18/05/2012

"Assiste a 12 séries (provavelmente não dorme)"

É assim que tá escrito lá no meu Orangotag. Eu durmo, sim. Tarde, mas durmo.

A Denny fez ontem um post sobre as séries que ela acompanha, resolvi ser super original e fazer igual (ela deixou, não julguem).

Quem sabe fica algo de dica pra quem estiver caçando o que assistir (ou o que não assistir, gosto é igual braço, afinal: tem gente que não tem).


Tá pela ordem alfabética, não necessariamente de preferência. Vou incluir o trailer de cada uma caso queiram conferir:

Cold Case / Arquivo Morto



Minha queridinha de muitos anos. Comecei a assistir assim que o SBT começou a transmitir, até que o SBT começou a reprisar, e depois a passar tudo fora de sequência e num horário anticristo e precisei parar. Recomecei a assistir desde o começo ano passado, aí precisei parar de novo por causa daqueles rolos internéticos da ilegalidade de se divertir. Mas essa semana achei links novos e já sou feliz de novo. Pra quem não conhece, é uma série policial de investigação de assassinatos considerados insolúveis e que foram arquivados e esquecidos. Às vezes aparecem casos pra lá dos anos 30, e as investigações ficam bem interessantes. O final é sempre emocionante, e a trilha sonora, então...


Status: terminando a 4ª temporada.

.

Doctor Who


Desconfio que vou levar uma vida inteira pra terminar a série clássica (27 temporadas, com mais de 40 episódios cada, e ainda estou na terceira...). Mas, nessa época, cada episódio tinha cerca de 25 minutos, então a gente assiste rapidinho, na verdade. O Doutor é um Senhor do Tempo, do planeta Gallifrey. Ainda por motivos não explicados, ele foi exilado de seu planeta natal e, a bordo de sua nave/máquina do tempo TARDIS, viaja pelo tempo e espaço, conhecendo os mais diferentes planetas, povos, épocas... e problemas. Com companhias (geralmente terrestres) que vêm e vão e ficam pelo caminho, o Doutor (sem nome, por isso o 'who') se vê às voltas com planetas para salvar, povos para libertar e inimigos para derrotar, geralmente quando só está procurando uns dias de férias. Por não ser humano, o Doutor tem essa opção de 'regenerar' sempre que deveria ter morrido (há de convir que a vida dele é meio perigosa), por essa razão vemos tantos Doutores diferentes. A série clássica, especialmente, aborda muito da nossa História, tornando o programa também educativo. (Os efeitos especiais eram toscos, mas ei!, eram os anos 60).


Status: na 3ª temporada

.


Doctor Who (2005)


Ao contrário do que se pode pensar, essa não é uma "versão nova" da série clássica, mas a continuação desta, que parou de ser transmitida no fim dos anos 80. Quando as aventuras recomeçam, já pegamos o Doutor em sua nona versão de si mesmo, e agora o seu planeta natal, assim como todo o seu povo, foram extintos na Guerra do Tempo (não mostrada na série). O Doutor é o último de sua espécie, ou assim ele acha. As companhias são novas (embora uma companheira antiga reapareça), os inimigos nem tanto (seres como Daleks e Cybermen vão sempre infernizar nosso Doutor). Minha mãe e eu começamos a acompanhar a série a partir daqui, então quem tiver interesse pode fazer igual, sem medo; não é essencial ter assistido à série clássica para se inteirar de tudo. É divertido. Mas também pode ser muito triste.

(Se servir de atrativo, o Reino Unido só tem tipo 15 atores, então aqui vocês vão encontrar atores que participaram da saga Harry Potter em um monte de episódios. E do Game of Thrones também).



Status: aguardando nova temporada

.

(outras duas séries que assisto são ligadas ao DW: Doctor Who Confidential, que mostra os bastidores das filmagens, e The Sarah Jane Adventures, série dedicada à uma das muitas companheiras de viagem do Doutor em suas aventuras depois da TARDIS).

Game of Thrones



Cada vez mais gente assistindo e se viciando, aprovo tudo, a coisa é boa demais. Eu gosto por ser muito imprevisível (e isso já vem dos livros), ainda mais agora que a série se desviou mais do que eu gostaria da história original. Pra resumir o enredo complexo da história toda, já que ela não gira apenas em torno disso, digamos que é uma briga ferrenha onde vale tudo, tudo MESMO, pra sentar a bunda no Trono de Ferro que governa os Sete Reinos. Além de toda a desgraça que uma guerra por si só já traz, ainda há o fato de o inverno estar chegando e, com ele, vêm horrores apenas imaginados pela maioria deles. As estações dos Sete Reinos podem durar anos. Eles já estão vivendo um verão de 10 anos, o que significa que o inverno será um dos mais longos da história, e o frio traz consigo criaturas conhecidas como Os Outros. Ah, vocês precisavam ler os livros pra entender o horror. Ou esperar mais umas temporadas. Dica pra quem ainda vai começar: não se apegue a personagens.


Status: em dia

.


Agatha Christie's Poirot


A adaptação em série dos romances e contos de Agatha Christie com do detetive belga Hercule Poirot, tão querido por ser tão indisfarçadamente arrogante e genial. Enquanto seu amigo e companheiro de investigações, Capitão Hastings, se esforça tanto pra parecer esperto o suficiente pra resolver tudo sozinho e impressionar o detetive, devemos a ele os momentos de boas risadas.


Status: pra começar a 3ª temporada

.


Sherlock


E falando em detetives, como não recomendar essa adaptação genial da BBC? Todos nós conhecemos, ou ao menos já ouvimos falar nos poderes quase sobrenaturais de dedução do detetive Sherlock Holmes (e quem não se divertiu com a versão ninja e cômica de Robert Downey Jr. nos cinemas?). O que os produtores da série fizeram aqui foi ousado: adaptaram os contos clássicos, que se passam originalmente no século 19, para os dias atuais. Então John Watson continua sendo um veterano de guerra, mas de uma guerra atual. Sherlock tem tecnologia à sua disposição. E Moriarty também. Os enredos são muito inteligentes e a gente não deixa nunca de se surpreender com o desenrolar dos episódios. Infelizmente, o único "defeito" é que até agora só houve duas temporadas, com três episódios cada (episódios de uma hora e meia cada, mas ainda assim, quero muito mais). E elenco de peso. Super recomendo.


Status: aguardando nova temporada

.


Star Trek / Jornada nas Estrelas


Espaço, a fronteira final. Netflix me largou todos os episódios da série clássica no colo, em pouco tempo virei trekkiana. Eu me lembro de ter assistido aos filmes, há muitos anos, mas comecei a me aventurar pelo início de tudo e agora já estou indo com a Enterprise na sua missão de 5 anos aonde nenhum homem jamais esteve. Pra quem não está familiarizado, Star Trek foi uma série revolucionária, por ser do fim dos anos 60 e se passar no futuro (bem no futuro, no século 23) e mostrar coisas que não existiam na época, ainda que toscamente, como celulares e outras tecnologias comuns hoje em dia, e coisas que ainda não existem, como o famoso e muito esperado teletransporte. A missão do Capitão Kirk e sua tripulação de 430 pessoas a bordo da nave USS Enterprise é "ir aonde nenhum homem jamais esteve" e conhecer e auxiliar outros planetas e povos.


Status: na 1ª temporada

.


Supernatural / Sobrenatural


Esse é outro amor antigo que acompanho desde o começo e nunca parei. Quando o SBT começou a transmitir, de madrugada, e eu ficava acordada pra assistir sabendo que no outro dia tinha que acordar cedão pra trabalhar (na biblioteca ainda, vish). Os irmãos Winchester perderam a mãe pra um demônio quando muito novos e, desde então, seu pai os treinou como caçadores do sobrenatural. Até finalmente conseguirem achar o demônio que passaram a vida toda procurando, encontraram muitos outros seres malignos e se especializaram no assunto de extermínio. Com o decorrer da história, vão enfrentando novos problemas sobrenaturais, se encrencam com Deus e o Tinhoso e, de vez em quando, conseguem ajuda de outros caçadores, ou do único anjo que realmente desempenha seu papel de anjo.


Status: em dia

.


The Walking Dead


Eu até cheguei a postar aqui no blog quando descobri e comecei a ler as HQs, por indicação da Ana Cláudia. Logo em seguida descobri que haveria a série, mas até a série começar eu já tinha lido tudo o que havia sido publicado até então (umas 70 edições, era isso?). Pra muita infelicidade do meu coração xiita, a série tem pouco da história original (mal e mal os mesmos personagens), apesar do primeiro episódio ter sido quase igual. Mas não vou dizer que é ruim, primeiro porque é óbvio que não, pelo sucesso todo, e segundo porque, por mais que eu xingue e me revolte, ainda tô assistindo, hahaha. O mais legal em The Walking Dead não é necessariamente o terror das maquiagens perfeitas dos zumbis. Há quem reclame que os zumbis mal aparecem. Mas o fato é que o enredo não gira em torno da matança, mas de como o ser humano lida com uma situação em que tudo no mundo mudou em tão pouco tempo, mal os deixando preparados. Liquidar zumbis é fácil, ainda que fossem entes queridos transformados. Difícil é lidar com a família que se despedaça, a comida que falta, os remédios que vencem, a competição entre sobreviventes por um lugar pra dormir, e o ódio que alimentam entre si em vez de se unirem pela sobrevivência.


Status: aguardando nova temporada

.


Touch


Essa série é nova, começou este ano e passa na Fox. A trama gira em torno de Jake, um garoto que tem autismo, e seu pai Martin, que está pra perder a guarda do filho após a morte da esposa. O garoto não fala e não deixa que ninguém o toque, e tudo o que faz é se comunicar por números ou padrões. Jake tem algo especial que seu pai e a assistente social Clea eventualmente acabam descobrindo: ele sente as conexões que pessoas nos mais diversos lugares do mundo têm, mesmo sem saber, e a missão dele é "desatar os nós" dessas conexões (mas, na verdade, quem corre - literalmente - pra consertar tudo, é seu pai). A série é linda, além de ser muito interessante por mostrar personagens em muitos países diferentes, em suas culturas e falando na própria língua. Agora começamos a entrar na parte 'sobrenatural' da história. Recomendo!


Status: em dia

.

Ando doida pra começar outras, mas preciso avançar com algumas antes de me embrenhar em mais coisa pra ver. E morro de saudade das que já terminei :(