Pular para o conteúdo principal

Qual era o problema dos reis da Birmânia com elefantes?


Estava eu aqui lendo "A Miscelânea Original de Schott" (um livro sobre tudo ao mesmo tempo e nada específico - tipo isso aqui), e uma das seções se chama "Mortes Curiosas de Reis da Birmânia" (a Birmânia é conhecida atualmente por Myanmar). Quase todas têm a ver com elefantes. Que diabos?

Primeiro tivemos Uzana de Bagan. Pelo que se sabe, Uzana não era muito chegado nos deveres do reino e preferia beber e caçar elefantes. Morreu em 1256, pisoteado por um (bem feito, aliás).

O próximo foi o príncipe regente Minrekyawswa. Tentei pesquisar sobre ele, mas é muito difícil encontrar informações, sem ser a de sua curiosa morte. Parece que ele estava tentando resolver uma guerra muito importante, quando morreu em 1417 esmagado pelo próprio elefante.

Depois teve Razadarit. O cara era excelente militar e deixou de legado um império que resistiu mais 118 anos depois de sua morte, mas dizem que era terrivelmente paranoico, provocando o suicídio de sua amante e condenando o próprio filho à morte (apesar disso, sua filha Shin Sawbu foi a primeira e única rainha da Birmânia, e dizem que a melhor regente da história do país). Também era chegado em caçar elefantes, e em 1423 acabou morrendo enrolado na corda que usava para laçá-los.

E aí veio Tabinshwehti. Foi um rei notável, que uniu muitos reinos e aumentou consideravelmente a fortuna do país (e é aclamado até hoje como um dos mais amados da história do país, sendo que seu espírito é um dos 37 adorados nos cultos de lá). Infelizmente, conquistou algumas inimizades, e foi enganado ao ser chamado para uma caçada a um elefante branco fora do país. Foi uma armadilha, é claro, e o rei foi decapitado por seus inimigos enquanto dormia, na manhã do seu aniversário de 34 anos, em 1550.


... karma?

Postagens mais visitadas deste blog

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Conhece o teste de personalidade Myers-Briggs?

O MBTI (Myers-Briggs Type Indicator) é um teste psicométrico altamente difundido pelo mundo, embora não seja completamente validado pela psicologia.
Baseadas nas teorias tipológicas propostas originalmente por Carl Jung, Katherine Briggs e sua filha Isabel Myers desenvolveram este indicador na época da Segunda Guerra com a intenção de que, com tal teste, as mulheres descobrissem que trabalhos poderiam desempenhar com mais eficiência e conforto de acordo com os aspectos das suas personalidades. 
O teste considera 16 tipos de personalidades, representados por siglas que são combinações de quatro dicotomias. São elas:


EXTROVERSÃO x INTROVERSÃO SENSORIAL x INTUIÇÃO RAZÃO (Thinking) x SENTIMENTO (Feeling) JULGAMENTO x PERCEPÇÃO

Os 16 tipos são, portanto (clique para ampliar):



Ao realizar o teste, que consiste de várias perguntas a respeito de suas preferências pessoais, o indivíduo é apresentado a um relatório com a sigla das quatro dicotomias que representam seu tipo de personalidade. Um tes…