Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2015

A fond adieu, 2015

Na postagem de fim de ano do ano passado, comentei que estava decepcionada comigo por não ter permitido que o ano tivesse sido melhor. Como eu disse, deixei meus problemas de sempre tocarem o Terceiro Reich e meio que desperdicei vários meses me lamentando e me preocupando muito e resolvendo pouco. Bem, o lado bom dessas retrospectivas e reflexões é que elas me fazem acordar para o que eu preciso fazer de diferente, então esse ano eu não me deixei abater (tanto) de novo.
Não foi um ano de grandes mudanças (em alguns aspectos, foi até um ano bastante estagnado), mas ter mais tempo pra mim me fez aprender muito e me convenceu a tentar coisas diferentes.



► Me tatuei mais um pouquinho (duas referências literárias que me são importantes) e finalmente experimentei ter alargadores nas orelhas (eu mesma coloquei e tô há 7 meses com os mesmos 2mm, haha!).



► Tive dengue pela terceira vez (!!!) e perdi um bom peso, então aproveitei a oportunidade pra perder mais os quilinhos que eu sempre falava…

Sugestões de Leitura de 2015: Novembro - Dezembro

E essas foram as últimas leituras de 2015! Não consegui alcançar a meta de 60 livros, mas li quase 50 (muitos deles com mais de 500 páginas), então ainda assim considero um bom volume de leitura.
Este ano, pelo que conferi na planilha que mantenho de leituras feitas, não fui muito eclética em gêneros (ao menos, não mais do que sou sempre) ou em autores. A maior parte foi de norte-americanos e britânicos, seguido por alguns brasileiros, portugueses, franceses e um israelense. Não li um livro sequer escrito por uma mulher (exceto por alguns de contos, em que alguns eram de mulheres, e um didático) e acho que deveria me envergonhar disso. Vou procurar variar mais isso, no ano que vem.

Mantive o padrão das postagens bimestrais e acho que vou continuar assim em 2016, mesmo que não retorne tantas visitas quanto as postagens individuais fariam. Como este não é um blog de resenhas, não quero mudar o foco; prefiro continuar apresentando todos estes livros como sugestões pessoais de coisas que…

Minhas páginas favoritas do Facebook

Os momentos de raiva que passo navegando pela infame rede social são compensados por algumas páginas que me trazem atualizações relevantes ou divertidas o suficiente pra me dissuadir da ideia de entrar em discussões desnecessárias. Por isso, vou compartilhar com vocês as minhas favoritas.
Procurei fugir dos óbvios nessa lista, como as páginas de entretenimento, artistas ou que a maioria de vocês já curte ou vê os amigos compartilhando de lá com bastante frequência. Talvez infelizmente, quase todas as minhas páginas favoritas estão em inglês, porque é a língua em que estou habituada a pesquisar pelos assuntos de interesse. Ainda assim, caso alguém não seja muito familiarizado com a língua, vale a pena dar uma olhada no conteúdo e, quem sabe, jogar no tradutor do Google, se for o caso. ;)
Sem ordem de preferência:


The Dictionary of Obscure Sorrows
Essa é a página de um canal no YouTube criado pelo escritor John Koenig. A proposta do escritor é inventar palavras para sentimentos que não …

Meus álbuns favoritos de 2015

Este ano, como todos, marcou alguns eventos na música. Algumas bandas voltaram, outras entraram em férias por tempo indeterminado (volta logo, The Gaslight Anthem, nunca te pedi nada!), e outras acabaram de vez. Alguns músicos foram embora e deixaram saudade (entre meus favoritos, B.B. King e Cilla Black); e, quem sabe?, algumas revelações futuras devem ter nascido.
Como nos últimos anos, não ouvi tudo o que foi lançado por todas as bandas e artistas de que gosto. Cheguei a ouvir alguns, mas não se tornaram favoritos. Outros já não ouço tanto, então seus lançamentos não me foram prioridade; e acabo usando o Spotify mais pra ouvir bandas e artistas diferentes, então acabei conhecendo outras coisas mais atigas que gostei mais.
Dito isso, seguem onze álbuns lançados esse ano: 5 favoritos e 6 devidamente curtidos.



Chasing Yesterday
Noel Gallagher's High Flying Birds

Não é bem surpresa que esse álbum esteja aqui. A verdade é que, quando o ouvi pela primeira vez, não gostei tanto assim. …

Questionário: Livros & blá blá blá

Outro que peguei emprestado do Momentum Saga.





10. Se você tivesse o poder, qual personagem de qual livro mudaria, ressuscitaria ou faria desaparecer?
Não consigo pensar em algum que eu queira mudar. Acho que cada personagem é criado daquela maneira por um motivo, e quem sou eu pra dizer que o meu jeito é melhor do que o do autor, né? :B (ok, talvez eu mudasse a Sofia, de O Mundo de Sofia, um pouquinho. Ela é uma adolescente típica, mas acho que extrapolou desnecessariamente em alguns aspectos...)
Ressuscitaria a Edwiges, a coruja de Harry Potter, porque não existe um único bom motivo pra ela ter morrido. Nenhum. Foi como se a Rowling tivesse se enchido e dissesse: "Vou aproveitar que tô empolgada e matar você também, só porque eu posso. Tchau". Poxa!
E eu faria a Ygritte, das Crônicas de Gelo e Fogo, desaparecer. Ela não durou muito, mas a personagem não teve nenhum propósito além de ser o interesse romântico de Jon Snow, que preferiu trair um juramento que ele fez de boa von…

Assiste a 26 séries (you're a freaking god!)

Eu não acabo as que comecei antes de começar outras.
E passo a vida em função de acompanhar tudo.
Não façam como eu.
Socorro.



Breaking Bad

Acho que todo mundo já viu. Se não viu, já sabe do que se trata, de tanto que foi comentada nos últimos anos. Demorei, mas cedi e resolvi conferir o hype... e, conforme previsto, fiquei bem viciada ("viciado" é uma palavra interessante para se usar nesse contexto). Aos que ainda não conhecem: Walter White é um químico brilhante mas um homem sem ambição, que preferiu ser professor em uma escola e viver uma vida simples. Entretanto, o destino lhe presenteia com um câncer grave de pulmão, por cujo tratamento não pode pagar. Desesperado pelo futuro de sua família (esposa grávida, filho adolescente com paralisia cerebral), White tem uma ideia após ir a uma batida policial com seu cunhado, agente da DEA: ganhar dinheiro fácil fabricando metanfetamina. Sem saber nada a respeito da parte de venda e distribuição, pede ajuda a um ex-aluno e entend…