19/05/2016

As 3 letras mais violentas dos Beatles

E, vejam bem, não tô falando de Helter Skelter e seu suposto pioneirismo de "heavy metal" - apesar de ser pesada, a letra é bem inocente. Tô falando de letras bizarramente violentas que jamais esperaríamos de uma bandinha aparentemente brega que chacoalhava os cabelinhos e falava sobre amor.



... só que não.




Maxwell's Silver Hammer (Abbey Road, 1969)




Bang, bang, o martelo de prata de Maxwell desceu na cabeça dela
Bang, bang, o martelo de prata de Maxwell garantiu que ela estava morta.

Já fiz uma brincadeira com ela por aqui, inclusive. Um ritmo animadinho que gruda na cabeça disfarça a história de Maxwell Edison, que matou a marteladas sua namorada, uma professora e, finalmente, o juiz de seu próprio julgamento. O mais bizarro nisso talvez seja que a letra foi composta por Paul McCartney, que era quem costumava compor as baladinhas românticas, e não John Lennon, que era quem tinha as tendências perturbadas. Segundo Macca, o personagem seria um símbolo para "os acontecimentos ruins da vida que surgem do nada". Pra mim, continua sendo uma música sobre um serial killer.


A Day in the Life (Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, 1967)




Eu li a notícia de hoje, oh cara
Sobre um homem de sorte que se superou
E embora a notícia fosse bastante triste
Eu tive que rir
Porque vi a foto.


Considerada uma das músicas mais ambiciosas da banda, essa foi composta em partes por Lennon e McCartney e fala sobre um dia normal. Só que Paul ficou com a parte rotineira de se levantar, se arrumar e tomar seu café da manhã e fumar um cigarro, e John achou mais legal falar sobre um acidente de trânsito com uma morte horrível em que a vítima tinha quebrado a cabeça e isso foi "engraçado". E isso porque ele tirou essa inspiração de uma notícia real!


Run For Your Life (Rubber Soul, 1965)




Prefiro te ver morta, garotinha, do que com outro cara
(...)
Sebo nas canelas, garotinha
Esconda a cabeça na areia, garotinha
Se eu te pegar com outro cara
É o fim, garotinha.

Provavelmente a pior de todas. Nessa, John Lennon faz uma ameaça categórica contra a vida da moça caso a veja com outro homem. Lennon mais uma vez confessa ter "uma mente ciumenta" e ser "mau", como já havia feito em You Can't Do That (que já postei) e I'll Cry Instead, bem como em várias outras de sua carreira solo.


.


Fonte: TURNER, Steve. The Beatles: A História Por Trás de Todas as Canções. Cosac Naify, 2009.

2 comentários:

Bom senso, respeito e educação são esperados e sempre bem-vindos nos comentários. Obrigada pela visita!