ao seu envolvimento com a Índia. Um compositor talentoso que foi ofuscado pelos colegas de banda. Um apaixonado por Fórmula 1. Convertido ao Hare Krishna e um lutador ativo pela paz.





Hoje fazem apenas 8 anos da morte de George Harrison... "the quiet Beatle".



Vida:

• George Harrison foi o único Beatle que nasceu em uma família normal e sem conflitos internos. Era também o caçula de todos, e ainda era menor de idade quando os Beatles começaram (tinha 16 anos), e o preferido das mulheres, na época.

• Quando crianças, ele e John Lennon estudaram na mesma escola; mas, como John era mais velho e estava 3 anos na frente, eles nunca chegaram a se encontrar lá. George sempre foi um garoto meio rebelde e independente, e seus antigos colegas de escola dizem que ele sempre teve cabelo comprido, antes mesmo da moda começar (moda, aliás, que surgiu justamente com a banda dele), além de sempre se vestir de maneira não-convencional aos padrões das escolas.




 • Enquanto nos Beatles, casou-se com a modelo Pattie Boyd (que conheceu durante as gravações do filme A Hard Day's Night), a quem dedicou a mais bela canção que já compôs (e uma das mais belas do gênero), Something. Infelizmente, o casamento não durou muito, pois Pattie era apaixonada pelo melhor amigo de George, Eric Clapton, que sempre nutriu uma paixão secreta por ela. George consentiu em deixá-la ir e inclusive compareceu ao casamento (e até tocou!) dos dois (que também não durou muito). Anos depois, George casa-se com a secretária da sua gravadora, a mexicana Olivia Arias, mãe de seu único filho, Dhani Harrison.


George & Pattie


Olivia & Dhani


• Com o final dos Beatles, George fez o que não via a hora de fazer: gravou todas as músicas que tinha feito e lançou como um projeto novo, com outros músicos. Enquanto estava nos Beatles, ele não tinha muita liberdade de composição (dominada por Lennon e McCartney), embora tenha conseguido lançar com a banda alguns clássicos como a já citada Something, e While My Guitar Gently Weeps, Within You Without You e Here Comes The Sun. Sua carreira solo foi bem sucedida e, além disso, ajudava e apoiava outros artistas, como o grupo inglês de comédia Monty Python e inclusive os próprios ex-colegas de banda. Também mexeu um pouco com cinema e foi ativista pela paz em Bangladesh, promovendo com seus amigos um concerto beneficente onde a renda iria toda aos abrigos dos refugiados da guerra.

• No fim de 1999, um maluco invadiu a casa de George e o atacou com uma faca de cozinha, desferindo sete golpes. Olivia conseguiu deter o homem e chamou a polícia a tempo. Desde então, George evitava sair de casa quando podia.




Morte:

• George morreu em novembro de 2001, aos 58 anos, de um câncer no pulmão. Ele já havia sido operado anos antes de um câncer na garganta, mas o câncer retornou, deixando tumores inclusive no cérebro. George faleceu em casa, ao lado da esposa e filho e dois amigos Hare Krishna, que cantavam para que ele partisse em paz. Suas últimas palavras foram:

"Tudo no mundo pode esperar; a busca por Deus, não" 
e

"Amem uns aos outros"

• George foi cremado e suas cinzas foram jogadas no rio Ganges, na Índia, como manda a tradição hindu.

• Deixou uma herança generosa, que ficou toda para sua esposa e filho, e outra parte que foi doada ao Hare Krishna e outras instituições. Como legado, além da música e das obras, deixou uma fundação sua, a Material World Charitable Foundation, que ajuda crianças com necessidades especiais que querem entrar no mundo da arte.

• Apesar do fim turbulento dos Beatles, George sempre manteve contato e amizade com os ex-colegas de banda, de modo que sua morte foi muito sentida por eles e suas famílias. Paul, na ocasião, declarou que estava "devastado e muito, muito triste" e que "George sempre foi e sempre será meu irmãozinho".








Pergunta idiota...

Qual de vocês na verdade é careca?
George: - Somos todos carecas. E eu sou surdo e mudo.

... resposta à altura xD

.


Fontes consultadas incluem a página do artista na Wikipedia (entre outras), páginas da BBC News, matéria do site HitsUSA, o site Beatles Timeline, a revista Showtime #59 e o livro Beatles Por Eles Mesmos, da Editora Martin Claret. Texto escrito e desenvolvido por Emmanuella Conte ©, em 17/10/09.

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…