Pular para o conteúdo principal

Terminei de ler a bíblia.


Que vergonha levar 3 meses pra ler um livro de quase 1000 páginas, mas a verdade é que eu não queria terminar ele nunca. E o pior é que a pamonha mole aqui chorou no final! Sim, a pamonha mole sabe exatamente como a história acaba, sabe de cada briga, de cada morte, de cada decepção, e ainda assim chora. O quão retardado é isso?

Ao longo desses 3 meses, fui comentando sobre trechos do livro, principalmente sobre a discreta parcialidade do autor quanto a Paul McCartney. Outros posts que eu fiz sobre a banda tiveram influência da leitura, e outros tantos ainda terão - será uma eterna fonte de pesquisa. 


PRÓS: A riqueza de detalhes é impressionante, você se sente como se estivesse lá, olhando pra tudo aquilo e vivenciando cada conversa. O autor gastou sete anos entre pesquisas, entrevistas e levantamento de dados para fornecer informações precisas de datas, locais, pessoas e citações. Ele pesquisou a origem das famílias, deu uma aula de história sobre Liverpool, explicou o comportamento típico dos anos 50 e 60. Embora eu já soubesse o suficiente pra uma beatlemaníaca fora de época, essa pesquisa detalhada me abriu os olhos quanto a certos comportamentos dos Fab Four (que eles não eram rapazes comportados, de maneira alguma!); me tirou algumas dúvidas em relação a alguns acontecimentos (como em Hamburgo, fase que definiu a banda); me fez rever conceitos sobre muitas pessoas (principalmente John Lennon, Yoko Ono - que eu juro que tava tentando ver de uma maneira mais humana -, e Brian Epstein); me fez entender cada detalhe do mito que foi criado em cima da banda. Tudo.

CONTRAS: Li críticas na internet de que o autor falha com datas e citações, mas creio que depois de tanta pesquisa seja meio improvável que ele tenha errado tanto como dizem. De qualquer forma, são detalhes que não fazem tanta diferença nos acontecimentos. Pra mim, o único defeito do livro é que, de certa altura até o final, ele começa a correr com a cronologia, como se não visse a hora de acabar. Algumas coisas que ele poderia levar mais tempo explicando, ele contou como quem comenta o que comeu no almoço (a teoria Paul is Dead e o Show no Telhado, por exemplo). Mas eu sei que se ele fosse entrar em mais detalhes, esse livro seria absurdamente extenso e cansativo...


O livro é uma biografia dos Beatles enquanto banda, então nada do que foi feito após o rompimento foi citado. A história de cada um deles é contada desde seus avós chegando à Inglaterra; e o livro termina exatamente neste ponto:



Quando Paul vai a público dizer que a banda havia terminado por "tempo indeterminado" - deixando John Lennon muito puto, por assim dizer. John já havia abandonado a banda há muito tempo, quando decidiu viver apenas para Yoko Ono e a heroína. Mas nunca pensou em avisar ninguém sobre isso. Paul tentou manter a banda unida como pode, mas George e Ringo já estavam cansados das tentativas e o deixaram sozinho. O que ele fez? Disse que a banda tinha acabado (ou ele ia deixar as pessoas esperando?). Nisso, todos passaram a acreditar que o responsável pelo fim da banda havia sido ele e seu imenso ego, o que deixou John particularmente zangado; afinal, ele queria ser o estraga-prazeres de um mundo todo: "Ah, meu Deus, agora ele vai receber todo o crédito!". E fechou com a máxima:

"É isso, meus queridos, vocês vão ter que continuar. O sonho acabou."

Mas a lenda tinha apenas começado.

Postagens mais visitadas deste blog

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Conhece o teste de personalidade Myers-Briggs?

O MBTI (Myers-Briggs Type Indicator) é um teste psicométrico altamente difundido pelo mundo, embora não seja completamente validado pela psicologia.
Baseadas nas teorias tipológicas propostas originalmente por Carl Jung, Katherine Briggs e sua filha Isabel Myers desenvolveram este indicador na época da Segunda Guerra com a intenção de que, com tal teste, as mulheres descobrissem que trabalhos poderiam desempenhar com mais eficiência e conforto de acordo com os aspectos das suas personalidades. 
O teste considera 16 tipos de personalidades, representados por siglas que são combinações de quatro dicotomias. São elas:


EXTROVERSÃO x INTROVERSÃO SENSORIAL x INTUIÇÃO RAZÃO (Thinking) x SENTIMENTO (Feeling) JULGAMENTO x PERCEPÇÃO

Os 16 tipos são, portanto (clique para ampliar):



Ao realizar o teste, que consiste de várias perguntas a respeito de suas preferências pessoais, o indivíduo é apresentado a um relatório com a sigla das quatro dicotomias que representam seu tipo de personalidade. Um tes…