Pular para o conteúdo principal

4 coisas que você nunca quis saber sobre o seu corpo




  • A maior parte dos pelos do nosso corpo é habitada por ácaros chamados Demodex folliculorum. Eles ficam especialmente no nosso rosto, nos folículos dos cílios, sobrancelhas, nariz e ouvidos, mas também podem ser encontrados em outras partes do corpo. Esses ácaros estão espalhados por tudo para se alimentar das nossas células mortas, mas não nos fazem nenhum mal, por isso não são considerados parasitas (embora possa haver um excesso, o que provoca algumas doenças da pele).



  • Temos mais bactérias vivendo no nosso corpo do que células humanas (a estatística aceita atualmente é de 3:1). Essa população bacteriana é chamada de microbiota e vem sendo mapeada geneticamente por cientistas que procuram entender toda a extensão desse convívio entre bactérias e células humanas. O que se tem certeza até agora é que a maior parte delas não só se beneficia do nosso corpo como também ajuda o nosso organismo a funcionar direitinho, nos impedindo de viver sem elas. 


  • Todos possuímos uma enzima chamada telomerase, que é responsável, grosseiramente falando, pela imortalidade das células. Essa enzima é ativa durante o nosso desenvolvimento embrionário, mas para automaticamente de funcionar assim que nosso corpo está completo. Depois que nascemos, ela só está ativa em células que morrem muito rápido e que, portanto, precisam se multiplicar muito, como as do esperma e da pele. Hipoteticamente, se tivéssemos essa enzima ativa o tempo todo, seríamos imortais (no que diz respeito a "morrer de velhice", já que o nosso corpo não se degradaria). Indústrias farmacêuticas estão testando ativar a enzima para o tratamento contra o envelhecimento, mas não houve resultado satisfatório até agora por um detalhe fatal: as únicas células que aceitam a telomerase ativa são as cancerígenas. Sendo assim, todas as cobaias acabam morrendo de câncer.



  • Nosso corpo não reconhece nossos olhos como parte dele. Nossos olhos são órgãos que estão muito expostos a fatores externos que podem machucá-los ou infeccioná-los através de microrganismos diversos. Por isso, eles têm um sistema imunológico só para eles, conferindo o que a ciência chama de imunidade privilegiada. O problema da imunidade privilegiada é que o sistema imunológico do resto do corpo interpreta esse sistema separado como uma ameaça ao resto do corpo e tenta atacá-lo. Os dois sistemas só não ficam perdendo tempo brigando um com o outro porque nossos olhos têm uma barreira física (formada por algumas células específicas) que os protege de nós mesmos - caso contrário, nossas células brancas devorariam nossos olhos sem pensar duas vezes.


.

Fontes: List25 | Wikipedia

Postagens mais visitadas deste blog

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

... e ainda mais livros interativos!

2014 está sendo um ano muuuito esquisito... Não sei se tá todo mundo com essa impressão, ou se eu só estou prestando atenção nas coisas esquisitas, mesmo.
De qualquer forma, comentei em alguma postagem anterior sobre a necessidade da terapia que não vou fazer, e como esses livros interativos que tanto estão na moda andam me ajudando a aguentar toda a esquisitice desse ano.
Depois de Destrua Este Diário, que não vou terminar, e Termine Este Livro, que já terminei, peguei outros dois lançamentos: Listografia, de Lisa Nola, e 1 Página de Cada Vez, de Adam J. Kurtz.


O Listografia eu havia visto pelo Pinterest e achei a proposta atrativa pra mim: listar a vida de acordo com os mais variados tópicos. Os temas vão desde coisas simples, como os lugares em que você já morou, o nome de todos os animais de estimação que você já teve, seus programas de TV favoritos, as cidades que você conhece, até assuntos mais reflexivos, como as coisas sobre você que quase ninguém sabe, seus maiores atos de b…

As curiosas origens de 4 famosos jogos de tabuleiro

Adaptado do artigo original do Mental Floss.



Jogos de tabuleiro são uma forma de entretenimento criada pelos egípcios há 5 mil anos e nunca saíram de moda, mesmo que atualmente tenham sido adaptados em vídeo games ou jogos para o celular. Aqui vão as origens de alguns dos sucessos mundiais favoritos:

Monopoly / Banco Imobiliário

Embora seja considerado um jogo que glorifica o capitalismo (tendo sido banido de países como a China e a antiga União Soviética), este clássico foi inventado para representar justamente a ideia oposta. A americana Elizabeth Magie era ativista contra o pagamento de impostos imobiliários, no fim do século 19. Segundo ela e outros simpatizantes, deveria haver apenas um imposto de propriedade, diminuindo assim a diferença de riqueza entre os senhorios e os inquilinos. Para demonstrar de uma maneira fácil como as coisas aconteciam na época, Lizzie patenteou, em 1904, um jogo chamado The Landlord's Game ("O jogo do senhorio"), cujo objetivo era acumula…