Pular para o conteúdo principal

De onde surgiram os nomes de alguns animais?

Sabemos que os nomes científicos dos seres vivos derivam do latim e do grego, e costumam descrever alguma característica física ou comportamental do ser em questão. Por exemplo, o nome do tiranossauro rex significa "rei lagarto tirano". Hoje, sabemos que os dinossauros não eram lagartos, mas pareceu um bom nome quando descobriram o gigantesco fóssil desse impressionante animal. 

A palavra "animal", mesmo, vem do latim anima, que significa "alma". Embora animais existam no planeta há eras, esse nome, mesmo, só foi adotado no século 16. Até então, a palavra usada para se referir a animais era besta, que hoje em dia só usamos para os animais selvagens. 

Mas nem todos os nomes de animais derivam dessas línguas; algumas vêm de dialetos nativos ou de línguas mortas há muito tempo. Com isso em mente, vamos descobrir por que o hipopótamo se chama hipopótamo e o canguru se chama canguru, e mais uns tantos.




Pinguim



Vamos começar por um cuja origem do nome ninguém sabe ao certo. Os primeiros humanos a avistarem pinguins (ou, ao menos, a registrar isso) foram exploradores europeus, então acredita-se que a palavra "pinguim" venha do galês pen gwyn, que significa "cabeça branca". Na verdade, era o nome era usado para outro animal, muito parecido com o pinguim e hoje extinto; então acharam que era tudo a mesma coisa e aproveitaram. Mas outra teoria diz que a palavra vem do latim pinguis, que significa "gordo". O que é bem compreensível.


Rinoceronte


Já o caso do rinoceronte é bem simples, pois seu nome significa "nariz chifrudo". "Rino" tem associação com nariz (assim como rinoplastia ou rinite), e "ceros" (pronunciado "queros") tem a ver com queratina, que é a composição dos chifres desses animais, bem como de unhas e pelos ou cabelo.


Avestruz



O nome científico dessa ave é Struthio camelus e tem o incrível significado "pardal-camelo", enquanto a palavra "avestruz" vem do latim avis struthios. Talvez os taxonomistas não tivessem uma referência muito vasta de aves para inspirar o nome dessa descoberta, na época, mas a parte do "camelo" é justificada pelo habitat seco em que são encontradas.


Hipopótamo



"Hipopótamo" deriva de seu próprio nome científico, que significa "cavalo do rio". Como o caso dos avestruzes e pardais, não dá pra ver muita conexão entre os trambolhões e cavalos; mas talvez os taxonomistas realmente não tivessem muitas referências...


Alce


O animal não é muito conhecido nosso, mas o incluí aqui pela curiosidade sobre a pronúncia do nome. "Alce" também deriva de seu nome científico, Alces alces, que tem origem no latim e grego, que por sua vez se inspiraram no germânico. De qualquer forma, significa algo como "cervo avermelhado", e na Europa é chamado de "elk". Parece não ter muito a ver com "alce", mas devemos lembrar que, no latim, a letra C tem sempre som de K (seu nome, portanto, deveria ser pronunciado como "alque").


Tigre


O tigre tem seu nome grego inspirado pelo seu nome asiático, tighri, que significa "flecha" e tem relação com a sua velocidade em corrida. Seu nome científico é Panthera tigris. Todos os grandes felinos são chamados de panteras, e essa palavra latina significa "animal amarelado". 


Panda


Esse da foto é o verdadeiro panda. O grandão preto e branco recebeu o mesmo nome porque achava-se que pertenciam à mesma família, mas hoje sabe-se que eles não estão relacionados. O nome chinês para os animais é xióngmāo e significa "urso-gato" (assim como seu nome alemão, Katzenbär). Infelizmente, não fazem a menor ideia do que a palavra "panda", mesmo, significa.


Tartaruga



A tartaruga também tem seu nome derivado latim, tartaruchus, que significa "do submundo". O Tártaro é o equivalente ao inferno cristão nas mitologias grega e romana. Não se sabe muito sobre a escolha desse nome para as coitadinhas, mas talvez os taxonomistas tenham se assustado um pouco com elas.


Canguru


Existe uma história acerca desse nome que é bastante popular, mas que já foi desmentida por um pesquisador. Dizia ela que os exploradores perguntaram aos nativos o nome do animal, ao que eles responderam "gangurru". Os exploradores acharam que isso queria dizer "não entendi", mas adotaram a palavra como resposta à pergunta. Na verdade, eles realmente responderam aos exploradores, e a palavra significa apenas "bicho grande".


Lhama


É uma história semelhante à dos cangurus. Ao chegarem no Peru e verem os peculiares animais, os exploradores espanhóis perguntaram aos nativos qual era o nome deles: "Como se llama?". Vendo a confusão dos nativos com a língua estranha, fizeram a pergunta várias vezes, ao que os outros apenas repetiam "llama" sem entender o que significava. Então os espanhóis acharam por bem chamar o animal assim, já que não conseguiriam resposta melhor. Elas provavelmente tinham um nome na língua local, mas nunca saberemos qual era.


Cão e gato


Por origem, a palavra latina cattus servia tanto para cães quanto para gatos. Com o passar do tempo, a língua foi sofrendo alterações e surgiram palavras mais específicas para os animais: canus para cães e catus para gatos. Já a palavra "cachorro" tem origem basca e, novamente, denominava o filhote de qualquer animal, até finalmente servir apenas para filhotes de cães e aí para qualquer tipo de cão. 


Girafa


"Girafa" vem do árabe zarafah e significa "que caminha rápido". O nome científico da espécie mais comum é Giraffa camelopardalis, que tem o sensacional significado "camelo-leopardo". Dizem que os romanos, ao verem as criaturas, acreditavam que elas eram o resultado o cruzamento entre um camelo fêmea e uma pantera macho, mas o nome provavelmente é apenas inspirado em suas características físicas.


.


Fontes: Mental Floss | Wikipedia | Wikipédia | Online Etymology Dictionary | As Línguas do Mundo, de Charles Berlitz
Imagens: Pexels

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…