16/07/2010

Não é uma pena?

► Quando a gente fica muito feliz com uma notícia, sempre acontece algo pra estragar, não é? Aparentemente meus 6 anos de espera se multiplicarão e talvez se tornem um número infinito. Nem cheguei a apresentar a novidade que a gente tava preparando... Ela tá lá, pronta e pseudo-abandonada. Este ano já perdi o Metallica e o Social Distortion. Adeus também, Linkin Park. R$640 pra ver outras coisas que não quero? Nem tenho mais o que falar sobre isso, já to tentando me acostumar à ideia de que não posso fugir do assunto.

► Ao menos tive um prêmio de consolação, o Concert For George, que é lindo e eu já assisti inteiro três vezes seguidas, "chorando que nem uma daquelas tias solteironas" (-minha mãe me ama). Uma apresentação épica da orquestra indiana de Ravi Shankar, seguida pela apresentação excepcional do Monty Python ("Afinal, quantos sexagenários já mostraram o traseiro no Albert Hall? Nós quatro! :D") e daí em diante a "banda do George", com os seus melhores amigos tocando as músicas dele: Eric Clapton, Jeff Lynne, Tom Petty & The Heartbreakers, Dhani Harrison, Ringo Starr e Paul McCartney, Billy Preston e mais uma pancada de convidados especiais, todos juntos no palco (aham, 5 guitarristas e 4 bateristas, fora os baixos e violões, e vocais e ukeleles e pianos e teclados).



Billy Preston e Eric Clapton mandando ver. Olhem como o Dhani é a cara do pai, deve ter sido tarefa impossível pra todos eles ali olhar pro guri e não lembrar do George.

Se você não sentiu pelo menos uma pontinha de vontade de chorar, você não tem coração.