Pular para o conteúdo principal

Oasis: "Standing On The Shoulder of Giants" - treinando minhas habilidades resenhísticas.

Me deu uma louca vontade de ouvir este álbum, semana passada, então ouvi. Eu sempre esqueço o quanto ele é bom, embora a maior parte dos fãs o considere um dos piores (eu e minha linda mania de amar o odiável ).

(deixei grandão porque vou falar da capa também)

O Álbum:

► Lançado em 28 de fevereiro de 2000; gravado no ano anterior metade na França, metade na Inglaterra. É o quarto álbum da banda e ocupa a posição #16 no ranking dos álbuns vendidos mais rapidamente na história do Reino Unido; tendo vendido cerca de 310.000 cópias na primeira semana.

► No ano anterior, a banda perdeu dois membros: Bonehead e Guigsy, respectivamente guitarrista e baixista; de forma que a gravação do álbum ficou toda por conta dos irmãos Gallagher e o baterista Alan White. Noel gravou praticamente todos os instrumentos do álbum, além de cantar algumas das músicas e ainda cuidar da produção. Outros músicos foram convidados para a gravação de instrumentos especiais e corais (digo que o Liam contribuiu com vocal e pandeirinho, ou já não preciso mais?).

► A temática e sonoridade deste álbum são o divisor de águas na história do Oasis. Enquanto os álbuns anteriores continham letras positivas e otimistas, Standing on the Shoulder... vê uma posição mais negativa e pessimista; sendo considerado o álbum com o clima mais "pesado" e "obscuro" da banda. Alguns atribuem a mudança à perda dos membros originais da banda e ao fato de Noel estar abandonando as drogas durante o processo criativo do álbum.

► O nome do álbum vem da célebre frase de Isaac Newton, "Se eu consigo ver mais longe do que os outros, é só porque estou sentado nos ombros dos gigantes". Noel viu essa frase numa moeda de £2 e a anotou numa carteira de cigarro, achando que serviria como nome do álbum. Como não estava lá muito sóbrio, errou a citação e, ao invés de escrever "shoulders" no plural, escreveu apenas "shoulder". Ele manteve a versão errada para nomear o álbum.

A Capa:

► A foto da capa foi tirada e manipulada pelo fotógrafo Simon Halfon. É a cidade de Nova York vista do terraço do Rockefeller Center. Pode-se ver ao centro o Empire State e, lá atrás, as torres-gêmeas. Esta foto tem um efeito bastante especial, pois é impossível dizer a que hora do dia ela foi tirada. Para conseguir este efeito, Simon Halfon fotografou o mesmo cenário a cada meia hora durante 18 horas do mesmo dia (num total de 36 fotos), e depois as sobrepôs digitalmente.

As Músicas:

Vou falar de todas as faixas. Eu realmente acho todas as letras geniais.

Todas as músicas são de Noel Gallagher, exceto onde citado:

1. Fuckin' In The Bushes. É uma faixa instrumental que contém uma vinheta retirada do documentário Message to Love. A crítica aclama a faixa como "o mais perto que o Oasis chegou do Hard Rock", devido aos riffs de guitarra semelhantes aos do Led Zeppelin. (quase escolhi essa pra tocar na minha formatura DIK)

-the kids are running around naked, fuckin' in the bushes!

2. Go Let It Out. Primeiro single, foi #1 nas paradas britânicas. Fala como você tem que, de alguma forma, superar as adversidades do destino e levar sua vida pra frente. Quando o vídeo foi filmado, a banda já havia encontrado um novo guitarrista, mas não ainda um baixista; de forma que no clipe vemos Gem Archer como guitarra principal, no lugar de Noel, e Noel no baixo (e devo dizer que a linha de baixo dessa música me dá vontade de aprender a tocar xD).

-the right time is always now.

3. Who Feels Love?. Segundo single, não foi tão bem sucedido quanto ao anterior (ou todos os anteriores), em posição no ranking e em vendas, e também não foi bem recebido pela crítica. É uma das faixas psicodélicas do álbum, com um clima indiano típico de George Harrison. O vídeo foi filmado num dos desertos da Califórnia. E eles já tinham Andy Bell no baixo.

-now there's a million years between my fantasies and fears: I feel love.

4. Put Yer Money Where Yer Mouth Is. Não tem muito o que dizer sobre essa faixa. Tem uma batida bem rock'n'roll e uma letra que ninguém entende, haha. 

5. Little James. A única música do Liam deste álbum, e a primeira composição dele a aparecer num álbum do Oasis. Liam fez essa música para seu enteado (filho do primeiro casamento da sua então esposa, a atriz Patsy Kensit). Essa faixa é estraçalhada pela crítica e pelos fãs, por ser "bobinha demais" e praticamente uma edição revisada de Beautiful Boy, de John Lennon (lembro que havia um tópico no fórum oficial do Oasis chamado: "Does James suffer bullying at school because of 'Little James'?" - RINDOALTO).

-I'm singin' this song for you and your mom, and it's all.

6. Gas Panic!. Uma das preferidas dos fãs. É outra das faixas psicodélicas, com uma letra paranóica e perturbadora. É sobre as crises de pânico que Noel tinha quando ainda usava drogas.
-'cause my family don't seem so familiar, and my enemies all know my name.

7. Where Did It All Go Wrong?. Outro single; cantada pelo Noel porque "o Liam não conseguiu". Fala sobre um círculo de amizades que não lhe fazia muito bem. O vídeo é interessante, Noel gansa lindamente na vida alheia.

-do you keep the receipts for the friends that you buy?

8. Sunday Morning Call. Último single, mais uma cantada pelo Noel, uma das minhas favoritas do álbum. Com uma letra bem pessimista e de uma melodia triste; o vídeo se passa num hospício e faz referência ao filme Um Estranho No Ninho. Destaque para Liam Gallagher tocando piano como uma velha de 100 anos.

-'cause it never, never, never works out right...

9. I Can See A Liar. Também não tem muito o que falar sobre ela. Os fãs não gostam muito, embora todos concordem que ela tem uma energia bem legal.
-I wonder what he thinks of me?

10. Roll It Over. Minha outra favorita. Essa música é épica, ela tem um solo brisante de tirar o fôlego e um coral que dá o efeito especial de melancolia à música. E a voz do Liam tá ótima, aqui.
-try to sit with me around my table, but never bring a chair.


(ficou uma mistura linda de players, mas não achei todas as músicas no YouTube)
E aqui termino o post. Muito obrigada pela atenção.

.

Fontes consultadas incluem a página do álbum na Wikipedia, o encarte do álbum e as centenas de audições do mesmo.

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…