Pular para o conteúdo principal

Os Homens-morcego do Brasil (sem relação com o Batman, infelizmente)

(e é desse Brasil, mesmo, não do outro)

Imaginem vocês uma tribo indígena tipicamente brasileira. Pronto? Agora, acrescente a essas pessoas um par natural de asas de morcego. Interessante. Agora imagine essas pessoas voando, à noite, como morcegos de verdade. Lindo! Por fim, imagine essas pessoas com asas de morcego e voando à noite como morcegos, portando machados com a única intenção de degolar pessoas e animais passeando desavisados pela madrugada. Não tão legal.

É difícil encontrar mais sobre essa história indígena, mas o que pouco que consegui ler a respeito dá as mesmas informações: os Kupe-dyeb (às vezes chamados de cupendipe) são uma lenda da tribo dos apinajés (ou Apinayés), que habitam a região entre Goiás e Tocantins. Tais criaturas seriam uma tribo indígena própria, que habitaria as cavernas da Montanha do Morcego, próxima ao rio Araguaia, e essas cavernas seriam entradas para uma cidade subterrânea. Segundo relatos do explorador e naturalista norte-americano Carl Huni, os cupendipe teriam pele escura, pequeno porte mas grande força física, e excelente olfato. O relato também diz que, às vezes, eles deixariam pessoas entrarem em suas cavernas, mas estas jamais saíam de lá.



Esta é a imagem que está sendo usada para ilustrar os Kupe-dyeb em websites, o que é errôneo. Esta imagem retrata um boato conhecido por "Great Moon Hoax", a respeito de um povo que, supostamente, habita a nossa lua. Não existem imagens retratando os cupendipe, ficando nós, portanto, com as nossas imaginações.



Por causa da matança promovida todas as noites pelos Kupe-dyeb e seus machados, certa vez os homens da tribo apinajé resolveram cercar as entradas das cavernas e exterminar aquela tribo. Os cupendipe, entretanto, conseguiram fugir: voaram para o Sul e nunca mais foram vistos. Do ataque, os índios apinajé recolheram vários dos machados e adornos deles, e um menino cupendipe que havia ficado para trás. Tentaram criá-lo em sua tribo, mas o menino se recusava a comer o que eles comiam, e só conseguia dormir pendurado de cabeça para baixo. Uma vez o encontraram deitado no chão cantando uma canção de sua tribo, com as mãos no pescoço, e disse que era assim que sua tribo dançava. Acabou morrendo de tristeza pouco tempo depois, e até hoje os índios apinajé cantam a canção dos Kupe-dyeb em sua memória.

Como toda lenda (lenda?) do mundo, a história dos Kupe-dyeb dá margem a várias "teorias da conspiração": aliens? Civilização pré-diluviana? Povo atlante? Associam inclusive o desaparecimento da família de um explorador a essas criaturas. Onde elas estão agora? Por que não há outros relatos sobre os homens-morcego?

Alguém arrisca vir aqui ao Centro-Oeste investigar? ;)

.

Fontes: Dicionário do Mundo Misterioso, de Gilberto Schroereder (Record: Nova Era, 2002) | Te Pito O Te Henua

Postagens mais visitadas deste blog

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Conhece o teste de personalidade Myers-Briggs?

O MBTI (Myers-Briggs Type Indicator) é um teste psicométrico altamente difundido pelo mundo, embora não seja completamente validado pela psicologia.
Baseadas nas teorias tipológicas propostas originalmente por Carl Jung, Katherine Briggs e sua filha Isabel Myers desenvolveram este indicador na época da Segunda Guerra com a intenção de que, com tal teste, as mulheres descobrissem que trabalhos poderiam desempenhar com mais eficiência e conforto de acordo com os aspectos das suas personalidades. 
O teste considera 16 tipos de personalidades, representados por siglas que são combinações de quatro dicotomias. São elas:


EXTROVERSÃO x INTROVERSÃO SENSORIAL x INTUIÇÃO RAZÃO (Thinking) x SENTIMENTO (Feeling) JULGAMENTO x PERCEPÇÃO

Os 16 tipos são, portanto (clique para ampliar):



Ao realizar o teste, que consiste de várias perguntas a respeito de suas preferências pessoais, o indivíduo é apresentado a um relatório com a sigla das quatro dicotomias que representam seu tipo de personalidade. Um tes…