Pular para o conteúdo principal

Oasis Collaborations

Ok, esse post vai ser mesmo mais pra mim, mas é como eu costumo dizer: pelo menos tenho onde achar as informações mais fácil, agora :B

Não sei mais quantos CDs eu tenho, entre os originais e os que gravei pra limpar o PC. Última vez que eu contei, já tava pra lá de 600; agora, então, perdi a coragem de contar. O problema é que acabo ouvindo pouco alguns deles e até tem uns que eu nem lembrava mais que tinha. Resolvi, então, seguir uma ordem e ouvir tudo isso de novo.

Comecei pelo estojo de bootlegs do Oasis. Bootlegs, como vocês sabem, são gravações não-oficiais de demos, de faixas não-lançadas (as "raras") ou de apresentações ao vivo. Dentre eles, tem um que é bastante conhecido entre os fãs de Oasis; um conjunto de 5 CDs chamado "Oasis Collaborations": uma compilação de várias gravações, ao vivo ou em estúdio, de músicas de outros artistas que têm um dedinho do Oasis - seja cantando, tocando, um remix, fazendo um cover ou mesmo colaborando na composição. Aparecem aqui também músicas deles mesmos com participação de outros artistas.

Quando gravei, porém, dei uma bagunçada na coisa; como tinha muita parceria Noel Gallagher & Paul Weller, deixei todas elas num CD só. Aqui vou dar destaque às colaborações que eu mais gosto, dentre as demais; é uma lista bem interessante (as com Paul Weller fica pra outra vez):



This Guy's In Love With You - Burt Bacharach & Noel Gallagher



Queria que houvesse um vídeo dessa apresentação. Essa música é composição do pianista, cantor e compositor Burt Bacharach, de quem o Noel é fã confesso. O rosto de um Burt mais jovem foi imortalizado na capa do primeiro álbum do Oasis, Definitely Maybe (no quadro encostado no sofá, à esquerda). Recebeu vários covers. Esta apresentação aqui foi em 1996, no London Festival Hall, com Gallagher nos vocais e Bacharach no piano e conduzindo a orquestra.


Queria muito ver o Noel cantando sem ter nada pra tocar, deve ser engraçado.



Stop Me If You Think You've Heard This One Before - Chris Martin & Noel Gallagher



Essa versão acústica do sucesso do The Smiths aconteceu num evento beneficente em Londres, em 2002; uma das quatro músicas que Noel tocou com o vocalista do Coldplay, Chris Martin (preciso falar, Live Forever na voz dele ficou uma merda; pronto :x). Aqui parece que o Noel só lembra da letra quando começa "who said I lied, because I never, I never". UHAUHA



Scorpio Rising - Death in Vegas (feat. Liam Gallagher)



Essa faixa faz parte do álbum de mesmo título (lanç. 2002) da banda Death in Vegas, que conta com os vocais de Liam Gallagher nesta.



Keep What Ya Got - Ian Brown (feat. Noel Gallagher)



Música do quarto álbum solo do ex-vocalista da extinta The Stone Roses (banda na qual o Oasis se inspirou profundamente), Ian Brown, esta conta com Noel Gallagher na guitarra principal - ele até aparece no clipe, oh!



I'm Only Sleeping - Noel Gallagher, Gem Archer & Stereophonics



Não consigo encontrar a data disso e nem que raio de evento cheio de celebridades foi esse. Lembro que tinha algo a ver com tributo a John Lennon, ou não. Enfim, aqui Noel e Gem se juntam ao Stereophonics pra esse cover dos Beatles. Achei legal como o Gem fez o solo, já que na gravação original o solo de George Harrison foi gravado de trás pra frente :)



Come Together - Paul McCartney, Paul Weller & Noel Gallagher



Se existem vídeos que definem a palavra "ÉPICO", este com certeza é um deles. Aqui Gallagher e Weller se juntam a McCartney para gravar este clássico dos Beatles, pra um álbum beneficente que foi lançado em 1995. No álbum, este trio peculiar foi nomeado como "The Smokin' Mojo Filters". (alguém mais percebeu o Johnny Depp no vídeo, aos 1:22?)



Freelove Freeway - Ricky Gervais & Noel Gallagher


(começa aos 1:15)

Ok, essa também me pegou: eu não fazia ideia que o Ricky Gervais cantava!! Você deve se lembrar dele como o curador do museu em Uma Noite No Museu. Pelo que descobri, essa música foi tocada pela primeira vez num episódio de um seriado que Gervais atuava, The Officer; onde o personagem dele chega e a canta. Em 2004, ela foi realmente gravada em estúdio com a participação de Noel Gallagher. E essa vai correndo pro meu iPod!



Day Tripper - Ocean Colour Scene, The Real People & Noel Gallagher



Nem tava pensando em citar mais esse cover dos Beatles mas, depois de ver o vídeo, mudei de ideia. Olha essa bagunça: tem gente de três bandas diferentes aí! O riff original recebeu uma leve mudança e ficou ainda mais matador. Isso tá muito rock'n'roll! (na verdade, a versão que tem no bootleg tem ainda a participação do Liam, mas não consegui achar o vídeo)



Won't Get Fooled Again - The Who & Noel Gallagher



Esse é um clássico que eu felizmente tenho imortalizado em DVD! Eu amo cada segundo dessa apresentação. Curioso aqui é que o baterista do The Who então, Zak Starkey, anos mais tarde se juntou ao Oasis... E depois voltou ao Who, mas enfim. hauha O mais legal aqui é que o Noel meio que improvisa o riff em "pick up my guitar and play/ just like yesterday", ficou uma coisa super épica. Essa apresentação aconteceu em 2000 e fez parte de um show beneficente organizado pelo The Who com participação de vários convidados, em prol do Hospital do Câncer para crianças e adolescentes, e acontece todo ano desde então.



É isso, povo, espero que tenham curtido. Vou me dar à liberdade de comentar ainda duas coisas:
• Ninguém chama o Liam pra nada;
• Noel participa de mais coisas beneficentes do que qualquer um de vocês imagina. Ele só não dá uma de Bono Vox.

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…