Pular para o conteúdo principal

Questionário sobre livros: Redes sociais

Acho que tropecei no blog da moça sem querer, aí vi esse questionário e quis postá-lo, também. Acabo respondendo todas essas coisas sempre que vejo, mas procuro variar nas respostas. Opção pra isso eu tenho :B





Twitter: Um livro que você quer compartilhar com todo mundo.

Tecnicamente, quero compartilhar com todo mundo todos os livros que recomendo por aqui. Mas um que li recentemente e que me deixou impressionada e que eu gostaria muito que todos pudessem ler é Sapiens. Minha resenha está aqui.


Facebook: Um livro que você gostou muito e que foi recomendado por outra pessoa.

Meus amigos e minha mãe já me recomendaram livros maravilhosos que se tornaram meus favoritos (inclusive Sapiens, acima). Um que me foi indicado por dois amigos e que eu jamais escolheria pra ler não fosse eu confiar em suas recomendações foi A Menina que Roubava Livros. É o tipo de livro que eu leria várias vezes (ah, quem dera eu pudesse) e seria sempre emocionante. Minha resenha está aqui.


Tumblr: Um livro que você leu antes de criar seu blog, e do qual ainda não fez post.

Nossa Senhora de Paris (O Corcunda de Notre-Dame), de Victor Hugo, que li duas vezes na vida e quero muito ler novamente. Quem conhece a história pelo desenho da Disney, esqueça tudo e leia o original. Tente não chorar. É trágico assim.


Myspace: Um livro que você não tem a intenção de reler.

A trilogia original de Star Wars, lançada pela DarkSide. É uma edição linda e eu juro que gosto de Star Wars, mas foi uma leitura tão desinteressante e cansativa que não me vejo querendo ler novamente.


Instagram: Um livro com uma capa bonita ou um livro “fotogênico”.

Harry Potter: Film Wizardry é TODO fotogênico. Todo o design dele, por fora e por dentro, é lindíssimo.


Youtube: Um livro do qual você gostaria de ver uma adaptação para o cinema.

Muitos! Já falei sobre minha vontade de ver Os Filhos de Húrin no cinema, apesar de agora outra adaptação de Tolkien parecer improvável depois da rejeição do público por O Hobbit. Também já falei que adoraria uma versão mais nova e melhor de Fahrenheit 451, que é possivelmente um dos melhores livros de todos os tempos. E, claro, adoraria uma versão em filme de Harry Potter e a Criança Amaldiçoada. Tenho certeza de que a peça é incrível, mas é pouquíssimo acessível a todos e isso é um tanto injusto.


Skype: Um livro com personagens com os quais você gostaria de conversar.

Eu seria óbvia se respondesse As Crônicas de Nárnia, porque falar com bichos sempre me pareceu mais interessante do que conversar com pessoas. Acho que eu gostaria de conversar com Hannibal Lecter (O Silêncio dos Inocentes). Ele é inteligente e realista, como eu, e também muito culto e certamente tem muito assunto. Talvez ele fosse me dizer umas verdades duras, porque lê as pessoas como ninguém, mas também sei que organizaríamos juntos uma boa seleção de carnes para o jantar.

Postagens mais visitadas deste blog

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Conhece o teste de personalidade Myers-Briggs?

O MBTI (Myers-Briggs Type Indicator) é um teste psicométrico altamente difundido pelo mundo, embora não seja completamente validado pela psicologia.
Baseadas nas teorias tipológicas propostas originalmente por Carl Jung, Katherine Briggs e sua filha Isabel Myers desenvolveram este indicador na época da Segunda Guerra com a intenção de que, com tal teste, as mulheres descobrissem que trabalhos poderiam desempenhar com mais eficiência e conforto de acordo com os aspectos das suas personalidades. 
O teste considera 16 tipos de personalidades, representados por siglas que são combinações de quatro dicotomias. São elas:


EXTROVERSÃO x INTROVERSÃO SENSORIAL x INTUIÇÃO RAZÃO (Thinking) x SENTIMENTO (Feeling) JULGAMENTO x PERCEPÇÃO

Os 16 tipos são, portanto (clique para ampliar):



Ao realizar o teste, que consiste de várias perguntas a respeito de suas preferências pessoais, o indivíduo é apresentado a um relatório com a sigla das quatro dicotomias que representam seu tipo de personalidade. Um tes…