26/04/2015

As Regras de Civilidade de George Washington

George Washington, como acredito que todos saibam, foi o primeiro presidente dos Estados Unidos (entre 1789 e 1797) e um dos Fundadores do país. Vocês reconhecerão seu rosto como um dos quatro esculpidos no Monte Rushmore e estampando as notas de um dólar. Não vou entrar em pormenores do seu papel político - apesar de ter sido reconhecidamente um grande homem e feito grandes coisas pelo seu país -, mas destacar algo curioso a seu respeito.

Washington mantinha, desde a adolescência, um caderno em que passou a limpo 110 itens de um livro chamado Regras de Civilidade e Comportamento Decente na Companhia dos Outros e Durante a Conversação. Não se sabe exatamente a origem dessas regras, mas presume-se que baseiem-se em premissas dos padres jesuítas franceses do século XVI. Tais regras ditam boas maneiras ao lidar com outras pessoas e, embora possam parecer bobas e fora de moda hoje em dia, bem poderiam ainda ser usadas por representantes mundiais e... honestamente, todo mundo. Afinal, tudo aqui se resume apenas a boa educação.

Entre a maneira apropriada de se vestir, cumprimentar, se portar à mesa e falar, são algumas delas:

6. Não durma quando os outros falam, não se sente quando os outros estão de pé, não fale quando deveria se manter em silêncio, não ande quando os outros pararem.

22. Não demonstre alegria com a desgraça alheia, mesmo que se trate de um inimigo.

38. Ao visitar os doentes, não assuma o papel de médico se não tem conhecimento para tanto.

44. Quando alguém fez tudo o que pôde mas não foi bem sucedido, não o critique por ter tentado.

47. Não ridicularize nada que seja de importância para os outros e, se não tiver nada de agradável ou inteligente para dizer, guarde para si mesmo.

48. Antes de recriminar os outros, certifique-se de não ter cometido o mesmo erro; porque o exemplo vale mais do que o preceito.

68. Não vá aonde não conhece sem saber se é bem-vindo. Não dê conselhos a não ser que seja solicitado e, se for, faça-o brevemente.

89. Não fale mal de quem não estiver presente, porque é injusto.

100. Não limpe seus dentes com o guardanapo, toalha de mesa, garfo ou faca; mas, se os outros fizerem isso, deixe que façam e não fique olhando.



As demais tratam de não se meter no assunto dos outros, não falar ou rir alto demais, não interromper, não espalhar notícias sem checar se a fonte é confiável, não prometer o que não pode cumprir... Enfim, o básico da boa educação.

A lista completa (em inglês) vocês conferem aqui.


(tal lista é mencionada no livro A Miscelânea Original de Schott, que já indiquei)

2 comentários:

  1. Pensando bem, seria tão fácil a convivência pacífica entre todos, né não?

    ResponderExcluir
  2. George para Presidente! Hahahaha... Meu favorito: "Não ridicularize nada que seja de importância para os outros e, se não tiver nada de agradável ou inteligente para dizer, guarde para si mesmo." Acho que o mais ignorado de toda a história, junto com o "Antes de recriminar os outros, certifique-se de não ter cometido o mesmo erro; porque o exemplo vale mais do que o preceito.". Hehehe...

    Adorei Manu!

    Beijo cara gêmea!

    ResponderExcluir

Bom senso, respeito e educação são esperados e sempre bem-vindos nos comentários. Obrigada pela visita!