Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2014

Cover: "Blue Moon"

Conheci e amei essa música na época em que ainda assistia novela (!). Sua versão mais famosa foi tema de abertura de O Beijo do Vampiro, de 2002. De lá pra cá conheci outras tantas versões, mais antigas e mais novas, e gosto muito de várias delas. Mas desconfio de que a favorita ainda é a doo-wop (porque doo-wop é amor, registrem a informação).

Destacarei algumas dentre as dezenas de versões.
♪ ♫ ♪ ♫ ♪

Blue Moon foi escrita por Richard Rodgers e Lorenz Hart em 1934, e originalmente lançada em 1935 por Glen Gray & The Casa Loma Orchestra. Foi uma balada de sucesso, cuja letra (alterada da original, que não foi bem sucedida) soa como alguém que faz preces à lua para encontrar o verdadeiro amor.
Blue Moon You saw me standing alone Without a dream in my heart Without a love of my own
Blue Moon You knew just what I was there for You heard me saying a prayer for The one I really could care for
And then there suddenly appeared before me The only one my arms would ever hold I heard somebody whispe…

Cucos são babacas.

Este singelo relógio não é um singelo relógio: é um pedacinho do inferno que a minha mãe insiste em manter funcionando. A cada hora é acionado um dispositivo que imita o canto de algum pássaro (provavelmente de cuco, embora eu não tenha certeza). Em seguida, vêm as badaladas correspondentes à hora (não nas horas exatas, vejam bem. O botão de ajustar as horas não funciona, então, por algum motivo, o dispositivo é acionado a cada hora +27 minutos). E ainda depois disso, como se toda essa barulheira já não fosse suficiente, começa a tocar 10s de alguma música clássica (varia de hora pra hora). Como essa peça interessante fica no escritório, dá pra ouvir da casa inteira, e não há filme que seja assistido sem interrupção.
Enfim, um dia o destino agirá sobre ele, como agiu com o rádio-relógio que eu também desprezava. Tá avisada, mãe.

Então, vim falar de cucos.
Cucos não são passarinhos legais.  (Não é à toa que alguns lugares os chamam de "anus". Dá pra fazer muitos trocadilho…

Coisas do dia-a-dia que todos nós estamos fazendo errado

Depois de ter visto a imagem acima no Facebook, me lembrei desta matéria que estava guardada aqui na barra de favoritos há um tempão, e agora finalmente a compartilho com vocês.

Descubram algumas coisas relativamente naturais que fazemos diariamente do jeito errado:
▼▼▼▼▼
Fazer cocô



Acho seguro dizer que, na grande maioria dos lugares onde vamos fazer o número 2, o fazemos em um vaso sanitário. A questão é que o vaso sanitário é uma invenção relativamente recente (especialmente quando comparada à história da humanidade, que vem fazendo caca desde sempre) - do século 19, quando começamos a ter encanamento dentro de casa. Porém, estudos confirmam que o uso do vaso sanitário é o principal causador de hemorroidas e de prisão de ventre - doenças que vêm piorando desde que inventaram os vasos sanitários mais modernos, que são um pouco mais altos que os antigos.
Mas, se não for assim, qual é o jeito certo?
Tenho certeza de que vocês já adivinharam. Em 2003, um estudo foi conduzido entre 28 pe…

Relatório Bimestral de Leitura de 2014: Janeiro-Fevereiro

Farei diferente este ano: vou soltar esse relatório a cada dois meses. Acho que só terá vantagens, assim; não me mato de escrever, não fica um post longo demais e cansativo pra vocês lerem, e as recomendações estão sempre mais ou menos frescas.

Já lhes apresento todos os livros que terminei de ler entre 1º de janeiro e 28 de fevereiro. Alguns são da supersafra do ano passado, que comprei e não tive tempo de ler então. Posto-os aqui não por ordem de leitura, mas (mais ou menos) por gênero.

E, gente, não é a quantidade de livros que você lê por ano ou por mês que importa. Não é nem o que você lê. O importante é ler, o que quer que seja. Eu achar um livro bom não o faz ser um livro bom, assim como os que eu não gostar não quer dizer que eles sejam ruins. Uma das coisas que eu mais admiro em alguém é a capacidade de ter uma opinião própria, independentemente do que todo o resto do mundo achou. Sejam esse tipo de pessoa. Leiam o que quiserem, mas leiam com vontade e leiam com atenção. O h…