02/03/2011

Agora só venho aqui pra dar notícia, que coisa chata.

Um dia eu virei fazer um post supimpa, tenham mais um pouquinho de paciência...

Se você não conhece essa música do The Smiths, então minha piadinha nem teve graça :(


Well.

Não anda sendo novidade pra vocês, caso me acompanhem pelo twitterz, que a depressão pegou de novo. Antes de começar a trabalhar, as crises de depressão eram normais porque eu ficava 90% do tempo trancada em casa, fazendo absolutamente nada e me sentindo uma completa inútil. Então comecei a trabalhar e ter uma rotina me fez bem, apesar de tudo que apanhei no começo até me acostumar a acompanhar toda a urgência que meu emprego exige. Um pouco mais de três meses se passou e não posso dizer que esteja de fato me sentindo melhor, agora. Não é segredo que este trabalho que faço não é nada que eu ame fazer ou que sequer tinha intenção de fazer, mas a necessidade realmente falou mais alto e eu topei o que viesse. Fez bem pra situação financeira. Mas os pensamentos que eu tinha no meu tempo ocioso foram apenas substituídos por pensamentos do mesmo teor, mas em tempo ocupado. Não deixei de me sentir inútil, na verdade acho que nunca me senti tão inútil na vida. Quando eu não fazia nada, me sentia inútil por estar desperdiçando tempo. Agora me sinto inútil porque tudo o que faço está errado. Vejam bem, não que esteja realmente errado, mas aos olhos do empregador, está. Então, ao invés de arrumar uma atividade que me fizesse me sentir útil, encontrei uma que conseguiu piorar a sensação. Isso, somado a algumas outras situações que não seria de bom tom comentar na internet, me despertaram novamente a depressão. Estou pensando em saídas, me falta a coragem.

Pra completar a sessão de más notícias, acho que todo mundo aqui já sabe, mas numa dessa alguém ainda não. Minha gatinha, xodó e companheira fiel dos últimos anos, Kalima, morreu na segunda-feira. Foi muito, muito triste tudo o que envolveu o fato e eu não gosto nem de lembrar que já começo a chorar de novo. Pra variar, comentários cretinos surgiram de todos os lados, inclusive onde trabalho. A falta de respeito pela vida e a falta de consideração pelos sentimentos dos outros são as pequenas coisas que te prendem nessa vida miserável na Terra. Aqui se faz, aqui se paga, meus queridos. E nem precisa esperar a vida que vem.

E, pra não dizer que só trago notícia ruim, arrumei definitivamente um segundo emprego. A escola onde estudei alemão e francês (e onde agora faço a fase final do inglês) me chamou pra dar aulas de inglês, ao que eu prontamente aceitei. Pegarei uma turma de adultos, uma vez por semana, à noite. Vai ser corrido, puxado e me deixar duplamente cansada, mas super valerá a pena. É algo que eu gosto de fazer, que eu sei fazer, e com certeza me fará sentir melhor comigo mesma. O pessoal na escola é muito querido e será divertido trabalhar lá. Amanhã começo! :)

No mais... Acho que não tem mais. Próximo post vai ser mais legal, vou tentar.

.