17/10/2014

Os DVDs de shows favoritos da coleção

Esse é o Noel. O ganhei no Natal do ano em que o Oasis entrou na minha vida. Ele tem até uma Union Jack :3


Fiz uma postagem listando meus CDs favoritos, há um tempinho, e acabei me decidindo a falar sobre os DVDs, também - só que eu tenho poucos deles, então os favoritos meio que têm relação um com o outro. Já não compro DVDs de apresentações há muito tempo, porque tem sido mais prático assisti-las pelo YouTube...

Enfim, esses são os meus DVDs de shows favoritos. Como aconteceu na postagem dos álbuns, não quer dizer que estas sejam minhas apresentações favoritas de todos os tempos, mas são as favoritas dentre o que tenho na coleção.

(Nota: não postarei os que já apareceram em outras postagens, como o Paul Is Live, de Paul McCartney, ou o You're All In This Together, do Reel Big Fish - tenho certeza de que já falei de outros, mas já não me lembro exatamente quais...).




Concert For George
V.A. - The Royal Albert Hall - 2002 - 2 discos (2h26m e 2h20m)

Comecei mentindo, já que eu já havia falado sobre esse DVD também, mas ele me é muito querido e não poderia deixá-lo de fora dessa postagem. O Concert For George foi um tributo realizado por vários músicos que eram amigos de George Harrison na ocasião do primeiro aniversário de sua morte. Foi organizado pelo seu filho, Dhani, a esposa Olivia, e por Eric Clapton, realizando o antigo sonho de George de juntar todo mundo para um grande show. A primeira apresentação foi da Orquestra de Ravi Shankar, que era um de seus melhores amigos, e que o introduziu à música indiana que foi tão importante para George. Em seguida veio a hilária apresentação do Monty Python, com a introdução de Michael Palin que sempre me faz rir ("oh, mas eu nunca quis prestar homenagens a ninguém. Eu sempre quis ser... um lenhador!"). E, depois, entra a "banda do George", formada por Eric Clapton, Jeff Lynne, Tom Petty, Dhani, Billy Preston, Jools Holland e tantos outros, e com participação especial de Paul McCartney e Ringo Starr em algumas músicas. É tudo tão festivo e ao mesmo tempo muito triste, pois vemos claramente o pesar de todas aquelas pessoas mesmo um ano depois de George ter nos deixado. O primeiro disco é da apresentação completa, e o segundo disco seleciona alguns momentos da apresentação e os intercala com imagens dos bastidores e entrevistas. Os fundos da apresentação foram todos doados ao Material World Charitable Foundation, que George Harrison fundou em 1973 para financiar diversas formas de expressão artística, estimular o estudo de filosofias e visões alternativas de vida, e apoiar organizações beneficentes dedicadas àqueles que precisam de cuidados especiais. Enfim, uma coisa lindíssima e muito emocionante, que amo demais.

Apresentação favorita: Difícil escolher entre tudo, mas vou colocar While My Guitar Gently Weeps. É interessante notar que, com Ringo na bateria, Paul no piano e Clapton na guitarra, é como reproduzir o dia em que a original foi gravada. E esse monte de gente competente no palco é lindo de se ver (e ouvir).




Back In The U.S.
Paul McCartney - turnê Driving USA - 2002 - 3h

Três horas de pura alegria. O show tem mais de 30 músicas, e o material extra inclui entrevistas, bastidores e imagens dispensáveis da Heather Mills (na época, recém-casada com Macca). Foi a primeira turnê dele em quase 10 anos, e a banda que o acompanhou então é a que está com ele até hoje (o que os coloca juntos em um palco por mais tempo do que os Beatles - sempre gosto de comparar isso). Me lembro de ter assistido a esse DVD muitas vezes, e ficar imaginando como seria ver tudo aquilo pessoalmente - os fogos em Live and Let Die, as brincadeiras com a plateia em Hey Jude, o telão com imagens dos Beatles em All My Loving, ele tocando ukelele em Something... especialmente quando perdi a vinda dele ao Brasil, em 2010. Felizmente, pude ver tudo isso no ano passado, realizando assim um sonho muito esperado (só foi uma pena não ter tido homenagem à Linda com My Love...)! Claro que a performance vocal do tio Macca no ano passado já não era a mesma desse DVD, de 2002, mas garanto que o vigor continua firme e forte.

Apresentação favorita: Não dá pra não ser All My Loving. É legal porque é bem no começo do show, então dá pra ver pela primeira vez a quantidade de gente de várias gerações cantando e curtindo juntas; e eu sempre rio da tia que aparece aos 0:23, e choro com o tio que aparece em 1:17.




Familiar to Millions
Oasis - Wembley Stadium - 2000 - 94 min.

Tenho todos os DVDs do Oasis, e essa apresentação não é necessariamente a minha favorita, mas foi uma das mais importantes para a banda (essa foi a turnê mais bem sucedida do Oasis; as duas noites em Wembley levaram 70 mil pessoas ao estádio, cada!), e o DVD é um dos mais especiais para mim. Me lembro de tê-lo pego emprestado na locadora assim que o Oasis havia se tornado importante demais na minha vidinha, e fiquei assistindo sentada no chão bem na frente da TV (o que era incomum, já que eu geralmente fico no sofá ou deixo tocando enquanto faço outras coisas), me emocionando com tudo. O Oasis marcou muitas novidades pra mim, e entre elas foi ter comprado meu primeiro DVD de show (caham, original ;x), que foi este. A apresentação gravada aqui foi a da primeira noite, mas, além de ser evidente pelas imagens, dizem que os shows de ambas as noites foram bastante eletrizantes. Liam estava especialmente desagradável e hiperativo, pois tinha sido deixado pela esposa apenas alguns dias antes dos shows, e o Noel já tava de saco tão cheio que deixou o irmão pra lá e deu seu show à parte. As músicas escolhidas para o set excluíram descaradamente qualquer uma de Be Here Now, que é um álbum que eles particularmente detestam, mas incluem um cover de Helter Skelter e Hey Hey My My (Into the Black), ambos muito bons. Os extras incluem minidocumentários e até um módulo que ensina a tocar Live Forever.

Apresentação favorita: Ia colocar Step Out, mas, devido ao próximo da lista, vou pôr Live Forever, por causa das 70 mil pessoas cantando junto, e porque o telão vai mostrando citações de John Lennon que vão formando o rosto dele. Essa obsessão do Liam por Lennon meio que enche o saco, mas a homenagem é muito legal.




International Magic
Noel Gallagher's High Flying Birds - Live At The O2 (2012)/Live At The Virgin Mobile Mod Club (2011)/Live At The NME Awards (2012) - 2 discos - 95min. e 28min.

Demorei muito pra conseguir esse aí, até que finalmente o ganhei de presente! Ele compila algumas apresentações de Noel Gallagher com a banda que o acompanha na carreira solo pós-Oasis: o primeiro disco é um show na O2 Arena, e o segundo disco tem duas apresentações mais curtas em Toronto e na premiação da NME; ambos com trechos de bastidores e entrevistas. Eu acho muito legal ver o Noel liderando uma banda, pela primeira vez. Embora ele cantasse uma parte dos grandes sucessos do Oasis no palco, e já houvesse saído em turnê acústica sem o irmão diversas vezes, dá pra notar com o High Flying Birds o quanto ter uma banda só sua é diferente. Me lembro das primeiras apresentações da banda, quando ele ainda cantava e tocava olhando pro chão. Mas, já nessas apresentações que estão no DVD, o Gallagher mais velho já mostra confiança total, e muito mais simpatia e interação com o público do que sua banda de origem. Ele também ficou com a vantagem de poder tocar a maior parte das músicas do Oasis, porque são composições dele, o que sempre conquista o público - e acho o máximo ele abrir os shows com (It's Good) To Be Free. Mal vejo a hora de ele voltar ao Brasil, pra que eu possa ir ver um dos meus artistas favoritos ao vivo!

Apresentação favorita: Freaky Teeth, porque eu só havia ouvido a demo dela e essa foi a primeira vez que a ouvi pronta, e ela é MUITO LEGAL.




The Who & Special Guests Live At The Royal Albert Hall
The Who e outros - The Royal Albert Hall - 2000 - 145min.

Comprei esse quando ainda estava conhecendo o The Who, então queria vê-los ao vivo, tocando os maiores sucessos, e também a participação dos convidados especiais aqui, entre eles Noel Gallagher, Paul Weller, Kelly Jones, Eddie Vedder e Bryan Adams. Mas aí acabei descobrindo que esse foi um show beneficente para a fundação Teenage Cancer Trust (que ajuda pacientes de 13 a 24 anos com a doença), cujo um dos patronos é Roger Daltrey, vocalista do The Who. Todo ano, a banda e/ou vários outros artistas fazem um concerto beneficente para levantar fundos para a fundação, e esse do ano 2000 foi o primeiro. Como um show do The Who, é uma apresentação fantástica, pois estavam todos ainda bastante em forma e cheios de energia (o baterista deles na época era Zak Starkey, filho de Ringo Starr, que mais tarde se tornou baterista do Oasis). Como show beneficente, foi bastante emocionante, pois sabemos que todos aqueles artistas estão até hoje engajados na causa. O DVD também tem entrevistas e bastidores.

Apresentação favorita: Difícil esse não ser um dos momentos favoritos - 5:15 AM, com John Entwistle realizando o que dizem ter sido seu mais memorável solo de baixo.




The Concert In Central Park
Simon & Garfunkel - Central Park, NY - 1981 - 86min.

Esse também foi um show beneficente, mas para ajudar a levantar fundos para a grande reforma do Central Park e transformá-lo no grande ponto turístico que é hoje. A apresentação foi gratuita e reuniu cerca de 500 mil pessoas. A dupla, que é de Nova York e é um orgulho local desde os anos 1950, já não se apresentava junta há uma década, devido a desentendimentos pessoais que os fez partirem em carreiras solo, portanto essa apresentação marcou um breve e bem-sucedido retorno. A seleção de músicas incluiu sucessos de ambas carreiras solo, além dos sucessos da dupla, e alguns covers. Particularmente, acho o desempenho de ambos sensacional nesse show - sou fã da voz suave de Art Garfunkel; entretanto, eles mesmos não gostaram muito do resultado. Art acha que não cantou tão bem quanto poderia, e Paul Simon estava preocupado de que a reunião não desse certo (já que ambos teriam que aprender a tocar ou cantar as músicas do outro), e ainda estava se recuperando de uma lesão que o impedia de tocar por muito tempo. De qualquer forma, o show foi um sucesso de público e crítica, e é até hoje uma referência na carreira de ambos.

Apresentação favorita: Bridge Over Troubled Water. Lógico. Esperavam que eu escolhesse qualquer outra? Tá perfeita, tá linda, tá tudo de bom.





At The Apollo
Arctic Monkeys - Manchester Apollo - 2007 - 90min.

Minha história com esse DVD é revoltante. Há muitos anos, depois de muito esforço, finalmente consegui achá-lo para download no Orkut. Na época eu ainda não sabia mexer com torrent, então a solução foi baixar em 11 partes pelo Rapidshare. Depois de quase uma semana de espera (além da conexão lenta, o Rapidshare tinha um tempo de espera entre um download e outro), estava eu com as 11 partes no computador, para descompactar e poder finalmente assistir. No processo de descompactação, o WinRar avisou que uma das partes estava corrompida, e cancelou tudo. Com uma das partes corrompidas, não dá pra aproveitar nadica de nada de troço. Fiquei chateada e desisti da coisa. E então, no dia seguinte (juro que foi LITERALMENTE NO DIA SEGUINTE) eu estava zanzando pela Americanas lá no shopping e voilà, o DVD estava bem na vitrine. Eu não quis comprar pela internet porque ia sair bem caro (eu ainda não estava trabalhando), e também não estava barato na loja, mas acabei levando porque foi uma coincidência muito bizarra. E é por isso, crianças, que o crime não compensa. Enfim, o show: esse DVD foi produzido em forma de filme - as câmeras ficam o tempo todo no palco, em vários ângulos, de forma que o público fica quase completamente excluído da apresentação, tanto em imagem quanto em som. É uma superprodução e foi até premiado, mas é como disse um dos críticos que não curtiu tanto assim: foi demais pra uma banda que tinha começado há pouco tempo e ainda não tinha toda aquela experiência com gravações ao vivo. Em 2007 eles ainda eram meio moleques (longe dos sex symbols que aparentemente viraram agora), e Alex Turner não era exatamente muito bom ao vivo, mas o que chamou a atenção de todo mundo e me fez gostar ainda mais da banda, na época, foi a performance absolutamente empolgante e impecável do baterista Matt Helders.

Apresentação favorita: Brianstorm, porque é tudo rapidinho.






Então, esses são alguns dos que gosto mais na minha coleção. Como eu disse, não tenho tantos shows em cópia física - a maioria eu vejo online ou queimei em CDs há muito tempo. Alguns deles eu gostaria muito de ter em DVD, mas, infelizmente, não disponho da TV o suficiente para que valesse a pena comprá-los. Se fosse falar sobre esses, seria uma postagem bastante diferente (ou, talvez, só maior). E vocês, quais são as apresentações que vocês fizeram questão de comprar pra ter na coleção?

2 comentários:

  1. Concert for George e Simon & Garfunkel do Central Park são mitológicos. Um que eu gosto muito é o da última turnê do Macca, gravado em New York, principalmente porque o set list é bastante próximo ao que ele tocou em São Paulo da última vez.

    ResponderExcluir
  2. Eis uma coisa que nunca tive: DVD se show. E agora fiquei com desejo de ter, rs... Bom, tenho o "This is it" do MJ, mas não chega a ser o show, já que ele morreu no processo né.

    Beijo Manuuuu!

    ResponderExcluir

Bom senso, respeito e educação são esperados e sempre bem-vindos nos comentários. Obrigada pela visita!