10/03/2010

Pandora Lennon, A Recusa de Darwin e A Lenda de George.

Antes da piração, uma breve nota:
Povo já tá com medo do Akinator, né? HAHA eu também.

Aproveitar pra agradecer a galera que divulga os posts (por Twitter ou outros meios); fico toda feliz em saber que tem coisa aqui que vale a pena repassar! :)

.

Achei uma porção de brincadeiras legais neste blog; resolvi fazer esta primeiro:


1. Procure a prateleira mais próxima com os seus livros favoritos - livros de receitas, manuais de instruções, revistas, não importa. Qualquer coisa impressa serve. Se você não tem livros em uma prateleira, junte os primeiros sete livros que vir pela casa.

2. Livro #1: Vá para a página 21. Leia a 5ª frase completa (ou seja, até o ponto final). Escreva-a.

3. Faça o mesmo com todos os livros que você juntou. As frases vão formar um parágrafo. Você tem que escrevê-las na ordem em que as achou.

4. Quando terminar, leia a sua história e dê a ela um nome. 

5. Nos mostre sua bibliografia no fim deste post. Talvez você fique surpreso com o que lê. Não trapaceie!


Vejamos o que sai:




"Afora o ressentimento que perdurou em razão dessa circunstância, a consciência que John tinha de seu pai passou a ficar ano a ano mais fraca.[1] Uma outra versão é a de que Pandora foi mandada por Júpiter com boa intenção, a fim de agradar ao homem.[2] Na época de Darwin, esse aspecto da teoria de Lamarck não foi aceito de um modo geral, mas praticamente todos os cientistas acreditavam que os caracteres adquiridos por uso ou desuso podiam ser transmitidos hereditariamente.[3] No inverno de 1871, George e Eliza tinham, como era típico dos habitantes das regiões mais sórdidas da Londres vitoriana, uma família muito considerável: seis filhos, numa ordem que ia de Claire, com quase 13 anos, até Freddy, de 12 meses.[4] Visto que a vida da maioria dessas celebridades é baseada em relatos de excessos  e bizarrices diversas, não é de se admirar que os conspirólogos tenham encontrado terreno fértil para a criação dessas lendas.[5] Um dos diversos problemas dessa abordagem é sugerido pelos versos de "Strawberry Fields Forever": "Ninguém, eu acredito, está na minha árvore; quero dizer que ninguém deve ser superior ou inferior".[6] Desculpem o pequeno atraso.[7]"

#1. "The Beatles, a biografia", de Bob Spitz. Capítulo: "Uma educação adequada".
#2. "O Livro de Ouro da Mitologia", de Thomas Bulfinch. Capítulo: "Prometeu e Pandora". (tive que usar a pág. 22, porque a 21 tem apenas uma ilustração de página inteira)
#3. "A Origem das Espécies", de Charles Darwin. Introdução por Richard Leakey.
#4. "O Professor e o Demente", de Simon Winchester. Capítulo: "A calada da noite Em Lambeth Marsh".
#5. "Segredos e Lendas do Rock", de Sérgio Pereira Couto. Capítulo: "Paul McCartney e Lou Reed: boatos de mortes misteriosas". (novamente precisei usar a pág. 22, pois a 21 só contém uma lista de canções)
#6. "Os Beatles e a Filosofia", de Michael e Steven Baur. Capítulo: "E chegará o tempo em que veremos que todos somos um: Os Beatles e o monismo idealista".
#7. "Só Pirando", de Andy Griffiths. Capítulo: "Expulsem-me". (o único livro fictício da lista, e o mais inútil ever!!! muito engraçado, recomendo)


Então, se posso arriscar uma sinopse/interpretação;

Não adianta, minha história acaba girando em torno de John Lennon. E o mais impressionante de tudo é que ali pelo meio é citado um Freddy, que não tem nada a ver com Lennon, mas o nome do pai dele coincidentemente era Freddy! @.@ Enfim, não quero pensar no estrago que seria John Lennon e Pandora casados (segundo fato interessante: estou ouvindo música em forma aleatória e acabou de começar uma música de John Lennon chamada "Scared"!!! Acho que isso traduz a minha indagação)... Pelo que parece, o casal foi apresentado por Lamarck, coisa que Darwin não aprovava, aparentemente temendo os filhos deste relacionamento.

A lenda diz que George teve 6 filhos, o que se sabe que é mentira - não apenas pela letra de Strawberry Fields Forever, mas também pelo sabido fato de que George (Harrison, no caso :B) foi o beatle que menos teve filhos (apenas um). O atraso eu deixarei para que vocês interpretem (aka "estou sem ideias", haha).

{ Sim, minha imaginação me assusta.

Ah, claro. O nome do livro está no título do post e, como eu sou bem desocupada, fiz até uma capa pra ele:

crédito à Giuli que fez os cortes das imagens pra mim - o resto foi eu meeerma.

3 comentários:

  1. Nooooossa cara, muito boa essa brincadeira. E se uniu à sua enorme criatividade, adorei! rsrsrs

    Fiquei com vontade de fazer pra ver no que dá! shauhsuahs

    ;**

    ResponderExcluir
  2. Na boa, aquele bicho (Akinator), dá o maior medo. Ele acertou até com o Dom Corleone! Mas errou duas vezes até acertar com a Wendy Watson e consegui vencê-lo duas vezes, uma com a Mina Murray e outra com o Chas Chambler.

    Ah, a minha ficou muito tosca hhh

    ResponderExcluir
  3. Hahah, Manu se empenha toda nesses jogos, fez até a sinopse e a capa. O.O

    Bom, esse eu pilhei de fazer e, confesso que quaase trapacei, hahah. Acabei pegando um trecho que pode pegar mal, vc vai pensar "Que porra de livros esse mlk lê?". UAHauhauehe, mas antes que tire conclusões erradas, explico que é de um livro de contos do Chuck Palahniuk (ficou famoso dps de Clube da Luta), e alguns são beem doentes e pesados.
    Lá vai:

    “Vem uma bobagem qualquer, a coisa mais vulgar do mundo, e pode estragar uma idéia! Que eles batem punheta com a vareta lá dentro, e que é muito melhor gozar assim. Aí então um bando de negros Muçulmanos veio correndo com carrinhos de mão pintados com uma tinta branca pastosa e grudenta, como se tivesse sido misturada com merda de galinha, cada carrinho trazendo um montão de pernas de porco boiando no meio de um sangue ralo e aguado. Isto implicava que nada precisava necessariamente girar em torno da Terra, como Aristóteles e Ptolomeu haviam pensado. Viajava para muitos países, era linda e progredia. Estava com medo – medo de não ser aceito e medo de fracassar. Você diria que o adultério adulto ganha do adultério adolescente com uma mão nas costas, mas você estaria errada.“


    1° - Crime e Castigo – Fiódor Dostoiévski
    2° - Assombro – Chuck Palahniuk
    3° - Crônica de um amor louco – Bukowski
    4° - Uma Breve História do Tempo – Stephen W. Hawking
    5° - Trilogia Suja de Havana – Pedro Juan Gutiérrez
    6° - A Hora da Verdade: O Clássico sobre liderança que Revolucionou a Administração de Empresas – Jan Carlzon (O nome do livro é grande assim mesmo)
    7° - Alta Fidelidade – Nick Hornby

    ResponderExcluir

Bom senso, respeito e educação são esperados e sempre bem-vindos nos comentários. Obrigada pela visita!