16/11/2014

Quem aí estava com saudade das Curiosidades Biológicas Inúteis?

Embora seja como eu sempre digo: NENHUM tipo de conhecimento é inútil. Se não serve pra te garantir um emprego, que sirva ao menos pra entreter os colegas naquela reunião da turma de 1999.

▼▼▼▼▼

foto: The Unwasted Life
O estômago pode mesmo arrebentar se comermos muito de uma vez?

Embora raro, sim! E, como seria de se esperar, as pessoas que chegaram a tal ponto não sobreviveram. Quando um estômago sofre uma ruptura, as milhões de bactérias que moram lá dentro (aquelas que ajudam a gente na digestão) ficam soltas pela cavidade abdominal, causando uma grande e incômoda inflamação. Se não houver tratamento com poderosos antibióticos a tempo e se não houver reconstrução estomacal, o sujeito não sobrevive. Bom, a pessoa certamente sentiria algo esquisito antes disso acontecer, então por que não, simplesmente, vomitar antes que o pior aconteça? Segundo um estudo, a pessoa que tem hábitos alimentares tão desestruturados a ponto disso não tem os reflexos funcionando como deveriam, então o corpo não percebe até que seja tarde. Além disso, os músculos do estômago, a esse ponto, estão tão distendidos que não têm força suficiente para provocar um vômito. Há vários casos documentados de pessoas que morreram de rupturas no estômago, desde 1941. Os casos foram mais comuns em mulheres, e muitos deles ocorreram em mulheres que sofriam de bulimia. Isso acontece porque o estômago do bulímico já é mais frágil, e não precisa mais do que uma refeição de tamanho normal para provocar uma ruptura. Entretanto, houve casos de gente que morreu após ingerir quilos de comida e litros de bebida em uma única refeição (uma delas faleceu após ingerir bicarbonato de sódio depois de uma refeição pesada - o gás foi a gota d'água pro estômago da coitada...).

Outras curiosidades:

  • Nem sempre a ruptura estomacal tem a ver com comer demais. Há casos de pessoas que foram submetidas a cirurgias de redução de estômago e que tiveram ferimentos no órgão causados pelo deslocamento do anel implantado.

  • Houve o caso de uma mulher que faleceu após comer demais, mas o estômago dela não se rompeu. Ele, na verdade, inflou tanto que comprimiu seus pulmões, causando-lhe asfixia.

Fonte: TIFO


Por que os pássaros não caem dos galhos quando dormem?

Imaginem a força que um passarinho tem pra conseguir dormir agarrado a um galho sem cair (a gente não consegue nem segurar um livro quando cai no sono)! Tal força é graças a dois tendões extras que algumas aves têm: quando elas esticam as pernas para pousar e os tornozelos se dobram, os tendões entram em ação, fechando os pés em garras. Percebemos isso em aves de rapina, quando caçam, e nos passarinhos, quando dormem. Entretanto, nem todos os pássaros têm essa vantagem do tendão, que são aqueles que dormem no chão. O mecanismo de defesa desses aí é dormir com um olho aberto: metade do cérebro continua acordada para fazer a vigília. Se dormirem em bandos (como os patos), as aves se posicionam em fileiras e as das pontas dormem com um olho aberto para proteger as outras. Se perceberem que não há perigo, aí elas "desligam" tudo e dormem sossegadinhas.

Outra curiosidade:

  • Golfinhos e baleias também dormem com um olho aberto, em alerta caso apareçam tubarões. Eles alternam qual olho fica aberto por aproximadamente oito horas, e a parte do cérebro que está acordada também é responsável por levá-los à superfície para respirar enquanto ainda estão dormindo!

Fonte: TIFO


Por que os abutres não ficam doentes comendo carniça?

Além de não passarem mal com a carniça, eles também são imunes a carcaças infectadas com botulismo, raiva, cólera, antraz e várias outras doenças fatais. Tudo isso porque seu estômago é altamente ácido: 1000 vezes mais ácido do que o estômago humano, para comparação. A coisa é tão ácida que chega a ser capaz de dissolver alguns metais! Sendo assim, nenhuma bactéria é capaz de sobreviver em tal ambiente, impedindo que qualquer doença ou mal estar acometa a ave. E, mesmo que fosse possível, abutres e urubus ainda têm o que os cientistas chamam de "o mais forte sistema imunológico de todos os vertebrados". Isso se explica pelo fato de que eles estiveram sempre cercados por doenças e matéria em decomposição, o que determinou quais ancestrais sobreviveriam para perpetuar a espécie. Não dá pra competir com a evolução! Porém, nem só de carne podre vivem os carequinhas: estudos comprovaram que cerca de 70% da dieta dessas aves é constituída de ossos. Na verdade, elas até preferem osso à carne, porque tem muito mais nutrientes e que duram muito mais tempo. Em defesa dos bichos, mais um ponto: abutres e urubus são aves associadas a doenças, o que é completamente errado. A presença dessas aves significa que doenças serão provavelmente erradicadas do local, já que elas comem as carcaças infectadas e seu ácido gástrico poderosíssimo elimina as bactérias malignas. A ausência dessas aves, entretanto, significa que outros animais comerão as carcaças infectadas, e aí, se esses animais não morrerem, é porque são portadores e, portanto, disseminadores das doenças. Para ilustrar, temos a Índia, que sofreu uma baixa gigantesca das aves (dos 80 milhões de abutres que sobrevoavam o país nos anos 1980, apenas algumas centenas restam agora). Essa baixa levou a uma superpopulação dos animais que competiam com elas pelas carcaças: lobos e ratos, que são portadores da raiva. Esses animais contaminaram o suprimento de água e muita gente morreu. O motivo da baixa dos abutres foi o diclofenaco, antiinflamatório comumente injetado no gado, mas tóxico para as aves que eventualmente o comeriam depois. Ao perceber o estrago, a Índia substituiu a droga por outra não tóxica para os abutres.

Outras curiosidades:

  • Acredita-se que abutres e urubus sejam carecas para que possam inserir a cabeça nas carcaças sem ficar com coisinhas grudadas nas penas.

  • Um estudo conduzido no Texas demonstrou que 30 abutres reduziram uma carcaça humana a ossos em menos de 5 horas.

Fonte: TIFO


Foto: Life Martini
Por que o nariz escorre quando está frio?

Num dia normal, nosso nariz produz um quarto de litro de muco, mas a gente engole a maior parte disso sem perceber (de nada). Quando esfria, porém, essa produção aumenta bastante, e aí a maior parte acaba escorrendo pra fora em vez de pra dentro. É porque os vasinhos sanguíneos do nosso nariz se dilatam no frio, fazendo circular mais sangue ali pra manter aquela área aquecida pra que a gente mande oxigênio quentinho pro pulmão. Só que o efeito colateral é que essa circulação maior de sangue na área estimula as glândulas responsáveis pela produção de muco, então a coisa fica meio descontrolada. Isso tudo para quando você volta a um ambiente mais aquecido, aí seu nariz não precisa esquentar o ar por você.

Outras curiosidades:

  • O nariz escorre quando estamos gripados como forma de defesa: com tudo aquilo de catarro, seu nariz está tentando impedir que você respire MAIS germes!

  • O nariz escorre quando estamos chorando porque os dutos lacrimais escorrem para nossas vias nasais, então aquele sopão delícia de catarro e lágrimas precisa sair por algum lugar.

Fonte: TIFO


Foto: Collective Evolution
Por que a quimioterapia faz os cabelos caírem?

Pra responder a isso, temos que entender como o câncer funciona: resumidamente, o câncer é causado por uma disfunção na reprodução das células que, por algum motivo, se multiplicaram demais e produziram tecido inútil (que são os tumores) em alguma parte do corpo. A quimioterapia tenta combater essas células descontroladas, então os químicos destroem tudo o que está se reproduzindo demais, interrompendo a mitose (divisão/multiplicação das células) [Biologia é a única matéria onde DIVIDIR e MULTIPLICAR significam a mesma coisa :P]. Só que esses químicos não sabem diferenciar as boas multiplicações das más, então as células que se reproduzem normalmente bastante rápido, como as capilares, acabam levando bomba por tabela. E não só elas, mas as do estômago (estamos falando tanto de estômago, hoje!), as dos lábios e as da medula óssea também. Por causa disso, os cabelos e pelos caem, e a imunidade também, já que a quimioterapia também prejudica a produção dos glóbulos brancos do sangue. Mas as células capilares saudáveis se regeneram rapidinho assim que o tratamento quimioterápico é interrompido.

Outras curiosidades:

  • Existem 200 tipos de câncer, porque existem 200 tipos de células em nosso corpo, e TODAS têm potencial de desenvolver a anomalia.

  • Nossas células têm prazo de validade, portanto se dividem um número limitado de vezes e aí cometem apoptose (conhecida vulgarmente como "suicídio celular"). Há um cálculo com o qual se é possível determinar quantos anos a pessoa pode viver, teoricamente (dado que ela não sofra doenças ou acidentes), baseado na quantidade de células do recém-nascido e considerando quantas células estas células podem produzir e quanto tempo elas levam para morrer. A média é de 120 anos (só pra botar uma polêmica, é exatamente o que a Bíblia diz em Gênesis 6:3: "O Senhor então disse: 'Meu espírito não permanecerá para sempre no homem, porque todo ele é carne, e a duração de sua vida será de cento e vinte anos'.". Interessante, hein?).

Fonte: TIFO