30/10/2010

James Dean e a maldição do "Little Bastard"

Nada melhor pra comemorar este Halloween como uma história real perturbadora que virou lenda urbana.

James Dean, como todos sabem ou já ouviram falar, foi um ator e considerado um ícone cultural por causa do papel rebelde que interpretou no filme de 1955, Juventude Transviada (Rebel Without A Cause, lançado quase um mês depois de sua morte). Além da fama por este e outros papéis, e por também ser considerado um símbolo sexual, na época, a fama de James Dean também engloba a sua morte misteriosa, num acidente com o seu Porsche, o "Little Bastard".


O "Little Bastard", assim batizado por Dean, era um Porsche 550 Spyder, um modelo raríssimo. Era um dos únicos 90 fabricados no mundo. Dean o comprou enquanto filmava Rebel Without A Cause, pretendendo participar de uma corrida que aconteceria em Salinas. Na verdade, o Porsche era uma solução temporária, já que o carro que ele usaria para correr seria um Lotus Mk X, mas não seria entregue a tempo.

Assim sendo, James Dean contratou ninguém menos que George Barris para customizar o seu carro. Barris é conhecido por ter desenvolvido o design do Batmobile da série Batman que passou nos anos 60. A customização do Porsche consistiu na pintura do número 130 na frente, trás e lados, além das linhas vermelhas laterais e, claro, o nome do carro na traseira.

Entretanto, apesar de Dean estar muito satisfeito e animado com sua nova aquisição e a oportunidade de participar de uma corrida, seus amigos, inclusive George Barris, tentaram dissuadi-lo da decisão. Todos diziam que tinham uma "má impressão" sobre o carro e até sentiam algo "ruim" nele. Alec Guinness, também ator e amigo de Dean, disse que o carro era "sinistro" e que se Dean entrasse nele, em uma semana estaria morto.

A corrida estava marcada para o dia 1º de outubro de 1955. Iriam com ele como sua equipe o mecânico Rolf Wütherich, o dublê de motorista Bill Hickman, e o fotógrafo da revista Life, Stanford Rolf, que planejava fazer um especial fotográfico sobre a participação de James Dean em corridas.

Chegando lá um dia antes da corrida, a ideia original era estacionar o carro no comboio até o dia seguinte, mas de última hora Dean resolveu dar uma volta com o carro no trajeto para se familiarizar com ele. Seu mecânico foi com ele, enquanto os outros dois ficaram no comboio. Antes de irem, Hickman o advertiu para tomar cuidado com a velocidade, já que todos ali já haviam sido multados por excesso antes. Hickman também estava preocupado porque o Porsche era difícil de ver em alta velocidade, por ser baixo e prateado.

De qualquer forma, ao pôr-do-sol, um Ford Tudor cortou a frente do caminho de Dean, resultando numa batida violenta. Como era esperado, o motorista do Ford, um rapaz universitário, não havia visto o Porsche se aproximando. Dizem que o carro de Dean estava em altíssima velocidade, o que foi desmentido pela perícia. Nem Dean e nem Wütherich estavam usando o cinto de segurança, de forma que o mecânico foi arremessado para fora do carro, sofrendo poucas fraturas, enquanto Dean ficou preso nas ferragens. Wütherich disse que as últimas palavras de Dean foram: "Essa cara tem que parar... Ele vai ver a gente". James Dean foi socorrido, mas morreu no hospital.

George Barris, o cara que customizou o Porsche, comprou os restos do carro com a intenção de aproveitar algumas peças. E foi aí que a parte bizarra da lenda começou.

• Assim que o carro chegou à garagem de Barris, ele deslizou do trailer e caiu em cima de um mecânico, quebrando sua perna;

• Pouco depois disso, Barris vendeu o motor e a marcha a dois físicos que participavam de corridas como hobby. Um deles perdeu o controle do carro, batendo em uma árvore e morrendo. O outro capotou o carro enquanto fazia uma curva, causando sérios ferimentos. Ele disse que o carro simplesmente "o trancou lá dentro";

• Dois dos pneus que Barris vendeu estouraram ao mesmo tempo, tirando o carro onde eles estavam da estrada;

• Um rapaz que tentava roubar o volante do carro teve seu braço dilacerado por um pedaço de metal dentado;

• Um outro homem se machucou seriamente tentando roubar um dos bancos manchados de sangue do carro;

Percebendo o perigo, Barris então decidiu que o carro ficaria melhor guardado, mas o persuadiram a entregar o carro à uma exposição.

• O que restou do carro ficou então guardado em uma garagem na cidade de Fresno. Até que, em março de 1959, a garagem pegou fogo e tudo o que tinha lá dentro foi incinerado. Tudo, menos os restos do carro de James Dean;

• Em uma exposição em Sacramento, no aniversário de morte de James Dean, os ferrolhos que prendiam o carro se soltaram, fazendo com que o carro saísse de sua plataforma e atropelasse um garoto de 15 anos, quebrando seu quadril;

• Na estrada, em um caminhão em direção a Salinas, o motorista perdeu o controle do veículo e teve que saltar para fora da cabina. Embora o salto não o tenha matado, o Porsche caiu de trás do caminhão, bem em cima do motorista, o matando.


E então, em 1960, decidiram que não era mais seguro levar o carro à exposições. Barris decidiu trancar o carro em uma caixa e enviá-lo por trem à Los Angeles. Quando o trem chegou, as trancas da caixa estavam intactas, mas o carro havia simplesmente desaparecido... E nunca mais foi visto, até hoje.



As opiniões públicas se dividem. Muitos acreditam que o carro era amaldiçoado. Mas outros acreditam que o próprio James Dean o era. Alguns dizem que o ator era um interessando pelas forças ocultas. A atriz Maila Nurmi, que estrelava filmes de terror, diz que ficou chateada por ele querer terminar a amizade entre eles e jogou sobre ele uma maldição. Se essa maldição realmente deu certo, então ela se estendeu além de James Dean. Os atores que estrelaram Rebel Without A Cause com ele, Natalie Wood, Sal Mineo e Nick Adams, a quem ele chamava "meus amigos mais verdadeiros", todos morreram de formas trágicas. Até mesmo seu mecânico, Rolf Wütherich, morreu em um acidente de carro, anos depois.

Coincidência? Maldição? Seja o que for... O Little Bastard continua desaparecido. Quem sabe se ele reaparecerá, um dia...

.

FONTES: 1 | 2 | 3

5 comentários:

  1. Que medooo!

    Nossa, essa última foto me deixou com uma má impressão... tipo, diabólico esse carro, quase um Christine! xD

    Adorei essa "lenda", nunca tinha ouvido falar.

    Tenha um Halloween assustador!!! xD

    Bjooo

    ResponderExcluir
  2. Oooorra! Um exorcismo caía bem. O.o

    Que horror, que carro assassino! Christine é fichinha perto do Bastardinho.

    Hoje foi um dia culto; assisti a uma palestra fodinha à tarde e agora descobri essa lenda.

    :***

    ResponderExcluir
  3. Putz! Também não conhecia essa lenda! Muito legal!

    Só faltou dizer que o motor do Little Bastard era feito com ferro fundido do Titanic...

    ResponderExcluir
  4. Ficou né??
    Baixa mesmo, assim completamos a barrinha no last sem eu precisar ouvir The Johnstones. hahah

    Quanto, tb não conhecia. Bem sinistro hein?? Fiquei de cara. Daqueles mistérios que jamais serão solucionados. Me amarro nesses contos (ou lenda, sei lá)

    ResponderExcluir
  5. GENTE escolha melhor não teve, melhor post de Halloween de todos! já que foram fatos verídicos, já que foi a história da morte de JAMES DEAN.
    Amei! Não sabia desses detalhes!

    ;*

    ResponderExcluir

Bom senso, respeito e educação são esperados e sempre bem-vindos nos comentários. Obrigada pela visita!