Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2011

O ano que foi

Esse post já estava todo escrito há um tempo, mas decidi vir aqui e reescrevê-lo, de última hora. Tava longo, chato e reclamão. Ele vai continuar reclamão, mas um pouco mais resumido, ha.


2011 foi um ano de certas mudanças, como é inevitável, mas exatamente a mesma coisa de todo ano, em essência. O diferente é que meu avô veio morar com a gente; o igual é que eu fui pra SP (tradição de ano ímpar), mesmo sem show, por conta de uma promessa que eu havia feito. Os 'acontecimentos marcantes', por assim dizer, não foram exatamente os melhores, mas aconteceu coisa boa também, como a mudança de emprego que eu já comentei anteriormente por aqui.

Diferentemente dos anos anteriores, não vou traçar metas para o ano que vem. As minhas metas não costumam ser alcançadas, e olha que eu nunca fui de traçar planos impossíveis ou improváveis. Mesmo tendo todas as ferramentas na mão, alguma coisa acontece e arranca tudo de mim. Então, pro ano que vem, vou 'deixar a vida me levar'. É com…

Relatório de Leitura de 2011

Copiei descaradamente a ideia do Alexandre, assim como eu também copiei descaradamente a ideia dele sobre as músicas que mais ouvi no ano. Ele tem ideias boas, fazer o quê.
Fui lá no SKOOB (que é "books" ao contrário, me senti gênia quando percebi) conferir o que li este ano e me surpreendi com a lista de 41 livros. Quarenta e um livros, o que é vida?
Aí tava aqui pensando, faço top 10? Listo todos? Faço nada e deixo a preguiça me levar? Então resolvi fazer de qualquer jeito e fica assim.

Bom, 24 deles foram da Agatha Christie. Os livros da Agatha não são muito extensos e são bem gostosos de ler, então li cerca de um por semana. Preciso explicar meu método de leitura. Nós temos uma verdadeira biblioteca, aqui em casa:

Tem livro por tudo, como dá pra perceber. Chamo de 'biblioteca' só pela quantidade de livros (que eu não faço ideia de qual seja), mas já trabalhei em biblioteca e sei que a visão dessa bagunça seria o equivalente ao inferno pra qualquer bibliotecári…

Os Álbuns de 2011 * HCtZ Top 10 (+1)

(Esse título tá parecendo uma equação matemática bizarra)

(Chique me referir à minha escolha pessoal com o nome do blog, quem vê pensa que isso aqui é trabalho de uma equipe...)
2011 na música. Morreu um monte de gente, um monte (um monte!) de banda acabou, teve Rock in Rio e um monte de festivais legais no país, um monte das minhas bandas favoritas veio fazer show no Brasil e não fui ver nenhuma, e esse foi o meu resumo crítico do ano.
Pra variar, não ouvi quase nada do que foi lançado este ano. E, assim como sempre acontece, acabei ignorando os lançamentos de alguns artistas que já curti mais no passado, aos quais não dou muita importância agora.
Os meus 10 favoritos de 2011 são estes. "Cadê o *álbum tal da banda tal*?!?!". Pois é, não ouvi.

Noel Gallagher's High Flying Birds Noel Gallagher's High Flying Birds Rock/Britpop
Não é porque é do Noel. Juro. Tava todo mundo esperando por esse bendito álbum desde sabe Zeus quando, o homem tava ameaçando há anos - mas posso…

O Que Mais Ouvi em 2011

(De acordo com a Last.fm)
Meio furado, como sempre. Esse ano o software da Last.fm (scrobbler) parou de funcionar mais de uma vez, então perdi centenas de execuções na contagem. Ele também não envia mais os scrobbles do iPod. Fora os CDs que ouço no estéreo, mas ok, dá pra ter uma ideia do que prevaleceu esse ano.



Sem graaandes alterações... Destaque pra Bob Dylan e Against Me!, que entraram no ranking. Reel Big Fish caiu notavelmente, já que não ouvi mais desde outubro (sim, eu tenho esse problema).
As 10 faixas mais tocadas continuam sendo as favoritas de anos anteriores, embora em posições diferentes. Algumas do Noel Gallagher entrariam aí, se tivesse como contar todas as vezes que ouvi ao CD no meu som. Enfim, fiquem aí com a que eu mais ouvi em 2011. Próximo post será sobre os meus lançamentos favoritos do ano!

Ósculos e amplexos a todos, e Feliz Natal!!

"The Song of Ice and Fire Personality Test"

A essas alturas acredito que a maioria de vocês já tenha ouvido falar n'As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin. Os livros ganharam popularidade este ano (apesar do primeiro deles ter sido publicado em 1996), com a estreia da série Game Of Thrones. Comecei a assistir com a minha mãe e logo decidimos que precisávamos dos livros. Hoje somos ambas viciadas nessa trama de histórias complicadas e tragédia sem fim, e estamos aguardando ansiosamente pelo quarto livro (que está pra chegar em fevereiro, embora em outros países já tenha sido lançado até o quinto livro).
Enfim, vi o link pra esse teste pelo Tumblr e fui lá fazer.
.
Your result for The Song of Ice and Fire Personality Test...

Bran Stark You scored 220 Adaptability, 100 Humor, 350 Integrity and 150 Activity!






When I sleep I turn into a wolf. Do wolves dream?





You are Bran Stark




You have big dreams in life, and you get frustrated with those who think you are unable to achieve them. You love to explore and wish for …

10 years today

Há 10 anos, o câncer nos tirava essa pessoa linda que foi George Harrison. Não há mais nada que eu possa dizer sobre ele que eu já não tenha dito anteriormente. 
Deixo aqui, novamente, os meus agradecimentos ao querido Tio Jorge. Obrigada pela sua música e seu espírito iluminado, que tanto me acompanham nos mais variados momentos da vida.



Se não fosse por você Eu não conseguiria achar a porta Não conseguiria sequer ver o chão Estaria triste e deprimido Se não fosse por você.
Se não fosse por você Eu ficaria a noite inteira acordado Esperando até que a luz do dia Entrasse no meu quarto Mas isso não seria novidade Se não fosse por você
Se não fosse por você Meu céu cairia E a chuva despencaria também Sem o seu amor eu não estaria em lugar nenhum Eu estaria perdido, se não fosse por você E você sabe que é verdade
Se não fosse por você Meu céu cairia A chuva despencaria também Sem o seu amor eu não estaria em lugar nenhum Oh! O que eu faria Se não fosse por você?
Se não fosse por você O inverno não teria prima…

"Se Eu Morrer Novo"

"Se eu morrer novo, Sem poder publicar livro nenhum, Sem ver a cara que têm os meus versos em letra impressa, Peço que, se se quiserem ralar por minha causa, Que não se ralem. Se assim aconteceu, assim está certo.
Mesmo que os meus versos nunca sejam impressos, Eles lá terão a sua beleza, se forem belos. Mas eles não podem ser belos e ficar por imprimir, Porque as raízes podem estar debaixo da terra Mas as flores florescem ao ar livre e à vista. Tem que ser assim por força. Nada o pode impedir.
Se eu morrer muito novo, ouçam isto: Nunca fui senão uma criança que brincava. Fui gentio como o sol e a água, De uma religião universal que só os homens não têm. Fui feliz porque não pedi coisa nenhuma, Nem procurei achar nada, Nem achei que houvesse mais explicação Que a palavra explicação não ter sentido nenhum.
Não desejei senão estar ao sol ou à chuva — Ao sol quando havia sol E à chuva quando estava chovendo (E nunca a outra coisa), Sentir calor e frio e vento, E não ir mais longe. Uma vez amei, julguei que …

"A mulher dos túmulos"

Acho que todos já ouviram o nome Banshee. Quem não conhece a lenda, já ouviu a palavra ao menos como nome de um dos personagens dos mutantes X-Men (aquele do grito supersônico), ou mesmo a banda post-punk/new wave Siouxsie & The Banshees. Existe uma certa relação.
As Banshees são da família das fadas do folclore céltico (irlandês, escocês), embora algumas versões as categorizem como fantasmas e outras como demônios. Diz a lenda que esta criatura anuncia a morte de certas pessoas.


Segundo a história, a Banshee pode aparecer de várias formas, assim como também variam os seus métodos de aviso. Ela pode aparecer como uma entidade feiosa ou como uma mulher extraordinariamente bela, ou mesmo sob formas de variados animais associados à bruxaria (corvo, lebre ou doninha). Algumas versões dizem que a pessoa que vai morrer a vê chorando enquanto lava as roupas ensanguentadas da futura vítima em um rio, e outras dizem que ela fica debaixo da janela da futura vítima e solta um grito extremam…

Cruz invertida: você está fazendo isso errado

Só vou explicar uma coisinha que eu vejo bastante por aí e dou risadas internas por causa da ironia, mas achei melhor explicar pra não ficar feio pra cara de quem curte.
Acho que todo mundo já viu pelo menos uma vez uma foto de qualquer banda de Black Metal, tipo esta abaixo:

Pelo menos dois deles estão usando crucifixos invertidos (um até com Jesus e tudo, olha só que maneiro).
As bandas de Black/Death Metal (principalmente estas, embora artistas de vários gêneros façam o mesmo) são conhecidas por disseminarem a mensagem anti-Cristo pró-Tinhoso, e pra isso elas usam, além da música de qualidade duvidosa, as pinturas faciais tenebrosas, as roupas de couro com tantos spikes quanto couberem nelas e uma diversidades de símbolos malvadões, como pentagramas e o símbolo máximo do revolts, a cruz invertida.
Chocante! E o mais legal é que a galera que curte esse tipo de coisa sai tatuando o símbolo (tipo o vocalista do Deicide que o queimou na própria testa), ou usando em acessórios ou no avatar …

Cover: \"Let's Do It (Let's Fall In Love)\"

Faz tempo que eu não posto sobre música; vamos de cover.
Let's Do It é uma composição popular de Cole Porter, de 1928. Originalmente cantada em musicais, com o tempo foi sendo gravada por diversos artistas, ganhando várias versões e com eventuais alterações na letra.
Dentre alguns dos artistas que gravaram versões da música, estão inclusive os brasileiros Chico Buarque e Elza Soares, no dueto "Façamos - Vamos Amar".
Vou postar a seguir duas versões da música, uma antiga e uma nova e de estilos bem diferentes. Acho legal ver como uma mesma canção pode ser interpretada de tantas maneiras!:



Jazz: Ella Fitzgerald gravou a música em 1956, para o álbum Ella Fitzgerald Sings the Cole Porter Songbook.



Rock: Em 1995, Joan Jett gravou uma versão da música com Greg Graffin (Bad Religion) para a trilha sonora do filme Tank Girl, mas por problemas com a gravadora a participação de Graffin teve que ser substituída por uma de Paul Westerberg (The Replacements). De qualquer forma, a origi…

~

Esses críticos com as ilusões que criaram sobre os artistas — é como idolatria, como aqueles garotos de Liverpool que só gostavam de nós quando estávamos em Liverpool — muitos deles nos abandonaram porque ficamos grandes em Manchester, certo? Eles achavam que tínhamos nos vendido. Então, os ingleses ficaram chateados porque ficamos grandes em... que diabos é isso? Só gostam das pessoas quando estão a caminho do topo, e, quando chegam lá, não têm nada a fazer além de derrubá-las. Não posso estar a caminho do topo novamente. O que querem são heróis mortos, como Sid Vicious e James Dean. Não estou interessado em ser um maldito herói morto... então deixa pra lá."
John Lennon
(em entrevista dada à revista Rolling Stone, em 5 de dezembro de 1980 - três dias antes de sua morte)


Feliz aniversário, John!

Tântalo, o Melhor Anfitrião Ever

O Tártaro tá cheio de pessoas legais. Já vimos sobre Sísifo, o que está empurrando sua pedra morro acima até hoje; e agora conheceremos Tântalo, essa simpatia de pessoa.
Como é comum na Mitologia Grega, bem como em todas as outras, existem algumas versões variadas sobre esta história. Vou contar a mais comum e, ao meu ver, mais interessante.


Tântalo foi um rei. Rei de onde, depende da versão, mas era um cara muito poderoso e, como todos os caras poderosos, tinha contato com os deuses. Um dia, Tântalo decidiu que os deuses não podiam ser assim tão todo-poderosos, então resolveu fazer uma brincadeira divertida para testar a sabedoria deles. Ofereceu aos Doze Olimpianos um farto banquete, no qual ele serviria a carne do próprio filho, Pélope.
Oh sim, ele matou o filho, o cortou em pedaços e cozinhou sua carne para o almoço.
Os deuses, como era de se esperar, perceberam que tinha alguma coisa muito errada com aquele banquete, e resolveram não tocar na comida... Todos, menos a desavisada Demét…

Sobre Punks e Skinheads

Fiquei sabendo ontem pela internet, e hoje cedo pelo jornal, sobre uma briga babaca entre "punks" e "skinheads" antes do show da banda Cock Sparrer, em São Paulo, neste fim de semana, que resultou em uma morte.
Prato cheio pra mídia sensacionalista, povão ouve falar e fica todo cheio de medinho: "Ai meu Deus, esses Punks são tão violentos mimimi Skinheads racistas nojentos socorro". Gente. Perae. Deixa eu explicar uma coisa.
Essa briga babaca entre Punks e Skinheads já data desde os anos 70. Pra vocês entenderem melhor porque isso acontece, vou dar uma aulinha de história bem rápida ("Ah, mas o que eu tenho a ver com isso?".Muito, se é um desses ignorantes que generalizam tudo o que veem na televisão).
Os Skinheads apareceram primeiro, lá pro final da década de 60, na Inglaterra. Originalmente, eles eram caras brancos que curtiam a música negra e gostavam de frequentar os mesmos lugares que seus amigos, imigrantes jamaicanos. Se orgulhavam da sua o…

"Aquele que é levado para fora"

Em folclores de todo o mundo existem histórias dos mais variados espíritos vingativos (exatamente o que você pensou, espíritos de pessoas que buscam vingança pelos fatores que envolveram a sua morte). Os mais famosos mundialmente talvez sejam a Mulher de Branco e a Bloody Mary, que viraram assunto pra uma porção de filmes.
Mas hoje me lembrei de um em particular que resolvi apresentar a vocês. É uma lenda do folclore escandinavo que, embora não muito conhecido pelo mundo, bota bastante medo por lá.
.
A literatura se refere a ele como Myling, embora seu nome no folclore local seja Utburd, "aquele que é levado para fora".
Na época em que esta lenda surgiu, era bastante comum que se abandonassem nas florestas bebês que fossem ilegítimos ou nascessem com alguma deformidade, ou mesmo quando a família não tinha condições de criá-lo. Segundo a lenda, os espíritos destas crianças vagariam pela terra até que encontrassem alguém que as proporcionasse um enterro decente. Algumas versões…

TEMPO KD VC VEMK

Eu to com saudade de postar aqui, sério, acreditem!
O caso é que esse semestre chegou chegando. O que na verdade é bom demais, adoro estar ocupada o tempo inteiro (por mais que eu reclame :P)! Tenho aulas todos os dias da semana, nos três períodos, e meus fins de semana são dedicados à preparação de todo o material das aulas. Parece que vou ficar responsável por todas as aulas de Inglês Instrumental (além das tradicionais), e isso exige um tempo absurdo pra pesquisa, tradução e elaboração de atividades. Mas eu amo tudo isso e é isso que importa.


Ontem à noite foi o show do Streetlight Manifesto (aquele que tava prometendo vir pro Brasil há dois anos, aquele que eu vendi o ingresso do Rock In Rio pra poder ir), e perdi \o/ Se o gracinha do Reel Big Fish não tivesse feito aquele rolo de adiar o show, dava pra ter ido nesse também. Mas ok Aaron, eu sei que você não quis ter uma apendicite de propósito. Mas parece que eles voltarão no ano que vem, quem sabe até lá minha vida tá mais organiz…

Ferro pra quem tá ferrado

No folclore de várias partes do mundo, há muitos séculos, é acreditado que o ferro em estado puro (ou seja, sem ter sido fundido) seria um amuleto poderoso contra bruxas, fadas (fadas não são legais, esqueça a Sininho), demônios e espíritos.


Nas áreas rurais da Europa, é muito comum que se enterrem facas debaixo da porta de entrada das casas, ou ter uma ferradura pendurada sobre/na porta, como forma de proteger o local contra essas visitas sobrenaturais.
Nas antigas Grécia e Roma, era proibido o uso de ferro na construção de templos, para que isso não afastasse os espíritos e deuses que eles quisessem atrair.


Os homens babilônios e assírios também usavam amuletos feitos de ferro como forma de aumentar a virilidade. As mulheres, por sua vez, se esfregavam em pó de ferro para atrair homens. Os antigos egípcios inseriam um amuleto de ferro em suas múmias, para que isso evocasse a proteção do Olho de Hórus. Em alguns lugares do Myanmar (Burma), os pescadores até hoje usam amuletos de ferr…