15/08/2014

Diamantes e ferrugem


Não acredito
Lá vem o seu fantasma de novo
Mas isso não é incomum
É só que é lua cheia
E aconteceu de você ligar

E aqui me sento
Com a mão no telefone
Escutando uma voz que conheço
Há um par de anos luz
Indo direto para uma queda

Se me lembro bem dos seus olhos
Eram mais azuis do que ovos de pintarroxo
Você dizia que minha poesia era ruim
De onde você está ligando?
Uma cabine no centro-oeste

Dez anos atrás
Eu te comprei umas abotoaduras
Você me trouxe algo
Ambos sabemos o que as memórias podem trazer
Trazem diamantes e ferrugem

Bem, você estourou na cena
Já uma lenda
O fenômeno desarrumado
O vagabundo original
E você se perdeu nos meus braços

E neles ficou
Temporariamente perdido no mar
A musa inspiradora foi sua de graça
Sim, a garota na concha
Te manteria ileso

Agora eu vejo você em pé
Com folhas marrons ao redor
E neve em seu cabelo
Agora você está sorrindo na janela
Daquele hotel podre
Na Washington Square
Nossa respiração sai como nuvens brancas
Que se misturam e flutuam no ar
Falando estritamente para mim
Poderíamos ter morrido naquele momento, naquele lugar

Agora você me diz
Que não é nostálgico
Então me dê outra palavra para isso
Você é tão bom com as palavras
E em deixar as coisas vagas

Porque eu preciso de um pouco desta imprecisão agora
Tudo voltou muito claramente
Sim, eu te amei, meu bem
E se você me oferece diamantes e ferrugem
Eu já paguei.


Diamonds and Rust
Joan Baez
Diamonds and Rust (1975)


Baez nunca escondeu ter composto esta canção pensando em seu relacionamento com Bob Dylan, dez anos antes.  Na época, ela disse para Dylan que a inspiração havia sido seu ex-marido, o que não batia com a letra. É considerada uma de suas melhores composições, e já recebeu versões de diversos artistas, dentre eles a banda de heavy metal Judas Priest.