Pular para o conteúdo principal

Só mais um daqueles questionários aleatórios e dominicais

Misturei dois memes do Sunday Stealing porque É DOMINGO



1. Com qual personagem de TV você se identifica mais?






Quando eu tava assistindo Torchwood, costumava me identificar com a Tosh. Mas ela é japonesa. E mais nerd que eu. E mais velha. Mas, ah, como eu a entendia...








2. Qual o seu gênero favorito de música?

Vários, vocês sabem. Depende do que eu tô a fim de ouvir.

3. Qual foi a última coisa que você leu/assistiu que te fez chorar?

O episódio 4x18 de Doctor Who Confidential. Só pra lembrar de um dos episódios mais tristes da série e ver os bastidores da depressão. Tem gente que é masoquista, mesmo.

4. Dizem que se aprende algo novo todo dia. Qual foi a última coisa que você aprendeu?

Aprendi que se eu pedalar ao contrário na ergométrica meu joelho dói menos.

Não não, peraí, aprendi uma coisa legal no livro que eu tô lendo agora (O Ladrão de Arte, de Noah Charney):

Na Idade Média, as pinturas só eram feitas sob encomenda, pois era muito caro pintar um quadro e os pintores eram sempre pobres talentosos que não podiam se dar ao luxo de sair pintando centenas de quadros e expô-los por aí pra quem quisesse pendurar um na sala. Como as pessoas que encomendavam eram sempre uma galera com dinheiro e tinham que pagar adiantado, os quadros dessa época eram riquíssimos em material. Hoje em dia, se olharmos para os quadros dessa época e tentarmos determinar o quão caro ele foi para fazer, engana-se quem pensa que é pela quantidade de ouro nos detalhes. O ouro era comum entre as pessoas que os encomendavam. Determina-se o valor do quadro pela quantidade usada da cor azul! Na época, não existiam tintas prontas, como hoje em dia. Os pintores tinham que produzir as próprias tintas com os materiais que tivessem à mão (o que incluía muito ovo), e a cor azul era produzida a partir do lápis-lazúli, que só era encontrado lá na região do Afeganistão. Conseguir essa pedra custava uma fortuna (viajar até lá ou comprar de alguém que tivesse ido até lá consegui-la), então o preço era calculado a partir disso.
O díptico de Wilton, autor desconhecido (~1395-99), pintado para o Rei Ricardo II. Quanto será que custou isso?!



5. Que personagem literário você gostaria de conhecer pessoalmente, com qual gostaria de fazer amizade, e com qual você evitaria cruzar o caminho?

DE TODOS OS LIVROS QUE EU JÁ LI? Que tarefa hercúlea. Vejamos.

Conhecer: Aslam (das Crônicas de Nárnia). Ah, fala sério, quem não iria querer se jogar naquela juba e ouvir toda aquela sabedoria?

Fazer amizade: Capitão Hastings (das aventuras com o Poirot)! Eu acho que seria a coisa mais divertida conversar com ele sobre os casos que eles estariam investigando e ouvir as ideias mais absurdas que ele tem, haha

Evitar: Cersei Lannister (das Crônicas de Gelo e Fogo), ÓBVIO. Ela pode ser divertida de se ler, mas eu que não arriscaria passar perto da psicopata.


6. Se você pudesse trazer de volta qualquer programa de TV que foi cancelado para mais uma temporada, qual você escolheria e por quê?

GNNNN, TORCHWOOD!!! Ainda não sei se ela foi oficialmente cancelada ou se eles estão num hiato indefinido, mas eu definitivamente preciso de mais uma temporada. POR FAVOR BBC



7. Que música você não consegue ouvir sem chorar?

Vale Decem, trilha de Murray Gold e Ben Foster para um episódio de Doctor Who muito fatídico!!! Não importa em que situação ela toque, e ficou pior depois que eu fui atrás da letra e descobri a tragédia por trás do latim. Coisa triste e trágica e e e :(((((




E aqui ela ao vivo, lindíssima: (o vídeo infelizmente tem uns spoilers, então pra quem ainda tá assistindo ou pretende começar ou sei lá, estão avisados)




(só de ver esse vídeo de novo, DAMN TEARS EVERYWHERE)





8. Uma série que você começou a assistir recentemente e está adorando?

Alcatraz! Espero piamente que a Fox não cancele :(








Post cheio de figurinha pra disfarçar a falta do que falar.

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…