29/10/2011

"A mulher dos túmulos"


Acho que todos já ouviram o nome Banshee. Quem não conhece a lenda, já ouviu a palavra ao menos como nome de um dos personagens dos mutantes X-Men (aquele do grito supersônico), ou mesmo a banda post-punk/new wave Siouxsie & The Banshees. Existe uma certa relação.

As Banshees são da família das fadas do folclore céltico (irlandês, escocês), embora algumas versões as categorizem como fantasmas e outras como demônios. Diz a lenda que esta criatura anuncia a morte de certas pessoas.


Segundo a história, a Banshee pode aparecer de várias formas, assim como também variam os seus métodos de aviso. Ela pode aparecer como uma entidade feiosa ou como uma mulher extraordinariamente bela, ou mesmo sob formas de variados animais associados à bruxaria (corvo, lebre ou doninha). Algumas versões dizem que a pessoa que vai morrer a vê chorando enquanto lava as roupas ensanguentadas da futura vítima em um rio, e outras dizem que ela fica debaixo da janela da futura vítima e solta um grito extremamente agonizante (descrito pela lenda como "um guincho agudo entre o lamento de uma mulher e o pio de uma coruja"). Dizem que o grito da Banshee é tão agudo que quebra todos os vidros das proximidades. Estas versões, aliás, defendem que a Banshee é raramente vista, mas sempre ouvida. A lenda também conta que o presságio da Banshee é infalível: não importa o quão boa esteja a saúde da vítima, após ouvir o grito, a morte é certa.


Nos primórdios da lenda, acreditava-se que as Banshees se manifestavam apenas para membros da família real (sendo o próprio Rei James I da Escócia, em 1437, uma vítima) ou de famílias importantes. Alguns dizem que certas famílias "herdam" uma Banshee e todos os seus membros estão destinados a ouvi-la antes da morte - alguns até batizam as suas Banshees com o nome de sua preferência. 

A primeira aparição relata de 1380, e a mais recente foi registrada em 1948. Mas antes de se preocuparem, lembrem-se: estatisticamente falando, as manifestações de Banshees são mais frequentes em famílias cujo sobrenome contenha Mac ou O'.



.

Saiba mais sobre as Banshees (em inglês).

19/10/2011

Cruz invertida: você está fazendo isso errado

Só vou explicar uma coisinha que eu vejo bastante por aí e dou risadas internas por causa da ironia, mas achei melhor explicar pra não ficar feio pra cara de quem curte.

Acho que todo mundo já viu pelo menos uma vez uma foto de qualquer banda de Black Metal, tipo esta abaixo:


Pelo menos dois deles estão usando crucifixos invertidos (um até com Jesus e tudo, olha só que maneiro).

As bandas de Black/Death Metal (principalmente estas, embora artistas de vários gêneros façam o mesmo) são conhecidas por disseminarem a mensagem anti-Cristo pró-Tinhoso, e pra isso elas usam, além da música de qualidade duvidosa, as pinturas faciais tenebrosas, as roupas de couro com tantos spikes quanto couberem nelas e uma diversidades de símbolos malvadões, como pentagramas e o símbolo máximo do revolts, a cruz invertida.

Chocante! E o mais legal é que a galera que curte esse tipo de coisa sai tatuando o símbolo (tipo o vocalista do Deicide que o queimou na própria testa), ou usando em acessórios ou no avatar das suas redes sociais. Porque, né, todo mundo tem que saber que essa pessoa odeia o Cristianismo.

E teve uma pessoa que ostentou o mesmo símbolo tão publicamente que deixa qualquer banda de Black Metal Norueguês 666 From Hell Groarrr no chinelo. Só vou ali achar a foto, peraê...

.
.
.

Achei!


O Papa João Paulo II! :D

Mas, espera. O Papa? Anticristo? :O

Não, meus capetinhas. É aqui que entram os 5 minutinhos de Google que eu sempre recomendo que vocês gastem. A cruz invertida não é um símbolo do Satanismo.

Primeiro de tudo, ela é chamada de Cruz de São Pedro. A história não é longa: Pedro foi um dos 12 apóstolos de Jesus e, como consequência disso, foi martirizado, como todos os outros nos anos seguidos à crucificação de Cristo (perseguir católicos já era moda há 2 mil anos, "moderninhos"). Foi setenciado a morrer pela crucificação, e seu último pedido foi para que fosse crucificado de cabeça para baixo, pois ele não se achava digno de morrer da mesma maneira que seu Mestre. Desde então, o símbolo da cruz invertida foi atribuído ao santo, e alguns cristãos o adotaram como símbolo de humildade.

(São Pedro foi o primeiro Papa, por isso o símbolo no trono do Papa João Paulo II.)

Não se sabe exatamente quando foi que começaram a usar o símbolo, erroneamente, como sinal de sympathy for the devil. A Igreja alega que pode ter sido devido a um problema de tradução da própria Bíblia, quando Jesus, em uma discussão, chama Pedro de "Satanás" (quando na verdade a palavra era Ha-Satan, que significa "adversário" - Marcos 8:33). A partir da má-interpretação, houveram várias teorias da conspiração defendendo que a Igreja Católica era, na verdade, Satanista.

De qualquer forma, o símbolo da cruz invertida por si só não mudou entre os católicos, embora a cruz-invertida-com-Cristo-e-tudo seja considerada desrespeitosa por alguns. Portanto, amigos do corpse-paint, façam melhor do que isso. Mostrem suas habilidades de pesquisa e mandem ver!

13/10/2011

Cover: \"Let's Do It (Let's Fall In Love)\"

Faz tempo que eu não posto sobre música; vamos de cover.

Let's Do It é uma composição popular de Cole Porter, de 1928. Originalmente cantada em musicais, com o tempo foi sendo gravada por diversos artistas, ganhando várias versões e com eventuais alterações na letra.

Dentre alguns dos artistas que gravaram versões da música, estão inclusive os brasileiros Chico Buarque e Elza Soares, no dueto "Façamos - Vamos Amar".

Vou postar a seguir duas versões da música, uma antiga e uma nova e de estilos bem diferentes. Acho legal ver como uma mesma canção pode ser interpretada de tantas maneiras!:




Jazz: Ella Fitzgerald gravou a música em 1956, para o álbum Ella Fitzgerald Sings the Cole Porter Songbook.




Rock: Em 1995, Joan Jett gravou uma versão da música com Greg Graffin (Bad Religion) para a trilha sonora do filme Tank Girl, mas por problemas com a gravadora a participação de Graffin teve que ser substituída por uma de Paul Westerberg (The Replacements). De qualquer forma, a original acabou sendo lançada mais tarde, que é esta que eu postei.

.

Sonhei hoje que estava tentando decorar a letra pela segunda versão. Por algum motivo, no sonho eu sabia a letra de cor. Acordada, não consegui decorar nem o refrão ;(

09/10/2011

~

Esses críticos com as ilusões que criaram sobre os artistas — é como idolatria, como aqueles garotos de Liverpool que só gostavam de nós quando estávamos em Liverpool — muitos deles nos abandonaram porque ficamos grandes em Manchester, certo? Eles achavam que tínhamos nos vendido. Então, os ingleses ficaram chateados porque ficamos grandes em... que diabos é isso? Só gostam das pessoas quando estão a caminho do topo, e, quando chegam lá, não têm nada a fazer além de derrubá-las. Não posso estar a caminho do topo novamente. O que querem são heróis mortos, como Sid Vicious e James Dean. Não estou interessado em ser um maldito herói morto... então deixa pra lá."

John Lennon

(em entrevista dada à revista Rolling Stone, em 5 de dezembro de 1980 - três dias antes de sua morte)



Feliz aniversário, John!