Pular para o conteúdo principal

Os animais mais velhos do mundo

Só antes,

PESSOAS!

Seguinte, por sugestão da Denny (e depois de muito trabalho gzuis), inseri ali no menu à direita uma caixa de cadastro. É coisa simples: às vezes você não quer ou esquece ou não pode, whatever, vir sempre ao blog mas não quer perder os posts. Entããão, ao cadastrar o seu email ali, você começa a receber meus posts no seu email, dae não precisa ficar vindo aqui, a não ser que queira. Simples, né?
Então basta escrever ali o seu endereço de email e depois confirmar a inscrição (que vai ser mandada ao seu email). A partir do meu próximo post, você já começa a receber! :)

Valeu pela dica, Dê! :*



.

Outra matéria que li há uns dias e decidi dividir com vocês.

Sempre que falamos em "os seres vivos mais antigos do planeta", geralmente nos referimos à árvores centenárias e fungos (cogumelos) ou coisas assim. Mas às vezes um ser vivo não precisa ser centenário para ser o mais velho do mundo - somente o simples fato de viver mais do que a expectativa de vida da espécie já é um grande feito.

Vamos conhecer aqueles que conseguiram ultrapassar a linha vermelha dessa longa e incerta vida no nosso planetinha:


Jonathan, a tartaruga



Sabemos que tartarugas vivem absurdos, mas essa é provavelmente a mais velha do mundo. Com incríveis 177 anos (aproximadamente), Jonathan habita até hoje a ilha de St. Helena, no Oceano Pacífico, sendo seu habitante mais antigo.  Ele  é o único sobrevivente de 3 tartarugas que chegaram à ilha em 1882, e já era adulto na ocasião, com cerca de 50 anos. Propriedade do Governo de lá, Jonathan se alimenta da horta local.



Ming, o molusco



O recorde de ser vivo que viveu mais tempo pertencia a um molusco que viveu cerca de 200 anos. Recorde que depois foi quebrado pela descoberta de outro molusco que havia vivido cerca de 370 anos... Mas os dois coroas tiveram seu recorde quebrado por Ming (Arctica islandica), o molusco encontrado nos mares da Islândia e que até então já estava vivo há cerca de 400 anos. Recebeu o apelido Ming porque "presenciou", entre outros feitos históricos, toda a dinastia Ming que imperava na China. Ming é comprovadamente o animal ainda vivo mais antigo do planeta.



George, o coelho



Tentei e tentei saber se esse coelho ainda anda vivo, mas não acho nada sobre o George. Ele entrou  ano passado para o livro Guinness dos Recordes como o coelho mais velho do mundo, com 14 anos. Infelizmente (para ele e seus donos), seu recorde já foi batido por uma coelhinha chamada Hazel que, segundo os donos, tem cerca de 16 anos. Pode não parecer muito para nós, mas a expectativa de vida de um coelho está entre 6 e 8 anos; o que faz com que George possua, em comparações humanas, cerca de 160 anos. George é americano e Hazel é britânica.



Spike, o gato



Spike, embora não caminhe mais entre nós, ainda segura o recorde do gato mais velho do mundo. Morreu dois meses depois do seu aniversário de 31 anos, em 2001. Ele foi comprado por uma ninharia em uma loja em Londres, em 1970. Aos 19 anos, quase morreu quando foi atacado por um cachorro. Quase. :)



Bella, a cadela



Bella foi uma labradora inglesa que viveu, até setembro do ano passado, até os 29 anos de idade.



Tish, o peixinho-dourado



Tish, pelo fato de ter vivido tanto, talvez seja o único peixe-dourado do mundo que ficou prateado :D HUAHAUh
Ele bateu a incrível marca dos 43 anos. Sua dona o ganhou em uma feira em 1966.



Para ver esses e outros recordistas, veja a matéria original seguindo o link.

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…