27/03/2016

Meus 5 livros favoritos de não-ficção

Vi esta postagem no Momentum Saga e, como sempre, achei uma boa ideia e vim fazê-la, também. Nunca me canso de sugerir leituras e espero sempre inspirar alguém a aprender mais sobre assuntos interessantes. Por isso, aqui vão meus cinco livros favoritos de não-ficção:





A expressão das emoções no homem e nos animais, de Charles Darwin 

Sou grande entusiasta da etologia (estudo do comportamento), área em que quis me especializar após a faculdade, e este livro é tudo o que eu esperava ler sobre o assunto. Darwin, quando o escreveu, já não podia mais sair de casa devido a sua doença, então os métodos de pesquisa para ele foram bem criativos. E é ilustrado, o que ajuda bastante na compreensão das descrições.


As línguas do mundo, de Charles Berlitz

O ganhei de presente da minha mãe e tenho vontade de ficar abraçada nele pro resto da vida, de tão sensacional que é. Berlitz, mesmo, foi uma pessoa sensacional, cuja erudição admiro muito. Como amo aprender línguas, este livro traz tudo o que um curioso sobre elas quer saber: origens, peculiaridades, confusões, macetes, curiosidades, e tudo de um jeito bem fácil de entender e até divertido.


O professor e o demente, de Simon Winchester

Este é um que tenho há bastante tempo e não cheguei a fazer resenha dele aqui pro blog. O vi à venda esses dias pela Companhia das Letras (o meu é da Record, edição de 1999) e o nome foi alterado para O professor e o louco (caso alguém se interesse por ele e queira procurá-lo). É a interessantíssima história da criação do maior e mais respeitado dicionário do mundo, o Oxford; envolve loucura, assassinato, uma parceria improvável, milhares de colaboradores anônimos e setenta anos de muito, muito trabalho. Pra não ficar muito em tom de documentário, o autor romanceou um pouco a narrativa, o que torna o livro bem gostoso de ler.


Sapiens: Uma breve história da humanidade, de Yuval Noah Harari

O escolhi por indicação do amigo Edison e foi o livro mais abrangente sobre Evolução e Comportamento que já li. Ele é completíssimo: acompanha a história da humanidade desde que agraciou o planeta, passando por todas as revoluções e invenções e descobertas e atrocidades, com explicação pra tudo e uma visão nada parcial pra gente. Indispensável pra várias áreas.


Serial Killers: Histórias reais, assassinos reais, de Harold Schechter

E não é nem por ser uma edição lindíssima, toda ilustrada, bem encadernada, diagramada e ter vindo com brindes (aliás, o único defeito dele é não listar os assassinos no índice - que mancada!). É um apanhado muito abrangente dos principais assassinos em série da história - com mais foco nos EUA - suas histórias e motivações (ou completa falta delas), análise psicológica, métodos investigativos e dicas de entretenimento sobre o assunto. Leitura pesada, mas uma beleza pra quem se interessa.

.

Tenho outros favoritos, mas acho que esses são os que gosto mais. Me indiquem os seus, vocês sabem que adoro aprender.