Pular para o conteúdo principal

Sobre razão e sensibilidade

Marianne por kelleybean86 @ DeviantArt.com


"[...] e logo faltou coragem para Marianne tentar conversar sobre um assunto que a deixava cada vez mais insatisfeita consigo mesma, pela comparação que necessariamente produzia entre o comportamento de Elinor e o seu próprio.
Sentiu toda a força daquela comparação, porém, não para forçá-la a se empenhar, como esperara a irmã; sentiu-a com toda a dor do remorso contínuo, lamentou amargamente nunca se ter esforçado na vida, mas aquilo só lhe trouxe a tortura da penitência, sem a esperança de corrigir-se. Seu ânimo estava tão debilitado que ela ainda acreditava ser impossível qualquer esforço, e, assim, aquilo só a desanimava ainda mais."

Razão e Sensibilidade
Jane Austen, 1811
[Martin Claret, 2012. Traduzido por Roberto Leal Ferreira]


Elinor tem seu coração partido ao descobrir que o homem por quem era apaixonada e com quem esperava noivar-se já era noivo de outra mulher há muito tempo. A irmã, Marianne, tem o seu coração partido ao descobrir que o homem por quem era apaixonada e esperava noivar-se não queria saber de compromisso com ninguém e era meio que um babaca completo. Cada uma lidou do seu jeito: enquanto Marianne caiu em uma depressão debilitante que a deixou, nas palavras do irmão, "tão feia que ninguém mais vai querer se casar com ela", Elinor sofreu em silêncio e dedicou-se à recuperação da irmã e, ironicamente, a consolar a noiva do rapaz em questão, que nada sabia sobre os sentimentos dela.

A razão dita que a reação de Elinor é mais bonita e altruísta, talvez até mais correta e melhor para seu próprio bem-estar. A razão diz que sofrer pelo que não pode ser mudado é inútil e que a única coisa que você pode fazer para superar a própria dor é estar presente para que as pessoas que você ama não sofram também. Todos sofremos, mas todos queremos (ou deveríamos, pela razão) ser como Elinor. Parabéns, Elinor!

Mas a sensibilidade é aquela vadia que transforma algumas pessoas em Marianne. A depressão parece uma condição egoísta em que só pensamos em nós mesmos e ignoramos a dor do próximo. Marianne não querer socializar com a família e amigos e só conseguir chorar em sua cama todos os dias, o dia inteiro, pode parecer imaturo e irritante ("supera, Marianne!"), mas nem todos têm a força mental de Elinor. Algumas pessoas ficam doentes e isso não deveria ser tratado como drama adolescente. 

O fato de serem irmãs não as obriga a serem iguais. Sendo assim, não podemos exigir de Marianne que seja Elinor. Marianne não quer se isolar, deixar de comer ou chorar por meses a fio, mas é só o que ela consegue fazer. 

Razão e sensibilidade não são excludentes. Todos sofremos pelo excesso ou déficit de ambas, em diferentes graus. Meu cérebro Elinor sofreu um bata choque de Marianne nos últimos meses e não está conseguindo se restabelecer muito bem, ou ao menos não tão rápido quanto eu gostaria. Estou tendo ajuda de algumas Elinores sensatas que não fazem minha Marianne atual se sentir tão mal sobre ela mesma, e por isso sou grata. Logo espero ser uma Elinor novamente.


(eu não costumo ler romances mas, quando leio, rapaz. cada soco.)

Postagens mais visitadas deste blog

Algumas das bandeiras mais interessantes do mundo

As bandeiras dos países do mundo são mais do que uma demonstração de cores e padrões: cada detalhe - a escolha e predominância das cores, as faixas, os símbolos, as formas - carrega um significado histórico e/ou cultural que ensina muito sobre o país representado. Selecionei para essa postagem algumas das histórias mais interessantes.
(Não vou falar da nossa Auriverde porque todos nós já estamos carequinhas, certo?)



Reino Unido Union Flag ou Union Jack (azul, vermelho e branco)
Essa bandeira não é a da Inglaterra, como muitos pensam, mas representa os quatro países que formam o Reino Unido: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte. Esse desenho é usado desde 1801, quando a Grã-Bretanha se uniu à Irlanda do Norte, e é uma mistura das bandeiras desses países: a cruz vermelha de São Jorge (patrono da Inglaterra) sobre a cruz branca de São Patrício (padroeiro da Irlanda), por sua vez sobre a cruz de Santo André (padroeiro da Escócia). O País de Gales não está representado na …

O Dia dos Namorados e a visão de romance por uma assexual arromântica

Vejo que isso vem mudando lentamente, mas, como regra geral, todo mundo é naturalmente criado e tratado como heterossexual (e, consequentemente, heterorromântico). Eu, claro, cresci com essa absoluta certeza e não questionei isso até meados dos meus 20 anos. Até então, achei que eu só era mais "devagar" pra certas coisas, mesmo. Mas vamos ter que voltar um pouco e compartilhar informação demais.
Como expliquei na página de educação e visibilidade, o fato das orientações sexual e romântica serem coisas separadas e muitas vezes não serem correspondentes é o que mais confunde quem demora a "sair do armário". Eu mesma ainda me vejo questionando ambas, embora esteja convencida de que estou, ao menos, em algum espectro de ambas (confira a página mencionada). Não posso falar por todos os assexuais arromânticos porque, obviamente, cada pessoa é diferente da outra e as coisas são diferentes pra todo mundo. Então vou falar por mim.
Embora só tenha percebido isso recentement…

Conhece o teste de personalidade Myers-Briggs?

O MBTI (Myers-Briggs Type Indicator) é um teste psicométrico altamente difundido pelo mundo, embora não seja completamente validado pela psicologia.
Baseadas nas teorias tipológicas propostas originalmente por Carl Jung, Katherine Briggs e sua filha Isabel Myers desenvolveram este indicador na época da Segunda Guerra com a intenção de que, com tal teste, as mulheres descobrissem que trabalhos poderiam desempenhar com mais eficiência e conforto de acordo com os aspectos das suas personalidades. 
O teste considera 16 tipos de personalidades, representados por siglas que são combinações de quatro dicotomias. São elas:


EXTROVERSÃO x INTROVERSÃO SENSORIAL x INTUIÇÃO RAZÃO (Thinking) x SENTIMENTO (Feeling) JULGAMENTO x PERCEPÇÃO

Os 16 tipos são, portanto (clique para ampliar):



Ao realizar o teste, que consiste de várias perguntas a respeito de suas preferências pessoais, o indivíduo é apresentado a um relatório com a sigla das quatro dicotomias que representam seu tipo de personalidade. Um tes…