29/03/2012

Não fiz post de aniversário do blog, LOL

...que foi em JANEIRO, me admira eu ainda ter lembrado. 3 anos e uau, quase nem postei no último ano, mesmo.


Te amo, blog, muitos anos de vida.

Mas hein, façam pedidos de postagem, se sentirei querida e importante:



Ósculos e amplexos a todos vocês, não comprem na IdealShop!

25/03/2012

Só mais um daqueles questionários aleatórios e dominicais

Misturei dois memes do Sunday Stealing porque É DOMINGO



1. Com qual personagem de TV você se identifica mais?






Quando eu tava assistindo Torchwood, costumava me identificar com a Tosh. Mas ela é japonesa. E mais nerd que eu. E mais velha. Mas, ah, como eu a entendia...








2. Qual o seu gênero favorito de música?

Vários, vocês sabem. Depende do que eu tô a fim de ouvir.

3. Qual foi a última coisa que você leu/assistiu que te fez chorar?

O episódio 4x18 de Doctor Who Confidential. Só pra lembrar de um dos episódios mais tristes da série e ver os bastidores da depressão. Tem gente que é masoquista, mesmo.

4. Dizem que se aprende algo novo todo dia. Qual foi a última coisa que você aprendeu?

Aprendi que se eu pedalar ao contrário na ergométrica meu joelho dói menos.

Não não, peraí, aprendi uma coisa legal no livro que eu tô lendo agora (O Ladrão de Arte, de Noah Charney):

Na Idade Média, as pinturas só eram feitas sob encomenda, pois era muito caro pintar um quadro e os pintores eram sempre pobres talentosos que não podiam se dar ao luxo de sair pintando centenas de quadros e expô-los por aí pra quem quisesse pendurar um na sala. Como as pessoas que encomendavam eram sempre uma galera com dinheiro e tinham que pagar adiantado, os quadros dessa época eram riquíssimos em material. Hoje em dia, se olharmos para os quadros dessa época e tentarmos determinar o quão caro ele foi para fazer, engana-se quem pensa que é pela quantidade de ouro nos detalhes. O ouro era comum entre as pessoas que os encomendavam. Determina-se o valor do quadro pela quantidade usada da cor azul! Na época, não existiam tintas prontas, como hoje em dia. Os pintores tinham que produzir as próprias tintas com os materiais que tivessem à mão (o que incluía muito ovo), e a cor azul era produzida a partir do lápis-lazúli, que só era encontrado lá na região do Afeganistão. Conseguir essa pedra custava uma fortuna (viajar até lá ou comprar de alguém que tivesse ido até lá consegui-la), então o preço era calculado a partir disso.
O díptico de Wilton, autor desconhecido (~1395-99), pintado para o Rei Ricardo II. Quanto será que custou isso?!



5. Que personagem literário você gostaria de conhecer pessoalmente, com qual gostaria de fazer amizade, e com qual você evitaria cruzar o caminho?

DE TODOS OS LIVROS QUE EU JÁ LI? Que tarefa hercúlea. Vejamos.

Conhecer: Aslam (das Crônicas de Nárnia). Ah, fala sério, quem não iria querer se jogar naquela juba e ouvir toda aquela sabedoria?

Fazer amizade: Capitão Hastings (das aventuras com o Poirot)! Eu acho que seria a coisa mais divertida conversar com ele sobre os casos que eles estariam investigando e ouvir as ideias mais absurdas que ele tem, haha

Evitar: Cersei Lannister (das Crônicas de Gelo e Fogo), ÓBVIO. Ela pode ser divertida de se ler, mas eu que não arriscaria passar perto da psicopata.


6. Se você pudesse trazer de volta qualquer programa de TV que foi cancelado para mais uma temporada, qual você escolheria e por quê?

GNNNN, TORCHWOOD!!! Ainda não sei se ela foi oficialmente cancelada ou se eles estão num hiato indefinido, mas eu definitivamente preciso de mais uma temporada. POR FAVOR BBC



7. Que música você não consegue ouvir sem chorar?

Vale Decem, trilha de Murray Gold e Ben Foster para um episódio de Doctor Who muito fatídico!!! Não importa em que situação ela toque, e ficou pior depois que eu fui atrás da letra e descobri a tragédia por trás do latim. Coisa triste e trágica e e e :(((((




E aqui ela ao vivo, lindíssima: (o vídeo infelizmente tem uns spoilers, então pra quem ainda tá assistindo ou pretende começar ou sei lá, estão avisados)




(só de ver esse vídeo de novo, DAMN TEARS EVERYWHERE)





8. Uma série que você começou a assistir recentemente e está adorando?

Alcatraz! Espero piamente que a Fox não cancele :(








Post cheio de figurinha pra disfarçar a falta do que falar.

18/03/2012

Édipo, o cara que nem era complexado

A história de Édipo pode até não ser novidade pra muita gente, mas às vezes me sinto obrigada a falar sobre ela pra que as pessoas não o achem um grande pervertido, como a Psicologia nos faz acreditar (já ouviram falar no Complexo de Édipo, não? Aquela coisa toda do cara ser apaixonado pela mãe?).



Pra começar, temos que conhecer seus pais. Seu pai era Laio, rei de Tebas. Assim que se uniu a Jocasta, procurou um oráculo, como era costume dos gregos, para saber se o futuro de ambos seria feliz. O oráculo, porém, lhe disse que eles teriam um filho, e que este filho assassinaria o próprio pai.

Bom, não deu pra evitar a gravidez; então, assim que o bebê nasceu, Laio o entregou a um de seus guardas e ordenou que o matasse. O soldado, muito prático que era (só que não), levou o bebê até o monte Cíteron, que era já em outro reino, e o deixou pendurado em uma árvore, amarrado pelos pés.

Como era de se esperar, logo um pastor de rebanhos passou por ali e, atraído pelos gritos do bebê, o encontrou, desamarrou e levou-o até o rei de Corinto. Por sorte, a rainha de Corinto não podia ter filhos, então decidiu de imediato adotar o menino, batizando-o de Édipo (que, em grego, significa "pés inchados").

Quando mais velho, o rapaz, tomado pela curiosidade típica da idade, foi consultar um oráculo para saber o que seria do seu futuro. O oráculo, por sua vez, lhe confirmou a profecia que havia feito para seu verdadeiro pai, anos atrás: disse que ele assassinaria o próprio pai, e mais, se casaria com sua própria mãe.

O pobre Édipo, acreditando que o oráculo se referia aos seus pais adotivos (pois nunca soube que havia sido adotado), não teve coragem de voltar para o palácio, com medo de que a profecia se cumprisse. De tanto andar, acabou chegando em Tebas.



No caminho, cruzou com um senhor arrogante que lhe ordenou que saísse da sua frente para que ele passasse. Édipo se recusou, então o estranho o ameaçou. Mas, antes que pudesse fazer qualquer coisa, Édipo acabou golpeando-o com sua espada, o matando. Acontece que o estranho era Laio, seu verdadeiro pai, e assim a primeira parte da profecia havia se cumprido.

Não muito abalado com o incidente, Édipo continuou seu caminho. Ao chegar em Tebas, notou uma grande comoção na cidade. Lá do monte Cíteron, havia descido um monstro com cabeça e peito de mulher, patas e garras de leão, corpo de cão, cauda de dragão e asas nas costas: a Esfinge*. A criatura havia se postado na entrada da cidade e disse que só estava autorizado a passar por ali quem resolvesse o seu enigma. Quem errasse, seria devorado.

*Não confundir com a Esfinge egípcia! Ambas as culturas possuem sua própria Esfinge e, embora ambas sejam criaturas saídas de um liquidificador de animais, as histórias são diferentes.

A essas alturas, com o rei de Tebas morto, quem estava no governo era o cunhado de Laio, Creonte. Ele chegou a prometer o trono de Tebas e a mão de Jocasta pra quem conseguisse resolver o enigma da Esfinge e chutasse aquela coisa de lá! Bom, Édipo tava ali de passagem e não tinha nada a perder, então pensou: "Por que não?". E se aproximou da criatura.

A Esfinge, então, dita seu famoso enigma:

"Qual é o animal que de manhã anda com quatro patas, ao meio-dia com duas e à noite com três?"

Édipo era um cara esperto e sacou a resposta na hora:

"Pois prepare-se para ouvir a resposta e morrer: Este animal é o homem. No início da vida, que é de manhã, ele engatinha, usando as duas pernas e as mãos; quando cresce, que é o meio-dia, ele caminha com os dois pés; quando envelhece, à noite, precisa da ajuda de uma bengala, seu terceiro pé. Pronto!"

Gustave Moreau, 1888


A Esfinge, porém, não ficou lá muito feliz com a solução do enigma. Mas havia sido derrotada, então levantou voo e se jogou de um precipício, morrendo lá embaixo.

O povo de Tebas carregou Édipo em triunfo. Creonte cumpriu sua promessa. Édipo tornou-se rei de Tebas e marido de Jocasta - realizando-se, assim, a segunda parte da profecia.

Porém, anos depois, uma grande miséria abateu o reino. Pessoas e animais morriam sem motivo, as plantações secavam e a terra não produzia mais. Édipo volta a consultar o oráculo para saber o que estava causando tudo isso, e soube que o que está acontecendo é porque a morte de Laio ainda não foi vingada. O assassino deveria ser encontrado e punido.

Como não fazia ideia de que aquele estranho na estrada era o antigo rei de Tebas, Édipo manda chamar um adivinho famoso chamado Tirésias. Pra sua infelicidade, Tirésias lhe revelou a verdade: que o assassino era ele mesmo, e que sua esposa era, na verdade, sua verdadeira mãe.

"Édipo e Antígona", de Antoni Brodowski, 1828




Jocasta não suportou a descoberta e enforcou-se. Édipo não teve um destino melhor: se sentindo envergonhado demais para voltar a ver a luz do sol, furou os próprios olhos. E Creonte, seu tio, o expulsou de Tebas.

Cego e sem destino, Édipo vagou de cidade em cidade, guiado por sua filha Antígona. Mas, por onde quer que passasse, era rejeitado. Foi terminar seus dias no único lugar onde foi aceito: no alto do monte Cíteron.







 




.

FONTE: "As Mais Belas Lendas da Mitologia", da Editora Martins Fontes

12/03/2012

Preguiça, mãe de todos os vícios

...e, como toda mãe, deve ser respeitada.

(Eu podia ter começado esse post com algo mais original, mas... preguiça.)

nataliedee.com


Tô naquela época do ano (da vida?) do esgotamento mental voltado à criatividade. Peguei 8 turmas pra dar aula, este semestre, então ando direcionando minha criatividade às aulas. Eu não tava acostumada a ensinar pra turmas (até o último semestre eu tinha mais alunos VIP), então de repente pegar turmas de 10 alunos tem sido um desafio que me deixa um pouco nervosa mas, ao mesmo tempo, tem sido bem legal. As aulas ficam mais legais, mas tem que ter um jogo de cintura danado pra manter tudo em harmonia. E os alunos mais novos me chamam de 'senhora', então não sei se me considero uma pessoa de respeito ou se dou zero pra eles só de raiva.

Sério, agora.
Ando aproveitando meus momentos livres pra ler, arrumar coisas aleatórias e assistir a uns filmes (já que as séries...). Então, falando nisso, vou deixar aqui umas recomendações e comentários sobre coisas que ninguém quer saber mas vou fazer do mesmo jeito:


Spotify

Ouvir as músicas que gostamos mas não podemos comprar voltou a ser complicado, depois de todas aquelas leis que foram aprovadas em vários lugares do mundo sobre a distribuição gratuita de material com copyright. A minha saída tem sido o Spotify, que é uma espécie de rádio online - você instala o programa gratuitamente (existe a opção de ser membro, com mais vantagens) no seu computador e pode ouvir praticamente todas as músicas que quiser, de quem quer que seja (alguns artistas e gravadoras saíram de lá, mas o acervo ainda é bem grande). Tava chateada porque não tava conseguindo ouvir os lançamentos do ano pra fazer o tradicional post de dezembro, mas encontrei quase todos por lá e já ouvi bastante.

Desvantagem: Por enquanto, o serviço só funciona nos EUA e no Reino Unido. Pra eu conseguir usar aqui, tive que ceder à algumas ~gambiarras~. Não sei se isso é menos ilegal do que baixar os álbuns da internet, mas cada um se vira como pode.

Visite: www.spotify.com

Netflix

Ok, esse eu uso corretamente (haha). Já tava querendo experimentar há um tempo, mas queria a opinião de alguém que já estivesse usando, antes. Aquela coisa toda de "experimente um mês grátis" me deixou meio desconfiada por precisar já fornecer o número do cartão de crédito com antecedência, mas conversei com um amigo e ele super indicou. Até hoje não me decepcionei e indico a todos que gostam (e têm tempo) de assistir a muitos filmes. O Netflix (assim como alguns outros sites de que já ouvi falar) é uma locadora online. Você paga uma taxa fixa de R$14,90 por mês, descontados automaticamente do seu cartão de crédito, e assiste, online, a quantos filmes quiser (pode assistir ao mesmo filme quantas vezes quiser também). Se não tiver tempo de terminar algum filme, você pode retomá-lo de onde parou a qualquer momento, e, se tiver um player portátil wi-fi, pode assistir ao filmes direto na sua televisão (se for dessas modernosas que acessam a internet). Além de filmes, lá também tem muitas séries, desenhos, programas de TV e até novelas. São todos divididos por categoria, e você pode responder a um questionário de gosto pessoal para que eles sempre te recomendem os filmes certos na sua página principal. A maioria vem com opção de legenda e dublagem (alguns em várias línguas). Você também pode escolher a qualidade de vídeo de acordo com a sua conexão.

Desvantagem: Pelo que eu vejo comentarem, parece que o Netflix gringo tem um catálogo muito maior do que o nosso (que ainda está em expansão). A maioria das séries só tem as primeiras temporadas, e os filmes muito recentes (ou muito antigos) ainda não estão por lá. Mas, ainda assim, o acervo é beeem grande e dá pra investir boas horas de vida por lá.



No mais, sofrendo com a espera das minhas séries favoritas até que retornem. Doctor Who, Game of Thrones e Sherlock, todas me matando do coração aos poucos. Torchwood, queria que voltasse. Alcatraz, queria que não cancelasse. Tive que deixar de assistir a várias das que adoro por conta daquelas leis que citei acima, que saíram varrendo todos os links de download da internet. Muita gente recorre a torrents, mas eu nunca dei sorte com isso e não quero arriscar. Achei algumas delas pra assistir online, sem legenda, mas não é todo dia que o site resolve funcionar. Compraria os DVDs, se eles existissem ou se não fossem importados. Ai.

até do Owen sinto falta


Falar em Doctor Who, notícia legal: a TV Cultura vai começar a transmitir a série a partir da segunda-feira que vem, dia 19/03! Bom, a série britânica foi criada em 1963 e passou ininterruptamente até 1989, que é o que a gente chama de 'série clássica'. Em 2005, retomaram o projeto e vem passando até hoje na BBC. A TV Cultura vai transmitir essa série mais recente, mas aviso que conhecer a série clássica não é absolutamente essencial para se familiarizar com tudo. Eu comecei assistindo à mais nova e me apaixonei obsessivamente.


Pra quem quiser começar a ver também, é uma série de ficção-científica. O Doutor é um Senhor do Tempo, o único sobrevivente do extinto planeta Gallifrey. Com sua inseparável TARDIS, ele viaja pelo espaço e pelo tempo, salvando diversos planetas e povos (ou encrencando todo mundo mais ainda), e ocasionalmente batalhando com alguns outros. Tem uma predileção pela Terra e volta e meia leva companheiros na TARDIS para suas aventuras. A série é inteligente, cheia de ação, engraçada e, às vezes, muito, muito triste. Na TV Cultura a partir do dia 19 de março, de segunda à sexta, às 20h20!


Acho que agora fiquei sem assunto. Volto depois. Ufa.

07/03/2012

O Homem de Preto



Bem, você deve imaginar por que eu sempre me visto de preto
Por que você nunca me vê usando cores brilhantes
E por que a minha aparência sempre tem esse tom sombrio
Bem, tem uma razão para as coisas que eu uso.


Eu visto preto pelos pobres e abatidos
Vivendo naquela parte sem esperança e sem comida da cidade
Eu visto preto pelo prisioneiro que já pagou há muito pelo seu crime
Mas que está lá porque é uma vítima dos tempos.

Eu visto preto por aqueles que nunca leram
Ou ouviram as palavras que Jesus disse
Sobre o caminho para a felicidade através do amor e da caridade
Você pensaria que Ele está falando diretamente comigo e com você.


Bem, nós estamos indo bastante bem, eu suponho
Na nossa fileira de carros luminosos e roupas da moda
Mas aí nos lembramos daqueles que são excluídos
Na frente deles tem que ter um Homem de Preto.

Eu visto isso pelos velhos doentes e sozinhos
Pelos descuidados que se tornaram frios por causa de suas experiências ruins
Eu visto preto em lamento pelas vidas que poderiam existir
A cada semana em que perdemos centenas de jovens.


E eu visto isso pelos milhares que morreram
Acreditando que o Senhor estava do lado deles
Eu visto isso por outra centena de milhares que morreram
Acreditando que nós todos estávamos do lado deles.


Bem, existem coisas que nunca se acertarão, eu sei
E as coisas precisam mudar em todo lugar
Mas até que comecemos a nos mexer para ajeitar algumas coisas
Você nunca me verá usar um terno branco.


Ah, eu adoraria usar um arco-íris todo dia
E dizer ao mundo que tudo está bem
Mas vou tentar tirar um pouco dessa escuridão das minhas costas.
Até que as coisas estejam mais brilhantes, eu sou o Homem de Preto.

Johnny Cash, Man In Black (1971)