30/07/2010

5:

Isso mesmo, Tim. Cinco.

5 Pessoas Famosas Que Eu Convidaria Para um Jantar ou Festa dos Sonhos (vivas ou mortas):

1. Joe Strummer (The Clash)
2. George Harrison
3. John Lennon
4. Tomas Kalnoky (Streetlight Manifesto)
5. Paul Simonon (The Clash)

Se liguem que eu imaginei a cena toda. Joe e John travariam uma discussão épica sobre política, falariam mal dos EUA e opinariam sobre leis e coisas condizentes à sociedade. George e Tomas iam falar sobre religião e espiritualidade, George provavelmente diria ao Tomas pra deixar de ser tão paranoico a respeito da morte e do que vem a seguir. Nesse meio tempo, John já ia ter perdido a paciência com o Joe, porque o John é meio esquentadinho demais e em algum ponto da discussão eles iam discordar em algo; isso sem falar da Yoko, que chegou de penetra no meu jantar privativo. É nessa hora que o George acaba indo embora, e a Yoko senta no lugar dele (qualquer semelhança com as gravações do Let It Be não é mera coincidência). Onde o Paul Simonon entra? Oras, eu tinha que me distrair com algo bonito no meio dessa confusão toda ;)


5 Bandas/Músicos Que Tenho Ouvido Bastante, Ultimamente:

1. The Clash
2. The Who
3. Paul McCartney
4. George Harrison
5. Joe Strummer & The Mescaleros

5 Coisas Em Que Sou Viciado:

1. Ler sobre as minhas bandas favoritas
2. Ouvir música
3. Postar no Tumblr o.o
4. -
5. -

5 Maiores "Celebrity Crushes":

1. Paul Simonon
2. Johannes Strate
3. Brian Fallon
4. Mike Ness
5. Jensen Ackles
6. Ali Tabatabaee

6 porque eu posso ;*

5 Músicas Que Não Consigo Parar de Ouvir, Recentemente:

1. Freunde bleiben - Revolverheld
2. The Receiving End of It All - Streetlight Manifesto
3. Far Away - The Methadones
4. Bridge Over Troubled Water - Simon & Garfunkel
5. Christmas - The Who

5 Aspectos Sobre o Seu Futuro dos Sonhos: 1 Trabalho/2 Cidade/3 Carro/4 Parceiro/5 Animal de Estimação.

1. Algo que eu tenha que pesquisar e escrever muito.
2. -
3. Não ligo, não sei dirigir mesmo e não tenho vontade.
4. -
5. Posso continuar com a minha Akira, mesmo?

5 Coisas Que Sempre Me Animam:

1. Cinema
2. Reel Big Fish
3. Likes/Reblogs no Tumblr (HUAHAUHAHUAAH vida social = 0)
4. Akira/gatos
5. Ver a Garotones ao vivo \o/

Coloque seu player no aleatório - Quais são as 5 primeiras músicas que aparecem?

1. 48 Hours - The Clash
2. Please Please Me - The Beatles
3. What Ever Happened to Philthy Phil - The Queers
4. Roll With It - Oasis
5. Drinking For 11 - Mad Caddies

.

Melhor fazer isso do que o que eu tava a fim de postar.

28/07/2010

A chamada "The Jesus Controversy" faz anos.

"O Cristianismo passará. Vai sumir e encolher. Não preciso discutir sobre isso. Estou certo e serei provado disso. Nós somos mais populares do que Jesus, agora. Eu não sei o que vai sumir primeiro, o rock'n'roll ou o Cristianismo. Jesus era legal, mas seus discípulos eram estúpidos e ordinários. É o que eles distorceram que arruina tudo pra mim."

Acredito que todos aqui já tenham ouvido falar na famosa polêmica que essas palavras de John Lennon provocaram, quando saíram na revista americana DATEbook, em 29 de julho de 1966. A declaração gerou revolta em muitas pessoas que já procuravam motivos para desaprovar a influência que a banda exercia na juventude da época, e inclusive em muitos fãs. Depois dela, discos foram queimados em praça pública, shows foram boicotados, as músicas foram banidas das rádios de vários países e a banda mesmo recebeu ameaças de morte, inclusive, acreditem, da Ku Klux Klan. Este foi um dos grandes motivos pelos quais os Beatles encerram suas turnês em 1966 e nunca mais tocaram juntos em público até o fim da banda, em 1970.

Logo depois de ter dado a declaração, em seu quarto de hotel em Chicago.

Porém, houve muito de má-interpretação nesta infeliz escolha de palavras. A entrevista original foi dada a uma jornalista, amiga da banda, de um jornal britânico no começo do mesmo ano e não houve repercussão alguma sobre ela na Europa, pois a dita declaração fazia parte de todo um contexto que foi simplesmente omitido na publicação americana. A polêmica não teve espaço na Inglaterra pois o Cristianismo estava realmente decaindo na Europa desde a Primeira Grande Guerra, e a Igreja não escondia seus esforços para se tornar relevante novamente.

Obviamente, depois de toda a confusão e prejuízo que a declaração gerou, Lennon se viu obrigado (principalmente pelo empresário da banda, Brian Epstein) a se desculpar publicamente. John aceitou, mas as entrevistas que se seguiram não foram bem "pedidos de desculpa". Soavam mais como uma justificativa. Ele não queria retirar o que disse, queria apenas se explicar.

"Se eu tivesse dito que a televisão era mais popular do que Jesus, eu teria escapado disso tudo. Vocês sabem, mas como aconteceu de eu estar conversando com uma amiga, eu usei a palavra 'Beatles' como uma coisa remota - não como o que EU penso dos Beatles ou como as outras pessoam veem a gente. Eu só disse que eles estão tendo mais influência nos jovens e nas coisas do que qualquer outra coisa, incluindo Jesus. Mas eu disse isso daquele jeito, que foi o jeito errado."

"Originalmente eu estava apontando o fato me referindo à Inglaterra - que nós significávamos aos jovens mais do que Jesus significou, ou a religião, naquela época. Eu não estava criticando negativamente ou tentando derrubar, só estava dizendo aquilo como um fato. E é mais ou menos verdade, especialmente mais na Inglaterra do que aqui. Eu não estava dizendo que nós éramos melhores, ou maiores, ou nos comparando a Jesus Cristo como pessoa ou a Deus como o que quer que Ele seja, sabem. Eu só disse o que disse e estava errado, ou fui interpretado errado. E agora deu nisso."

Sendo, portanto, constantemente pressionado pela imprensa que não queria ouvir suas explicações, apenas o pedido de desculpas oficial, Lennon se dá por vencido:

"Eu não estava dizendo o que quer que eles digam que eu estava dizendo. Na verdade estou até arrependido de ter dito aquilo. Nunca pretendi ser um anti-religioso nojento. Me desculpem, se isso os deixa felizes. Ainda não sei direito o que foi que eu fiz. Eu tentei dizer a vocês o que eu fiz mas se vocês querem que eu me desculpe, se isso os deixa felizes, então beleza, desculpe."

Apesar de tanto esforço por se fazer entender, as coisas nunca mais foram as mesmas para ele ou para a banda. Talvez a maior tragédia que tenha ocorrido em decorrência de tais palavras tenha sido o próprio assassinato de John, em 1980. Mark Chapman, o autor dos disparos que o mataram e dito "cristão fervoroso", disse que se sentiu impelido a assassinar o homem que tanto adorava por causa da sua "blasfêmia" e de músicas como God e Imagine, que, segundo ele, o decepcionaram profundamente.

Em 2008, o Vaticano foi tomado de bondade divina e resolveu perdoar a declaração de John Lennon, sob o argumento de que aquilo foi "apenas uma demonstração de orgulho de um jovem que foi dominado pela fama excessiva". Aproveitaram também para retirar tudo o que diziam a respeito da banda na época, sobre seu comportamento e influência, e até elogiaram suas "belas melodias" e os chamaram de "uma jóia preciosa". John não viveu o suficiente pra receber as boas novas, mas seu amigo Ringo Starr deu uma resposta à altura: "Ué, o Vaticano dizia que nós éramos satânicos e fazíamos coisas satânicas, e agora quer nos perdoar? Desculpem, acho que vocês têm coisas mais importantes do que os Beatles com o que se preocupar".

.

É importante que se entenda que nem John Lennon e nenhum dos outros Beatles eram anticristos e tampouco desacreditavam em Deus. Ser contra Deus e ser contra a Religião são coisas diferentes, e isso Lennon fazia questão de deixar bem claro. John tinha suas crenças mas sempre foi um inconformado com muitos aspectos da vida e se questionava sobre muitas coisas, inclusive ele mesmo.

.

FONTES: Beatles Timeline | About | Wikipedia | Telegraph | SPITZ, Bob. The Beatles: A biografia.

26/07/2010

O retorno do Especial Old School [parte... parte... hm]

Tava pensando no que postar hoje... Googlei a data pra saber se era algum dia especial mas só descobri que hoje é aniversário do Mick Jagger, do Roger Taylor (baterista do Queen) e do Rick Martin. Esse povo nem conexão tem um com o outro; embora o Rick Martin tenha saído do armário há uns meses, Mick Jagger tenha tido uns casos extraconjugais com qualquer coisa que se mexesse (inclusive David Bowie) e Roger Taylor tenha ficado uma mocinha bem graciosa no clipe da "I Want to Break Free".

e não ficou mesmo?

E foi aí que eu me lembrei que esta música estava na minha lista de espera pras postagens do falecido Especial Old School! Então farei isso agora — antes tarde do que mais tarde.


24/07/2010

This is a public service announcement (with guitar!)

Esse é um serviço público de notificação
(com guitarra!)
Conheça os seus direitos
Todos os três

Número Um: 
Você Tem o Direito de Não Ser Morto
Assassinato é crime!
A menos que tenha sido cometido por um policial ou aristocrata...
Conheça os seus direitos!

E Número Dois: 
Você Tem o Direito de Ter Dinheiro Pra Comida
Desde que, é claro, você não se importe com um pouco de
Investigação, humilhação
E, se cruzar os dedos, reabilitação.

Conheça os seus direitos
Estes são os seus direitos
Conheça estes direitos!

Número Três: 
Você Tem o Direito de Liberdade de Expressão
Desde que você não seja tolo o suficiente pra realmente tentar isso.

Conheça os seus direitos
Estes são os seus direitos

Todos os três!

(E tem sido sugerido em alguns quarteirões
Que isso não é suficiente!
Bem...
Saia das ruas, corra!)

Know Your Rights
The Clash
@ Combat Rock (1982)






"Era pra ser uma ironia, mas ninguém entendeu isso... o que me deixa zangado até hoje." 
— Joe Strummer

22/07/2010

Ah não, você de novo.

Distrair um pouco das últimas notícias ;(

Aleatório etc.

# 1: Brand New Song // Reel Big Fish
Como você descobriu essa música? Baixando o álbum :B
Ela é boa pra dançar? Claro, ska tá aí pra isso.
Já viu essa banda ao vivo? Nem, e eles podiam voltar logo :(

# 2: Corazon de Oro // Rancid
O membro mais atraente da banda é... COSTUMAVA ser o Tim; atualmente nenhum deles ;~
Essa banda usa um piano? Não... órgão, de vez em quando.
É a sua banda favorita? Uma delas, lógico :D

# 3: Mental Health // Zebrahead
Alguém nessa banda usa barba? Não no contexto completo da palavra...
Você gosta dessa música? Muito!
Tem alguma garota nessa banda? Não.

# 4: Married With Children // Oasis
Essa banda já fez turnê com o Fall Out Boy? WTF
Seu melhor amigo gosta dessa música? Não sei, gosta Lu?
Uma memória com ela: Eu tentava cantá-la, desisti.

# 5: Red Rubber Ball // Streetlight Manifesto
Essa música te faz chorar? Não.
Você tem o CD em que essa música está incluída? Tenho \o/ (99 Songs of Revolution: Vol. 1)
Uma memória com ela: Nada específico, só a galera na comunidade do SM tentando decifrar a capa do CD e tals (a Red Rubber Ball está representada pelo sol).


# 6: Tattoo // Rancid
Esta música te lembra de algum garoto? Deveria, mas só me lembra da minha tatuagem mesmo.
Já a ouviu ao vivo? Nunca.
Qual é a primeira frase? "Well, I heard you say something about friendship and loyalty"

# 7: You've Got to Hide Your Love Away // The Beatles
Qual é o refrão? "Hey! You've got to hide your love away..." várias vezes, hahah
Esta música te faz querer destruir coisas? Hm, não.
As pessoas esperariam que você a ouvisse? Obviamente.

# 8: Straight to Hell // The Clash
Você baixou essa música ilegalmente? Incrivelmente, não. Comprei o CD direto.
Quem te apresentou a banda? Ninguém.
É uma banda cristã? Não envolve religião sob nenhum aspecto.

# 9: Unzertrennlich // Revolverheld
Essa banda usa sintetizadores? Nunca ouvi.
Qual é a sua parte favorita? "Wir sind unzertrennlich, wir sind unvergänglich..." ("nós somos inseparáveis, nós somos imortais..."). Nem pela letra, mais pela emoção imposta, haha
Sua mãe gosta dessa banda? Ela não conhece.

# 10: Johnny Appleseed // Joe Strummer & The Mescaleros
Você já escreveu a letra dela em algum lugar? No Twitter, provavelmente.
Todos os membros da banda ainda estão nela? Não né, Joe resolveu ir ser mito no céu ;(
Essa é a sua música favorita? Não, mas gosto dela.

# 11: Mrs. Vandebilt // Paul McCartney & Wings
Qual é a sua música favorita dessa banda? Provavelmente "My Love".
Essa música tem palavrões? Não õ.o
Já ouviu essa música no rádio? Não.

# 12: Red In The Morning // The Gaslight Anthem
Qual a sua parte favorita? "Say goodbye, say goodbye, give a kiss and a sigh/ Never, never, never bring me back to your mind/ Let me slide, slide, roll off your mind/ Like I was a movie you'd seen"
Essa música fala sobre estrelas? Não.
Quem é o vocalista? Brian Fallon ♥

# 13: Christmas // The Who
Tem algum número nessa música? Não.
Ela é especial pra você por algum motivo? É com certeza a que mais me toca, de toda a trilha de Tommy.
Ela é boa pra um moshpit? Não, HUAH

# 14: You're Tripping // The Queers
Há quanto tempo você gosta dessa banda? Sei lá, deve fazer mais de um ano.
Essa música é sobre uma garota? Não, é sobre como "skinheads" do White Power são retardados (y)
Você já falou sobre essa banda com alguém? Sim, lembre-se.

# 15: Sometimes I Do // Social Distortion
Você a ouve em alguma ocasião especial? Sempre que aparece aqui.
Ela te lembra alguém? Eu mesma :D
Qual é a última frase? "Sometimes I do, and sometimes I don't".

.

O título do post é trecho da primeira música e combina bem com essas coisas retardadas que eu to sempre postando.

18/07/2010

CD Sunday » The Who, "Live At Leeds"

Esse álbum em vinil deve ser uma paulada. O dia que eu for rica e arrumar um vinyl-player e readquirir meus álbuns prediletos em vinil, esse será um deles, for sure. A primeira versão do álbum, em LP, continha apenas 6 músicas. Em 1995 surgiu a versão em CD com muito mais músicas da apresentação. O que eu tenho é a edição deluxe que saiu em 2001, que vem com um disco a mais: a performance ao vivo praticamente na íntegra do álbum Tommy. Essa apresentação em Leeds capta toda a energia que o Who sempre demonstrou em todas as suas apresentações - ainda até hoje, depois de sexagenários. Keith Moon demolindo sua bateria, John Entwistle o acompanhando no baixo, Pete Townshend com medo de não ser ouvido e mandando ver na sua guitarra, e Roger Daltrey simplesmente cantando e gritando sobre tudo isso junto; e tudo numa harmonia inspiradora. O que no começo foi considerado apenas um bootleg (até com a embalagem simples de um), se tornou "o melhor álbum ao vivo de rock", segundo a crítica.



Eu o ganhei de presente de Natal do meu pai, no ano passado, quando fomos passar uma tarde em Goiânia. Infelizmente é o meu único CD do The Who, mais porque nunca vi outros por aí (pela internet até hoje não encontrei nenhum por menos de 40 reais). O encarte é rico em detalhes justamente por ser uma edição deluxe: tem muitas fotos, uma resenha do show, comentário sobre cada faixa do álbum, entrevista com o Pete e o Keith sobre a apresentação e comentário sobre a edição em questão; além de scans da embalagem original do vinil: Pete espirituosamente incluiu na embalagem uma cópia de uma carta de recusa da EMI, entre outras pequenas pérolas.

Artista: The Who
Álbum: Live At Leeds
Ano de lançamento: 1970 (LP), 2001 (CD deluxe edition)
Origem: Reino Unido
Gênero: Rock
Tracklist:
CD 1:
  1. Heaven And Hell
  2. I Can't Explain
  3. Fortune Teller
  4. Tattoo
  5. Young Man Blues
  6. Substitute
  7. Happy Jack
  8. I'm A Boy
  9. A Quick One, While He's Away
  10. Summertime Blues
  11. Shakin' All Over
  12. My Generation
  13. Magic Bus
CD 2:
  1. Overture
  2. It's A Boy
  3. 1921
  4. Amazing Journey
  5. Sparks
  6. Eyesight To The Blind (The Hawker)
  7. Christmas
  8. The Acid Queen
  9. Pinball Wizard
  10. Do You Think It's Alright?
  11. Fiddle About
  12. Tommy Can You Hear Me?
  13. There's A Doctor
  14. Go To The Mirror
  15. Smash The Mirror!
  16. Miracle Cure
  17. Sally Simpson
  18. I'm Free
  19. Tommy's Holiday Camp
  20. We're Not Gonna Take It




Infelizmente não existem filmagens deste show pois, como eu disse anteriormente, a gravação seria apenas um bootleg, mas acabou virando algo maior devido à qualidade. Aparentemente este é o único registro em vídeo do show, são pedaços de várias músicas e o foco fica quase todo em Pete e Keith. Mas fica aí pra dar uma ideia do que aguardar do álbum. O áudio de algumas outras canções retiradas do álbum estão por todo o YouTube, cacem lá.

Vou fechar com uma das fotos que tem no encarte, a título de comparação com a foto que aparece ali junto com o meu CD. Lá está Roger Daltrey em 2010, aqui está Roger Daltrey em 1970:

hehe.

16/07/2010

Não é uma pena?

► Quando a gente fica muito feliz com uma notícia, sempre acontece algo pra estragar, não é? Aparentemente meus 6 anos de espera se multiplicarão e talvez se tornem um número infinito. Nem cheguei a apresentar a novidade que a gente tava preparando... Ela tá lá, pronta e pseudo-abandonada. Este ano já perdi o Metallica e o Social Distortion. Adeus também, Linkin Park. R$640 pra ver outras coisas que não quero? Nem tenho mais o que falar sobre isso, já to tentando me acostumar à ideia de que não posso fugir do assunto.

► Ao menos tive um prêmio de consolação, o Concert For George, que é lindo e eu já assisti inteiro três vezes seguidas, "chorando que nem uma daquelas tias solteironas" (-minha mãe me ama). Uma apresentação épica da orquestra indiana de Ravi Shankar, seguida pela apresentação excepcional do Monty Python ("Afinal, quantos sexagenários já mostraram o traseiro no Albert Hall? Nós quatro! :D") e daí em diante a "banda do George", com os seus melhores amigos tocando as músicas dele: Eric Clapton, Jeff Lynne, Tom Petty & The Heartbreakers, Dhani Harrison, Ringo Starr e Paul McCartney, Billy Preston e mais uma pancada de convidados especiais, todos juntos no palco (aham, 5 guitarristas e 4 bateristas, fora os baixos e violões, e vocais e ukeleles e pianos e teclados).



Billy Preston e Eric Clapton mandando ver. Olhem como o Dhani é a cara do pai, deve ter sido tarefa impossível pra todos eles ali olhar pro guri e não lembrar do George.

Se você não sentiu pelo menos uma pontinha de vontade de chorar, você não tem coração.

14/07/2010

"Desejo"


Desejo primeiro que você ame,
E que, amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.

Desejo, pois, que não seja assim
Mas se for, saiba ser sem se desesperar.
Desejo também que tenha amigos
Que mesmo maus e inconsequentes
Sejam corajosos e fiéis
E que pelo menos em um deles
Você possa confiar sem duvidar.

E porque a vida é assim
Desejo ainda que você tenha inimigos
Nem muitos, nem poucos
Mas na medida exata para que
Algumas vezes você se interpele
A respeito de suas próprias certezas.
E que, entre eles,
Haja pelo menos um que seja justo.

Desejo, depois, que você seja útil
Mas não insubstituível
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente
Para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante
Não com os que erram pouco
Porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente
E que, fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro
Não insista em rejuvenescer,
E que sendo velho
Não se dedique ao desespero,
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor.

Desejo, por sinal, que você seja triste
Não o ano todo, mas apenas um dia
Mas que nesse dia
Descubra que o riso diário é bom.
O riso habitual é insosso
E o riso constante é insano.

Desejo que você descubra,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo,
Que existem oprimidos, injustiçados e infelizes
E que estão bem à sua volta
.
Desejo ainda
Que você afague um gato, alimente um cuco
E ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque assim você se sentirá bem por nada.

Desejo também
Que você plante uma semente, por menor que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba
De quantas muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele na sua frente e diga:
"Isso é meu"
Só para que fique bem claro
Quem é o dono de quem.

Desejo também
Que nenhum de seus afetos morra,
Por eles e por você.
Mas que, se morrer,
Você possa chorar sem se lamentar
E sofrer sem se culpar.

Desejo, por fim,
Que você, sendo homem, tenha uma boa mulher
E que, sendo mulher, tenha um bom homem.
Que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes
E quando estiverem exaustos e sorridentes
Ainda haja amor pra recomeçar.

E, se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a lhe desejar.


~Victor Hugo

12/07/2010

I love Rock'n'Roll

... so put another dime in the jukebox, baby

Se lembra quando você achava que essa música era da Britney Spears?

Joan Jett, coma o fígado dos profanos.


I Love Rock'n'Roll é mais antiga do que isso. É composição de uma banda inglesa obscura de curta duração, a The Arrows, em 1975, mas não chegou a ser um hit. A canção só estourou quando foi regravada pela Joan Jett e seus Blackhearts, em 1982. (Antes disso, ela havia gravado uma versão com dois membros dos Sex Pistols, mas que só foi lançada oficialmente anos mais tarde);

• Desde então, ela vem sendo difamada por artistas como Britney Spears e Miley Cyrus.

.

Enfim, amanhã é Dia Mundial do Rock. Façam sábias decisões para comemorar! \m/

10/07/2010

He's a lumberjack and he's okay.



Eu sou um lenhador e eu estou bem
Eu durmo a noite inteira e trabalho o dia todo
(Ele é um lenhador e ele está bem
Ele dorme a noite inteira e trabalha o dia todo)

Eu derrubo árvores, eu como o meu almoço
Eu vou ao banheiro
Às quartas eu vou às compras
E tenho bolinhos amanteigados pro lanche

(Ele derruba árvores, ele come seu almoço
Ele vai ao banheiro
Às quartas ele vai às compras
E tem bolinhos amanteigados pro lanche)

Ele é um lenhador e ele está bem
Ele dorme a noite inteira e trabalha o dia todo

Eu derrubo árvores, eu salto e pulo
Eu piso em flores selvagens
Eu visto roupa de mulher
E saio pelos bares

(Ele derruba árvores, ele salta e pula
Ele pisa em flores selvagens
Ele veste... roupas de mulher
E sai pelos bares...?)

Ele é um lenhador e ele está bem
Ele dorme a noite inteira e trabalha o dia todo

Eu derrubo árvores, eu uso salto alto
Suspensórios e um sutiã
Eu queria ser uma menininha
Que nem o meu querido papai!

(Ele derruba árvores, ele usa... salto alto
Suspensórios e um sutiã...??)
...Que nem o meu querido papai!

Oh Beavies... Eu achei que você era tão másculo!


Lumberjack Song
Monty Python


Não consigo tirar essa música da minha cabeça.

08/07/2010

CD Thursday » Paul McCartney: "Flaming Pie"

Haha, vou comemorar o 70º aniversário do Ringo Starr de uma maneira peculiar. Infelizmente, ele é o beatle de quem eu menos conheço a carreira solo, então não tenho um álbum favorito de autoria dele... Mas, este é relacionado ao tio Ringão de uma forma legal, então...


Acho que vou dizer primeiro a relação, depois digo como ele entrou na minha insignificante vida. Flaming Pie é o 18º disco dos trocentos que Paul gravou depois do fim dos Beatles, e é dito por muitos ser o melhor deles. Foi de grande sucesso inclusive nas paradas americanas e só saiu de lá por culpa das Spice Girls. Além de muitos outros convidados, e da participação do próprio filho James em uma das músicas, Tio Ringão tem participação especial no álbum em duas músicas (ambos se empolgaram em trabalhar juntos, depois que se juntaram pra lançar o Anthology, dos Beatles). Além disso, a canção Little Willow foi uma singela homenagem de Paul à Maureen, então esposa do Ringo, que havia falecido alguns anos antes (isso vai virar outro post, ah se vai). Se tem como ficar mais triste, este também foi o último álbum de Paul com a participação da esposa Linda, visto que ela faleceu no ano seguinte. Cara, eu quero falar muito sobre esse álbum, saco. Enfim.

Feitas as apresentações,


Foi engraçado. Já fazia muito tempo que eu olhava esse CD perdido à procura de um dono na Americanas, mas porque não conhecia o trabalho solo de Paul McCartney, na época, tinha medo de comprar e não gostar muito. Um dia me enchi de coragem e luz divina e comprei. Lembro que estava na presença de umas tias minhas, elas o olharam na minha mão e fizeram aquela cara, tipo, "hein?". Mas não me pronunciarei sobre essa parte da família; só pela afirmação dá pra saber que isso já faz muito tempo... O fato é que assim que terminei de ouvir a primeira faixa, tava feita a cagada. Hoje eu sei todas as letras de cor. É empolgante, tem algumas músicas lindas (uma delas até já postei, linkei abaixo)... Todas as fotos do encarte foram tiradas por Linda, e junto das letras tem um comentário do próprio Paul sobre cada música, e todas as informações técnicas de cada uma delas.




Artista: Paul McCartney
Álbum: Flaming Pie
Ano de lançamento: 1997
Origem: Reino Unido
Gênero: Rock
Tracklist:
  1. The Song We Were Singing
  2. The World Tonight
  3. If You Wanna
  4. Somedays
  5. Young Boy
  6. Calico Skies
  7. Flaming Pie
  8. Heaven On A Sunday
  9. Used To Be Bad
  10. Souvenir
  11. Little Willow
  12. Really Love You
  13. Beautiful Night
  14. Great Day

Vocal e piano: Paul McCartney/ Guitarra: Paul McCartney/ Baixo: Paul McCartney/ Bateria: Paul McCartney

06/07/2010

 

Há 53 anos, a mais famosa dupla do mundo se formava.


Dois rapazes de idades diferentes, classes diferentes, realidades familiares diferentes; que se conheceram na quermesse anual de Liverpool, enquanto a banda de skiffle local, The Quarry Men, tocava. Dois garotos que em nada se assemelhavam, salvo em um aspecto: a paixão pela música. Dois rapazes que viram um no outro o que queriam ser dali em diante...

...A dupla mais importante, produtiva e perfeita da história da música.


"Não havia dúvida, eles estavam sintonizados na mesma estação. No entanto, além da paixão pela música e da identificação, ambos preenchiam enormes lacunas na vida um do outro. Enquanto John era impaciente e descuidado, Paul era perfeccionista - ou pelo menos aparentava ser - na abordagem metódica em relação à música e na forma como via o mundo.

Enquanto John era temperamental e despreocupado, Paul era expansivo, gregário e irrepreensivelmente alegre. Enquanto John era direto e brutalmente franco, Paul usava da diplomacia para manipular as situações. Enquanto John tinha atitude, a natureza artística de Paul era um trabalho em progressão. (...) Enquanto John lutava para se transformar em músico, Paul parecia ter nascido músico."

SPITZ, Bob. The Beatles: A biografia. São Paulo: Larousse do Brasil, 2007.

Lennon-McCartney. Desde 1957.

04/07/2010

Sugestão de blog: Bandas de A a Z

Eu sei que isso vai parecer meio suspeito por ser um projeto da minha irmã, mas serei imparcial aqui no post.

O Bandas de A a Z surgiu há alguns anos, ainda como Fotolog. A ideia inicial da Giulianna foi mostrar e indicar para os amigos as suas bandas nacionais favoritas, especialmente aquelas de amigos que não saíam da garagem e eram consequentemente pouco conhecidas. Pra não mostrar preferência e parcialidade entre elas, resolveu que ia postá-las em ordem alfabética dos nomes das bandas (daí o nome do projeto).

Com o tempo e com o sucesso da iniciativa, de repente bandas underground de todo o país começaram a enviar para ela o material de suas bandas e pedindo um espaço no Fotolog pra divulgação. Assim ela passou a divulgar bandas de todos os cantos do Brasil, sem cobrar por isso e com a maior boa vontade do mundo - afinal essa obsessão por música faz parte dos nossos genes ;)

Tudo o que ela precisa pra divulgar a sua banda é uma foto em boa qualidade, uma breve biografia (nome dos integrantes, cidade e estado de origem, estilo e influências) e uma mp3 de uma música de autoria própria, pra ser usada com as devidas autorizações na coletânea digital que ela lança ao fim de cada rodada (da primeira banda - A - até a última - Z ou um número, caso ocorra). Até agora já foram lançadas 14 coletâneas digitais (o que equivale a 14 rodadas completas, ou ainda cerca de 350 banda divulgadas!).

O projeto já foi divulgado em entrevistas virtuais e na TV, e vem recebendo vários contatos de bandas de todos os lugares mensalmente. Vez ou outra rolam por lá promoções e sorteios, também. Para visitar o blog e conhecer esse projeto de perto, acesse: bandasaz.blogspot.com.

Obrigada pela atenção e, se gostarem, deixem um recadinho por lá e espalhem por aí! :)

02/07/2010

La fin / Das Ende.

 publicidade gratuita - não perguntem pela minha cara.


3 anos de Alemão.
Um ano e meio de Francês.

Ao mesmo tempo.

Me chamem de louca.

.

Ah, acharam pouco?
Nossos 3 anos de Alemão equivalem a 5 anos de conteúdo, beijosfaçamelhor ;*

(o ano e meio de Francês foi por motivo de força maior, mas fui até o fim do nível Básico ok)

.

A essas alturas achei que estaria dizendo "E QUE VENHA O ITALIANO!", mas o único professor da cidade fugiu... Então,

e que venha a faculdade e minhas atualizações autodidáticas.

.

ANAÍRA, A GENTE CONSEGUIU!!!!! xD