Pular para o conteúdo principal

Os 7 pecados capitais da leitura

Não é lista de regras, é só um questionário.



GANÂNCIA: Qual foi o livro mais caro que você já comprou? E o mais barato?

Acho que eu gasto mais com HQs (que são bem mais caras) do que com livros. A coleção Sandman foi meu investimento mais alto, embora na promoção. Mas o livro mais caro que comprei foi Harry Potter: Das páginas para as telas (também na promoção), que é lindíssimo e valeu cada centavo! Fiz a resenha dele aqui.

O mais barato, excetuando os que ganhei de presente, foi uma edição de 1957 de Nossa Senhora de Paris (O Corcunda de Notre Dame), integral e com capítulos extras, que comprei em um sebo por R$1,00! Ele estava sem as capas, mas resolvi isso razoavelmente bem com o que tinha em casa, haha.

IRA: Com que autor você tem uma relação de amor e ódio?

É meio óbvio, mas acho que com George R.R. Martin. Não tem a ver com esse costume sádico de fazer a gente amar certos personagens só pra matá-los impiedosamente, depois, mas com certos elementos dispensáveis que ele insere nas histórias. Ler os livros dele, pra mim, é uma experiência balanceada entre admiração pela baita criatividade e fluidez da narrativa, e irritação pela quantidade excessiva de sexo e massacres animais. Reconheço que esses elementos são necessários em certos pontos das histórias, mas (especialmente na série) ambos são multiplicados para o apelo do público que gosta de violência e voyeurismo. E eu não gosto de nenhum dos dois - amo As Crônicas de Gelo e Fogo pelo universo vastíssimo que ele criou e pelas intrigas políticas e os mistérios sobrenaturais e como tudo isso se mistura criativamente. Mas os elementos se repetem em outras coisas que o autor escreveu, e entendo que isso seja a marca registrada dele, mas... Vai ver é por isso que prefiro infantojuvenis, clássicos vitorianos e ficção científica, de qualquer forma.

GULA: Que livro você devorou várias vezes sem nenhuma vergonha?

Tem coisas que releio só pra consultar alguma parte; mas, de cabo a rabo, com certeza, vários livrinhos durante a minha infância. E, além desses, li pelo menos três vezes todos os livros da série Harry Potter (e tô aqui coçando pra ler tudo de novo, mas e o tempo?). E vários outros só pude ler duas vezes, até agora, mas muitos eu gostaria de poder ler de novo.

PREGUIÇA: Que livro você sempre deixa pra depois porque está com preguiça de ler?

Ai, trilogias, trilogias... O problema das trilogias (ou quantos quer que sejam os livros da coleção) é que, assim que você as começa, tem que ler as continuações em seguida pra não perder o fio da meada. E aí você acaba deixando de ler outros livros bacanas nesse meio tempo, mas não quer interromper a trilogia porque ela é tão complexa... Enfim, é um dilema. Eu estou deixando as trilogias de lado, por enquanto - todas elas, e dando prioridade aos livros de um volume só (que são tão raros, hoje em dia). Aí deixo os volumes das coleções se acumularem e deixo pra ler tudo de uma vez, depois. Como exemplo, tô protelando A Torre Negra há muito tempo...

ORGULHO: Sobre quais livros você mais gosta de falar para parecer um leitor bastante intelectual?

Vish, eu sou péssima nisso! Eu faço propaganda de tudo o que li regularmente aqui no blog, e, até mesmo quando me pedem indicações de leitura, direciono as pessoas a ler minhas resenhas e escolher algo que as agrade, já que tem de tudo um pouquinho. Eu nem ao menos li todos ou os maiores clássicos dos meus gêneros ou autores favoritos (não consegui nem passar da introdução de A Origem das Espécies, e eu sou bióloga!!). Só posso me achar "intelectual" por ter lido uma penca de livros sobre os Beatles (inclusive a biografia oficial e gigantesca de Bob Spitz), então podem me considerar especialista no assunto. Haha.

LUXÚRIA: Que atributos você acha mais atraente em personagens masculinos ou femininos?

Atributos físicos? Nah. Meus personagens favoritos têm seu comportamento em comum. Me apego a gente ruim que descobriu o quão boa pode ser, e eventualmente é. Me apego a gente injustiçada que samba na cara da sociedade, seja com coragem ou com simples gentileza. E gosto sempre das pessoas justas e que usam de sua inteligência em prol de alguém, não de alguma coisa.


INVEJA: Que livros você mais gostaria de ganhar como presente?

Eu tenho wishlists em várias lojas e no Skoob, mas, quando vou comprar, quase nunca escolho o que está lá, haha. É difícil eu ganhar livro (sem ser da minha mãe, mas é porque ela já sabe exatamente os que eu já tenho e os que ainda não), mas é sempre válido ganhar um cartão-presente, assim posso escolher o que quiser e ser eternamente grata! :D

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…