Pular para o conteúdo principal

Sugestões da Semana

Semana essa que me deixou feliz e irritada nos mesmos aspectos. Todas as bandas do mundo resolveram confirmar shows no nossa pátria amada, idolatrada, salve salve!; e eu terei que escolher entre elas porque ainda não tenho uma árvore de barras de ouro ("que valem mais do que dinheiro!") aqui no meu quintal. Dentre as que eu adoraria deveras ir ao show estão o tio Macca, que resolveu voltar e se apresentar no Rio de Janeiro (já desisti do tio Macca, é muito pra uma reles mortal); o Reel Big Fish que retorna com o Goldfinger para várias apresentações (mas nesse eu vou, ou não me chamo Emmanuella!), e o Streetlight Manifesto, que ninguém sabe dizer se vai ser em julho ou em agosto, mas tá confirmado. Nesse eu também PRECISO ir. Agora parem de confirmar, ok? Sou professora e ganho por aula, tenham piedade.

The long and winding road that leads... to Paul McCartney's concert


Vamos às sugestões da semana:


  • ÁLBUM: Rollins Band - Weight (hardcore)


Não foi um álbum que eu descobri essa semana, mas foi um que ouvi bastante esta semana. Henry Rollins é o cara! Terminei de ler o livro dele que comprei há um tempo, o Solipsist, sobre o qual já comentei (e até transcrevi um trecho dele aqui, uns posts pra trás), e agora estou ouvindo muito, muito mesmo, a Rollins Band, banda que ele formou após sair do Black Flag. De todos os álbuns, por enquanto o Weight é o meu favorito. Contagiante, esperto e... Poxa, é o Henry. Segue uma das favoritas:



qualidade de som péssima, mas não tem melhor em lugar nenhum :(

  • FILME: A Hard Day's Night (no Brasil, "Os Reis do Iê Iê Iê" - 1964)


QUE VERGONHA só poder ter assistido esse filme agora. Mas nunca o encontrei pra comprar, nem pra assistir online (sem legenda, mesmo). Daí uma linda alma disponibilizou pra download, essa semana (com legenda, há!) e eu finalmente pude ver o primeiro e engraçadíssimo filme dos Beatles. Aqui os Beatles interpretam eles mesmo, e o tema é... a beatlemania. De uma forma exagerada, eles nos mostram como era a loucura do dia-a-dia da banda no auge de sua fama: a correria pra fugir dos fãs, a pressão da gravadora e do empresário, todos os compromissos que tinham de atender em tempo recorde, as centenas de cartas para ler e responder... E o trabalho que eles davam pra todo mundo. Há ainda o avô fictício de Paul McCartney, que aparece neste filme só pra complicar a vida de todo mundo. As músicas são do álbum de mesmo nome. Recomendo a todos! :D

Achei aqui.


  • ARTIGO: "O que o cinema nos ensina sobre computadores"

Este também é antigão, mas muito engraçado! Afinal, quem nunca reparou que as pessoas nunca comentem erros de digitação nos filmes, nem nunca pressionam a barra de espaço enquanto digitam frases longas?

Leia aqui.

  • OUTRO: Série - Agatha Christie's Poirot




Sugestão similar à da semana passada, mas esse foi outro achado inesperado e do qual gostei muito! Eu estava procurando pelos filmes antigos baseados em livros da Agatha e descobri que havia este seriado, que passou na ITV (emissora inglesa) de 1989 a 2002 (!!), completando 12 temporadas. Houve depois um remake e parece que as gravações voltarão, este ano, com os atores originais. Igual ao que acontece com o anime que sugeri semana passada, os episódios são baseados fielmente nos contos da autora.

Baixe as 12 temporadas completas aqui.

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …