Pular para o conteúdo principal

6 coisas que entendemos errado sobre o mundo

Adoro desmitificar as coisas.




  • Não se pega resfriado por causa do frio


O resfriado é causado por infecção virótica e independe do clima. Como existem cerca de 200 vírus que causam o resfriado, ainda não existe uma cura ou vacina pra isso, então a gente fica a vida toda suscetível a pegar um resfriado de vez em quando. A razão pela qual parecemos ficar mais resfriados no inverno ou quando expostos a baixas temperaturas por longo tempo é que passamos esses momentos presos em lugares fechados, compartilhando o ar com outras pessoas que podem estar contaminadas. Ou seja, quando ficamos resfriados depois de um longa viagem, por exemplo, é porque alguém no ônibus ou avião já estava resfriado; não tem a ver com o ar-condicionado do transporte.



  • O chifre do narval não é um chifre


Foto de Ansgar Walk @ Wikipedia
É um dente, que nem os marfins do elefante. Esse dente do narval é um canino que atravessa o lábio superior e se estende de 1,5 m a três metros. É mais comum nos machos, embora algumas fêmeas talvez apresentem o marfim protuberante, e em uma ocorrência bem mais rara os machos podem apresentar dois marfins. Embora seja comum na natureza que chifres e marfins sejam usados para defesa ou ataque, o marfim do narval é um órgão sensorial: possui vários nervos conectados ao cérebro, que captam estímulos do ambiente. Acredita-se que, quando dois ou mais narvais estão esfregando seus marfins uns nos outros, estejam trocando informações. Outra curiosidade: apesar desse dentão, os narvais não possuem outros dentes!



  • O leão não é o rei da selva




O que deveria ser óbvio, porque leões não moram na selva! E nem perto da selva: o habitat dos leões é a savana, que é uma pradaria composta de poucas árvores espaçadas e muita grama e arbustos. Mas ele pode ser o rei da savana, sem problema com o título.



  • O polvo não tem 8 pernas


Wikipedia


Ele tem duas pernas e seis braços. Os tentáculos dos polvos são funcionais como os membros dos vertebrados: dois tentáculos traseiros servem para a locomoção e os demais são usados para coletar comida e levá-la à boca e para tatear o ambiente para reconhecimento. Polvos são muito inteligentes e também conseguem usar ferramentas para facilitar sua alimentação (como pedras para quebrar cascos e conchas).



  • Nem todo camaleão se camufla


Foto de Yosemite @ Wikipedia

Apenas algumas espécies de camaleão conseguem mudar a cor da pele, e a maioria delas nem faz isso para camuflagem. O principal motivo para a alteração da coloração é social: quando apresentam cores vibrantes, estão demonstrando hostilidade; quando apresentam cores mais escuras ou acinzentadas, é porque reconhecem submissão. Uma espécie que habita o deserto muda sua cor para regular a pele à temperatura: mais escuros de manhã para absorver mais calor, e mais claros à tarde para refletir a luz do sol e não sofrerem com o calor excessivo. 



  • Não dá pra ver a Grande Muralha da China da Lua


Esta imagem da Muralha foi tirada por um satélite ASTER em 2001. A Muralha é aquela linha preta que começa no canto inferior esquerdo e vai até o canto superior direito. A linha mais evidente, que por muito tempo acreditou-se ser o monumento, é um rio: o Grande Canal da China. Imagem da Wikipedia.


O mito começou no século 18 (muito, muito antes do homem sequer começar a criar tecnologia para chegar lá), quando foi escrito que o monumento é tão gigantesco que "com certeza poderia ser visto da Lua". Na verdade, a Grande Muralha não pode ser vista nem da Estação Espacial, que fica bem mais perto, e nenhum astronauta disse já ter conseguido vê-la. Apesar de ser gigantesca, precisaria ser 17 mil vezes maior pra ser distinguida de tão longe, e sua cor, próxima à do chão ao redor, também não ajuda (para uma comparação, ver a Grande Muralha da Lua seria como tentar enxergar um fio de cabelo a 3 km). 


.


Postagem inspirada pela original em List25.

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…