23/07/2013

"Assiste a 21 séries (you're a freaking god!)"

CALMA, não é tanto quanto parece. Começo a assistir muita coisa, mas me atraso com todas. Meu método era esperar acabar uma pra poder começar outra, mas meu pouco tempo e muita vontade me impedem. Fazer o quê?

Atualização da última lista.


American Horror Story: Asylum


Não assisti à primeira temporada de American Horror Story, mas minha mãe acompanhou e me contou toda a história. Assisti à segunda porque soube que seria uma história completamente diferente, como se fosse outro filme, e me disseram que era muito legal; e adorei. Tem tudo que um entusiasta do terror pode querer: possessão demoníaca, abdução alienígena, zumbis, serial killer, hospício, médico nazista, cenas fortes e todo tipo de bizarrice, na mesma história. Com um elenco excelente, todos os prêmios pra Jessica Lange, essa linda que a gente começa odiando e depois passa a amar.


Status: terminada, aguardando temporada/história nova

Arrow


Não fiquei com muita vontade de ver, quando estreou, mas muita gente começou a ver e comentar e fiquei curiosa. A princípio não curti tanto assim e acabei parando no segundo episódio. Mas aí, acompanhando as notícias, vi que o elenco tem muitos atores que participaram de outras séries, que eu conheço e gosto muito, e retomei de onde parei - o que foi uma boa ideia, porque o terceiro episódio foi muito legal. O playboy Oliver Queen passa cinco anos isolado em uma ilha, depois de um acidente com o barco onde ele, seu pai e outras pessoas estavam, do qual ele foi o único sobrevivente. Dado como morto pelo restante da família e amigos, eventualmente retorna ao lar e se torna um justiceiro, em uma tentativa de se redimir pela sua má-fama e também pelos negócios desonestos do pai. Manter o segredo de sua identidade "heroica" não tem sido fácil, já que todos ainda o consideram bem fútil e mimado, mas Oliver se esforça para fazer justiça e não receber reconhecimento por isso.


Status: na primeira temporada

Being Human (UK)


Especifiquei com "UK" ali porque tem a versão americana, mais recente, mas que nunca assisti. Pode parecer meio bobo, mas essa série é sobre um lobisomem, um vampiro e uma fantasma que são amigos e dividem uma casa. Não é engraçadinho e clichê como parece: a série é forte, violenta, triste em vários momentos e esses três tão sempre numa choradeira que a gente se deprime junto. Porém, tem os momentos engraçados (quase todos graças à Annie, a fantasma), o que torna a série bem boa de acompanhar; além de questões como sobre até onde eles podem se considerar humanos. Por mais que tentem levar uma vida normal, sua natureza frequentemente fala mais alto, o que os afasta de tudo o que mais prezam. Talvez vocês reconheçam nosso vampiro aqui como Kili, um dos anões de O Hobbit. :)


Status: na terceira temporada

Grimm


Essa série me fez morrer de saudade das minhas aulas de alemão e francês :(. O detetive Nick Burkhardt tem um emprego bem normal na polícia de Portland; quando uma tia vem visitá-lo e muda sua vida para sempre. Nick descobre que as criaturas dos contos-de-fada são muito reais e convivem com a humanidade há muitos séculos. Ao mesmo tempo, descobre que ele próprio é um Grimm, descendente de uma longa linhagem de caçadores dessas criaturas. Tendo que manter isso em segredo, Nick percebe que muito do seu trabalho como detetive tem a ver com os Wesen (as criaturas), e conta com a ajuda de seu parceiro Hank e do blutbad Monroe para conciliar as duas vidas, fazer sua parte na tradição secular e lidar com um mistério atrás do outro.



Status: aguardando a terceira temporada

How I Met Your Mother


Demorei ERAS pra me juntar à humanidade, mas cedi depois de assistir um pouco na TV e me divertir muito - peguei desde o começo na Netflix e foi a melhor coisa que eu fiz nessas férias. Acho que todos vocês já conhecem a história: é 2030, e Ted Mosby reúne seus filhos na sala pra contar como ele conheceu a mãe deles... Só que ele se perde em narrativas sobre todas as suas tentativas e fracassos e nunca chega ao ponto, rendendo histórias engraçadíssimas ao lado de seus amigos Marshall, Lilly, Robin e Barney. Sério, tô rindo do episódio do "ratorata" até agora.



Status: na primeira temporada

In The Flesh


Há quem diga que essa série da BBC é melhor que a super famosa The Walking Dead. Eu ainda não formei opinião, pois só assisti ao primeiro episódio, até agora (me atrasei lindamente), mas constatei que se tratam de histórias absolutamente diferentes, apesar da temática zumbi. Em In The Flesh, a tal epidemia zumbi atingiu grande parte da população - não como uma doença, mas realmente como um retorno da morte -, mas já existe uma cura: a droga bloqueia o processo de decomposição do corpo, e muitas sessões de terapia (além de muita maquiagem para esconder as marcas já adquiridas da morte) devolvem ao indivíduo condições de se reintegrarem na sociedade como pessoas normais. E o drama da série é justamente esse: essas pessoas têm lugar de volta na sociedade?



Status: na primeira temporada

The Following


Série excelente, que trouxe Edgar Allan Poe de volta à curiosidade da galera (e também trouxe aquela horda inevitável de "eu-já-curtia-Poe-desde-antes-da-série"...). O serial killer Joe Carroll, um renomado professor universitário, está preso há anos por causa do assassinato de 14 mulheres. Estes assassinatos representavam uma espécie de culto doentio a obras de Poe, do qual ele era estudioso. Como já não estava ruim o suficiente, descobriu-se que Carroll tem toda uma seita de seguidores, que ia visitá-lo na prisão pra ouvir seus conselhos e "sabedoria", e em seguida continuar o trabalho que ele deixou inacabado. E o trabalho de tentar parar essa gente toda cabe ao detetive Ryan Hardy, que foi o responsável pelo caso de Joe, anos atrás. O desenrolar da história é bastante imprevisível e é tudo muito tenso e nos prende de forma inevitável.



Status: aguardando a segunda temporada

Vicious


Sitcom com todo o humor britânico que pode caber em 20 minutos. Com um elenco de peso, com os melhores atores do cinema, teatro e TV britânicos, a série é sobre um casal de senhores: um ator, Freddie, que já teve seus melhores momentos (representado por Ian McKellen) e seu companheiro há 48 anos, Stuart. Acompanhados por seus amigos, Violet, Penelope e Mason (todos pessoas terríveis), passam o tempo atormentando o pobre Ash, o jovem vizinho novo do casal. Alguns dos momentos mais engraçados são quando Stuart está ao telefone com sua mãe, que ainda não sabe que o filho é gay e vive com outro homem. Pra quem gosta de um monte de tiradas sarcásticas, tá aqui a recomendação!



Status: aguardando segunda temporada

.

E vocês, acompanham alguma(s) destas?

19/07/2013

Desafio das Séries Favoritas

Escolha suas 5 séries favoritas e, em seguida, responda às questões (não vale olhar as questões antes de listar as séries!):

Que difícil esse negócio de escolher favorito :(

  1. Doctor Who
  2. Sobrenatural
  3. Merlin
  4. Jornada nas Estrelas: A Nova Geração
  5. Jornada nas Estrelas

17/07/2013

10 indicações musicais (são bonitas, vai)

Tava olhando alguns blogs aleatórios em busca de algum desafio, e em um deles vi a autora indicar uma música pra cada letra do nome dela. Aí resolvi fazer também porque, né.

10 indicações pra vocês. Só tem música triste e linda. Procurei colocar as favoritas mais recentes na minha lista de favoritas :B



E - Even Cowgirls Get The Blues (The Gaslight Anthem)

Uma das minhas favoritas de uma das minhas bandas favoritas. Não entendo patavinas da letra, mas paro tudo que tô fazendo sempre que ouço as primeiras notas. Só amor.



M - Moment of Silence, A (Streetlight Manifesto)

Uma das minhas favoritas de uma das minhas bandas favoritas (isso me pareceu repetitivo, já disse isso antes?). Essa letra é incrível. Vou logo colocar as três versões da música (a original, a acústica e um cover), que são bem diferentes entre si, e que são todas favoritas no meu coração.



M - My Mind's Eye (Small Faces)

Daquelas que foram feitas nos anos 60 e que bem poderiam ter sido feitas pra mim, por mim. Me identifico com cada verso. Ouvi pela primeira vez em um tributo ao Steve Marriott, então vou postar aqui a original e a que conheci primeiro e me fez amá-la.


A - Ache With Me (Against Me!)

Queria uma camiseta com esse refrão. Uma tatuagem. Minha lápide.


N - Nothing Left to Prove (Chuck Ragan)

Foi a primeira que eu ouvi desse homem. Nunca mais parei. Sabem quando vocês ouvem uma música e sabem que já amam a dita só pelo jeito como cantam uma das palavras? (Espero que saibam, porque foi o caso aqui - quando ele canta o "one" no refrão - e eu não quero me sentir doente)


U - Unzertrennlich (Revolverheld)

Há de convir que, com U, só se fosse algo em alemão mesmo. Tão linda. O vídeo dessa música não é indicado para mentes fechadinhas ♥



E - Everything Happens to Me (Chet Baker)

Daqueles caras azarados com quem a gente se identifica.


L - Lighthouse (Westlife)

Não me julguem. Ou julguem, não tenho mais idade pra ligar pra isso. Esse foi um dos últimos singles da banda, se não me engano, e é absolutamente uma das minhas músicas favoritas (daquelas que eu me pego cantando com dor, haha)


L - Lover, You Should've Come Over (Jeff Buckley)

Essa machuca :(


A - AKA... Broken Arrow (Noel Gallagher's High Flying Birds)

Uma vez eu disse no Twitter que, se tal coisa fosse possível, eu queria ter filhos com essa música. Ela faz coisas.



(ainda tenho esperanças com esses posts de indicações musicais)

02/07/2013

"Eu Ouço Gente Morta": Marvin Gaye

 

Em determinadas ocasiões, só Motown dá um jeito no meu coração. É nesse clima que venho falar um pouco desse homem tão importante - pro Soul, e pra minha soul. (ba dum tss)

.

Americano, nascido Marvin Pentz Gay Jr, Marvin Gaye ajudou a consolidar uma das mais importantes gravadoras dos anos 1960, a Motown, que foi pioneira em mesclar música negra e branca.

Filho de um ministro da Igreja Pentecostal e uma empregada doméstica, Marvin tinha outros cinco irmãos, e começou a cantar aos 4 anos, acompanhando seu pai na igreja. Porém, sua carreira profissional só foi encorajada por sua mãe; o pai era constantemente violento, e o pequeno Marvin apanhou muito do Marvin Pai até a adolescência - o que o levou a ser finalmente expulso de casa e abandonar a escola.

Nos anos que se seguiram, Marvin conseguiu formar grupos vocais com amigos e gravar alguns singles em gravadoras menores, mas nenhum deles atingiu a meta e logo os grupos foram debandados. Certo Natal, porém, Marvin cantou na casa do presidente da Motown, que ficou impressionado com seu talento e logo lhe ofereceu um contrato.

Uma vez lá, a primeira coisa que providenciaram foi o acréscimo do "e" no fim do seu sobrenome, já que o original era motivo de piadinhas internas.



Bom, resumindo a história, grande parte dos sucessos de Marvin e da Motown foram seus duetos com Tammi Terrell. Tammi Terrell também tem participação na tristeza que essa história toma daqui pra frente: durante uma apresentação dos dois, em 1967, Tammi desmaia nos braços de Marvin. Foi logo diagnosticado que ela possuía um tumor no cérebro. Isso afeta as apresentações tão esperadas da dupla, e Tammi tem que se afastar dos palcos por causa das constantes cirurgias. Marvin fica tão abalado que começa a dar sinais de querer desistir da carreira. Três anos depois, Tammi Terrell morre, aos 24 anos, e Marvin afasta-se definitivamente da carreira musical.

Não muito depois, porém, Marvin Gaye decidiu voltar à gravadora, com ideias de gravar um álbum conceitual com temática anti-guerra e o conteúdo politizado que tomou conta do entretenimento na época. A gravadora recusou o projeto, a início, mas acabou cedendo. What's Going On eventualmente foi o álbum de maior sucesso dele. A partir daí, Marvin Gaye voltou aos palcos, e suas apresentações levantavam fundos para diversos projetos e organizações em prol de diversas causas humanitárias. 

 

No final da década, porém, as coisas começam a desandar para Marvin Gaye. Com o fim do seu primeiro casamento, Marvin teve que lançar um álbum para que pudesse pagar a pensão à ex-mulher e aos três filhos. O álbum, entretanto, foi um fracasso de vendas, e Marvin se viu muitíssimo endividado; acabou desenvolvendo um problema com álcool e drogas; mudou-se para a Europa, endividou-se ainda mais, deixou de pagar impostos e foi preso. No entanto, poucos anos depois, Marvin teve oportunidade de recomeçar na Bélgica: largou de vez a Motown (que já estava lucrando com o trabalho dele sem o seu consentimento), juntou-se à igreja local, abandonou as drogas e o álcool, começou a fazer exercícios, voltou a se apresentar ao público, e juntou-se a outra gravadora. Muitos dizem ser esta a melhor fase de sua vida e carreira, e o primeiro single que ele lançou nesta época lhe rendeu dois Grammy.

Em 1984, com tudo indo muito bem, obrigada, Marvin decide que era hora de voltar à casa dos pais e fazer as pazes com Papai Marvin. Um dia antes do seu aniversário de 45 anos, Marvin e os pais tiveram uma pequena discussão sobre assuntos financeiros e, mais tarde, enquanto Marvin estava em seu quarto conversando com a mãe, seu pai vai até ele e o mata com dois tiros.

...

Até quem tem certeza que nunca ouviu Marvin Gaye na vida, vai dar o play em qualquer uma dessas músicas aqui e ver como já ouviu, sim. Suas músicas são sucessos há anos, tocaram em muitos filmes e foram regravadas por muita gente.

Stubborn Kinda Fella, primeiro sucesso, de 1962:


How Sweet It Is (To Be Loved By You), que atingiu a 6ª posição no top 100 da Billboard, em 1964:



Ain't No Mountain High Enough, em dueto com Tammi Terrell; talvez a mais conhecida de todas, de 1967:



I Heard It Through the Grapevine, primeiro single a alcançar a 1ª posição nas paradas da Billboard, em 1968:


What's Going On, da época politizada de 1970:


Sexual Healing, que alcançou a primeira posição nas paradas de R&B e ficou lá por dez semanas consecutivas, marcando o retorno de Marvin Gaye e lhe dando dois Grammy, em 1983:



01/07/2013

Conseguindo o corpo que você sempre quis!


  1. Espere até abril, quando a terra está mais fofa;
  2. Traga consigo uma pá e uma lanterna;
  3. Ouça. Está vindo alguém?
  4. Cubra sua lanterna com um cobertor. Espere;
  5. Continue. Se você não está acostumado ao trabalho braçal pesado, vista luvas especiais para evitar que a pele se esfole;
  6. Você pode precisar de um carrinho-de-mão. Você provavelmente deveria ter trazido um carrinho-de-mão;
  7. Volte com um carrinho-de-mão;
  8. Tente levar o corpo-que-você-sempre-quis de volta pra casa até o amanhecer;
  9. Vá para a internet, hora de comprar roupas!
  10. Seus amigos podem começar a te tratar diferente agora, com esse seu novo corpo, mas eles provavelmente estão com inveja.
(roubei descaradamente do The Hairpin)