Pular para o conteúdo principal

Por que existem nomes diferentes para os mesmos países?




Grande parte dos países do mundo é chamada por nomes parecidos em várias línguas. O nosso, mesmo, só tem adaptações: Brasil, Brazil, Brésil, Brasilien... Entretanto, alguns países recebem nomes completamente diferentes, dependendo da língua em que são chamados. É o famoso caso da Alemanha: afinal, por que chamamos o país de Alemanha e os países de língua inglesa o chamam de Germany, se lá, mesmo, eles chamam o próprio país de Deutschland?!




No caso das adaptações linguísticas, os nomes ficam um pouco diferentes porque não existe uma língua mundial, então cada povo pronuncia os nomes dos lugares como fica mais confortável em sua língua. Entretanto, os nomes originais dos lugares são escolhidos por cada povo com base em significado cultural - só que nem sempre o lugar em questão significa a mesma coisa para o resto do mundo, e é por isso que países diferentes acabam dando outros nomes para alguns lugares. 

Vamos seguir o exemplo da Alemanha. Antes do povo local chamar o país de Deutschland ("terra do povo"), a região era conhecida como Germânia, nome dado pelos romanos quando controlavam o continente. Esse nome foi inspirado pelos gauleses, tribo próxima dali, que se referia à essa tribo vizinha como os "germani", que significava simplesmente "vizinhos". A língua inglesa ainda hoje usa Germany para se referir ao país com base nessa origem. E aí, perto dessa tribo dos germani, na região onde hoje é a Suíça, vivia a tribo dos alemanni. Então vieram os países de língua latina e... Entenderam pra onde isso vai?

Nos casos de outros países que apresentam essas variações de nome, a culpa é do "telefone sem fio"; ou seja: um explorador visitava o lugar, perguntava o seu nome aos locais, entendia errado por não entender a língua, e ia espalhando para outras pessoas (comerciantes ou pessoas influentes) que também iam entendendo errado, e assim a coisa acabava ficando completamente diferente do que era pra ser. Foi o que aconteceu com o Japão, por exemplo. O nome original do país, como é chamado lá, é Nipon. Quando Marco Polo esteve na China, no século 13, ouviu falar de uma ilha chamada Cipangu, no dialeto local. Quando voltou à Itália, o nome acabou sendo registrado como Giappone. Da mesma forma, mercadores portugueses que faziam negócios na Ásia ouviram falar da mesma ilha, que os malaios chamavam de Japang, e voltaram pra Europa chamando o lugar de Japão.

Bom, esses são alguns dos casos mais interessantes. Falar de todos daria um texto bem longo e muita, muita pesquisa. Para os curiosos, aqui vão alguns pedaços do mapa múndi com os endônimos (nome próprio conforme a própria língua) de cada país:


(clique para ampliar)


África

Ásia

Europa

América do Sul


Para visualizar o mapa completo e detalhado, clique no segundo link abaixo.

.

Postagens mais visitadas deste blog

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Conhece o teste de personalidade Myers-Briggs?

O MBTI (Myers-Briggs Type Indicator) é um teste psicométrico altamente difundido pelo mundo, embora não seja completamente validado pela psicologia.
Baseadas nas teorias tipológicas propostas originalmente por Carl Jung, Katherine Briggs e sua filha Isabel Myers desenvolveram este indicador na época da Segunda Guerra com a intenção de que, com tal teste, as mulheres descobrissem que trabalhos poderiam desempenhar com mais eficiência e conforto de acordo com os aspectos das suas personalidades. 
O teste considera 16 tipos de personalidades, representados por siglas que são combinações de quatro dicotomias. São elas:


EXTROVERSÃO x INTROVERSÃO SENSORIAL x INTUIÇÃO RAZÃO (Thinking) x SENTIMENTO (Feeling) JULGAMENTO x PERCEPÇÃO

Os 16 tipos são, portanto (clique para ampliar):



Ao realizar o teste, que consiste de várias perguntas a respeito de suas preferências pessoais, o indivíduo é apresentado a um relatório com a sigla das quatro dicotomias que representam seu tipo de personalidade. Um tes…