27/07/2012

"Eu Ouço Gente Morta": Nina Simone

Se me fosse possível, daria todas as minhas aulas usando música. Aprendi inglês usando música e, por mim, enfiaria música em tudo o que faço no dia-a-dia (oh wait, eu faço isso). Mas, em se tratando das aulas, é complicado.

Por incrível que pareça, eu tenho certa dificuldade em usá-las em sala de aula. Muitos alunos não têm costume de ouvir música e não gostam das aulas com elas (eu sei!), então não uso muito. Mas, quando uso, procuro aproveitá-las não apenas para entretenimento da turma, mas também pra ensinar alguma coisa junto (não apenas "completando com as palavras que faltam", o que eles particularmente odeiam, haha).

Dia desses do semestre passado, uma turma estava aprendendo sobre o uso de "wish" nas sentenças, então levei uma música de Nina Simone. Antiga, desconhecida de todos ali, que nunca nem haviam ouvido falar sobre Nina. Usei a música não apenas pela letra, cheia de "I wish..." um monte de coisas, mas aproveitei pra contar um pouco sobre Nina Simone e sua música. A história dela resume características importantes da História dos Estados Unidos, e sua música surgiu lá, é parte da História igualmente. Bom, pelo menos eles ficaram muito interessados, então a música foi melhor aproveitada!


Nina Simone nasceu Eunice Kathleen Waymon, em uma grande família da Carolina do Norte. Desde pequena demonstrou um talento precoce no piano e no canto, se apresentando na igreja que a família frequentava. Seu sonho era se tornar pianista clássica, e pra isso tentou ingressar em um conceituadíssimo instituto musical da Filadélfia. Mas, apesar da recepção positiva nas avaliações, foi rejeitada por ser negra. Pra poder dar continuidade aos seus estudos e se tornar a artista clássica que sonhava ser, começou a tocar música popular em bares de jazz, e a partir de então Nina teve seu reconhecimento. Logo foi contratada por uma gravadora e, resumindo a história, fez um grande sucesso com suas interpretações de sucessos do jazz e rhythm & blues, no fim da década de 1950. Depois de 20 anos tocando, Nina se dedicou a causas em favor da igualdade social e racial nos Estados Unidos. Por ter enchido o saco do Governo Americano por causa de seus ideais, se viu obrigada a deixar o país, variando os refúgios até ir parar na França. E foi lá que, aos 70 anos, Nina acabou morrendo, enquanto dormia, em decorrência de um câncer de mama que tinha havia alguns anos. Dois dias antes de sua morte, a instituição musical que a havia rejeitado em sua juventude lhe deu um grau honorífico, em reconhecimento ao seu talento.



A lista de artistas que Nina Simone inspirou é gigantesca, e vai de Jeff Buckley a Kanye West; e inúmeros outros fizeram versões de suas canções.


Esta foi a música que usei na aula que citei, I Wish I Knew How It Would Feel To Be Free:


Don't Let Me Be Misunderstood, uma de suas interpretações de maior sucesso:


E, pra animar, uma versão remixada da minha música favorita da Nina, Ain't Got No/I Got Life:




Só pra vocês notarem: alterei um pouco do esquema do blog - incluí um ~menu~ lá no cabeçalho, assim fica mais fácil vocês procurarem pelos assuntos de maior interesse (já que isso aqui não se prende a nada, haha).

2 comentários:

Bom senso, respeito e educação são esperados e sempre bem-vindos nos comentários. Obrigada pela visita!