Pular para o conteúdo principal

10 músicas para conhecer hoje

Eu gostaria de ser mais original com as postagens sobre música, ultimamente, mas não é muita gente que compartilha do meu gosto. Então só vou indicando, mesmo; quem quiser ouvir que fique à vontade.

Vou colocar minha biblioteca da Last.fm (com cerca de 2500 artistas) para tocar em modo aleatório e falar sobre as 10 primeiras que tocarem. Como faço esse tipo de postagem a cada seis meses, vou procurar não repetir caso alguma já tenha sido indicada antes.


1. Rockin' Chair, Oasis


It's hard enough being alone
Sitting here by the phone
Waiting for my memories to come and play

Olha só, é difícil sair Oasis nessas brincadeiras! Essa é uma das minhas favoritas do que acho que é o meu álbum favorito deles. Essa foi raramente tocada ao vivo, mas acho que o Noel anda colocando ela no repertório, agora.


2. Payphone, Maroon 5


You can't expect me to be fine
I don't expect you to care

Não tenho muito o que falar dessa, todo mundo conhece. Acho que é o meu vídeo favorito da banda.


3. Auf kurs, OOMPH!


Ich weiß genau wo kein Mensch jemals war
Bin ich dir nah, bin ich dir nah

Letra fácil o suficiente pra eu treinar meu alemão sem morrer de frustração. É uma música bem linda, e não incorporei o vídeo original pois tem cenas fortes de tortura. Se alguém quiser vê-lo, clique no link.


4. Torn Apart, Enter Shikari


Sinking... I don't know how we'll get to shore again
Sinking... we'll surface through the waves

O Enter Shikari tá se tornando uma das minhas bandas favoritas. Eles têm um estilo que mistura tanta coisa numa música só que a gente não sabe se ainda tá tocando a mesma, até se acostumar, haha. 


5. Holy Mountains, System of a Down



Liar! Killer! Demon!
Back to the river Aras!
Freedom! Freedom! We're free! We're free!

Uma das minhas favoritas da banda, queria muito que tivesse tocado no show deles que fui no ano passado. Não tem como não empolgar junto! A letra fala sobre o monte Ararat, na Armênia, considerado local sagrado e que foi tomado do país pelos turcos durante o Genocídio (todos os membros da banda são de origem armena).


6. Everything to Nothing, Manchester Orchestra



You mean everything to nothing
You mean everything to nobody but me

Não lembro se coloquei essa em alguma lista anterior, mas fiquei com preguicinha de procurar. De qualquer forma, gosto desse vídeo porque o tecladista tá super empolgado.


7. Chandelier, Sia



I'm gonna fly like a bird through the night
Feel my tears as they dry
I'm gonna swing from the chandelier

Fiquei bem feliz de ter saído essa, tô amando muito a Sia ultimamente E podem achar essa música a melhor coisa de dançar, mas a letra é uma coisa bem triste.


8. Dominoes Fall, Rancid


Hey, ho, let the bombs blow
Let the dominoes fall, I ain't got control

Tempão que não tinha Rancid aqui no blog! E essa é uma coisinha gostosa de ouvir e dançar.


9. One Day More, Les Miserábles OST


Tomorrow we'll discover
What our God in heaven has in store
One more dawn
One more day
One day more!

Essa apresentação do elenco do filme na cerimônia de entrega do Oscar é a coisa mais maravilhosa desse mundo. A COISA MAIS MARAVILHOSA DESSE MUNDO!


10. Black Chandelier, Biffy Clyro



We're gonna separate ourselves tonight
We're always running scared, but holding knives
But there's a black chandelier
It's casting shadows and lies

Fechou com Biffy, perfeito! Eles tão finalmente fazendo sucesso, agora, aproveitem pra conhecer uma das minhas bandas favoritas. :)

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…