Pular para o conteúdo principal

CD Thursday » Paul McCartney: "Flaming Pie"

Haha, vou comemorar o 70º aniversário do Ringo Starr de uma maneira peculiar. Infelizmente, ele é o beatle de quem eu menos conheço a carreira solo, então não tenho um álbum favorito de autoria dele... Mas, este é relacionado ao tio Ringão de uma forma legal, então...


Acho que vou dizer primeiro a relação, depois digo como ele entrou na minha insignificante vida. Flaming Pie é o 18º disco dos trocentos que Paul gravou depois do fim dos Beatles, e é dito por muitos ser o melhor deles. Foi de grande sucesso inclusive nas paradas americanas e só saiu de lá por culpa das Spice Girls. Além de muitos outros convidados, e da participação do próprio filho James em uma das músicas, Tio Ringão tem participação especial no álbum em duas músicas (ambos se empolgaram em trabalhar juntos, depois que se juntaram pra lançar o Anthology, dos Beatles). Além disso, a canção Little Willow foi uma singela homenagem de Paul à Maureen, então esposa do Ringo, que havia falecido alguns anos antes (isso vai virar outro post, ah se vai). Se tem como ficar mais triste, este também foi o último álbum de Paul com a participação da esposa Linda, visto que ela faleceu no ano seguinte. Cara, eu quero falar muito sobre esse álbum, saco. Enfim.

Feitas as apresentações,


Foi engraçado. Já fazia muito tempo que eu olhava esse CD perdido à procura de um dono na Americanas, mas porque não conhecia o trabalho solo de Paul McCartney, na época, tinha medo de comprar e não gostar muito. Um dia me enchi de coragem e luz divina e comprei. Lembro que estava na presença de umas tias minhas, elas o olharam na minha mão e fizeram aquela cara, tipo, "hein?". Mas não me pronunciarei sobre essa parte da família; só pela afirmação dá pra saber que isso já faz muito tempo... O fato é que assim que terminei de ouvir a primeira faixa, tava feita a cagada. Hoje eu sei todas as letras de cor. É empolgante, tem algumas músicas lindas (uma delas até já postei, linkei abaixo)... Todas as fotos do encarte foram tiradas por Linda, e junto das letras tem um comentário do próprio Paul sobre cada música, e todas as informações técnicas de cada uma delas.




Artista: Paul McCartney
Álbum: Flaming Pie
Ano de lançamento: 1997
Origem: Reino Unido
Gênero: Rock
Tracklist:
  1. The Song We Were Singing
  2. The World Tonight
  3. If You Wanna
  4. Somedays
  5. Young Boy
  6. Calico Skies
  7. Flaming Pie
  8. Heaven On A Sunday
  9. Used To Be Bad
  10. Souvenir
  11. Little Willow
  12. Really Love You
  13. Beautiful Night
  14. Great Day

Vocal e piano: Paul McCartney/ Guitarra: Paul McCartney/ Baixo: Paul McCartney/ Bateria: Paul McCartney

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…